Cientistas explicam porque é que o café tira o sono

Já todos sabemos que o café tira o sono, tanto que muitos deixam mesmo de o tomar antes de ir dormir para garantir uma noite sem percalços. Cientistas finalmente explicam o porquê deste fenómeno.

O motivo para a cafeína nos tirar o sono explica-se pelo facto desta substância alterar o nosso relógio biológico interno, chamado de circadiano, pode ler-se na notícia da ABC. É este o relógio que regula as fases de sono e que nos diz quando devemos dormir ou despertar.

Quem o diz é uma equipa de investigadores da Universidade do Colorado, nos Estados Unidos, e do Laboratório de Biologia Molecular do Medical Research Council de Cambridge, em Inglaterra.

A quantidade de cafeína contida num café duplo, consumida três horas antes de irmos dormir, atrasa o nosso biorritmo em 40 minutos e, por isso, a nossa capacidade para ter sono, diz o estudo.

Para além disso, “o café afeta o nosso cronómetro celular”, segundo afirma Kenneth Wright, um dos investigadores da universidade americana.

Já se sabia que a cafeína, a droga psicoativa mais utilizada em todo o mundo, alterava os hábitos de espécies como as algas e as moscas presentes na fruta mas esta é a primeira vez que uma pesquisa consegue provar que a cafeína atrasa também o relógio biológico dos seres humanos.

Em 2013, Wright já tinha analisado os padrões do sono ao demonstrar que, depois de uma semana a acampar nas Montanhas Rochosas sem luz artificial, oito campistas foram capazes de sincronizar os seus relógios circadianos com o nascer e o pôr do sol.

No estudo agora publicado na Science Translational Medicine, os voluntários, três mulheres e dois homens, foram controlados num laboratório durante 49 dias. Durante este período, submeteram-se a diferentes condições ligadas com o ciclo do sono-vígilia.

Um quarto com pouca luz e um comprimido de placebo; pouca luz e o equivalente a 200 miligramas de cafeína dependendo do peso de cada um; luz brilhante e mais placebo e, por fim, a mesma luz e mais 200 miligramas de cafeína.

Para analisar os efeitos destas quatro situações, os investigadores recolheram, de uma forma periódica, amostras da melatonina, hormona produzida pela glândula pineal quando o nosso relógio ordena, que se ativa, ou não, em função da luz e coordena todos os relógios celulares do corpo.

Os resultados foram claros, já que todos aqueles que consumiram cafeína tiveram um atraso de cerca de 40 minutos no ritmo circadiano noturno, em comparação com os que tomaram o comprimido de placebo em condições de pouca luz.

No entanto, este atraso é metade do que o induzido pela exposição à luz brilhante três horas antes de irem dormir. A combinação da luz e da cafeína produziu um atraso de quase 105 minutos.

Já no laboratório de John O’Neill, em Cambridge, analisaram-se as mudanças causadas a nível celular pela cafeína, o que permitiu perceber que a cafeína pode bloquear os recetores celulares do neurotransmissor adenosina que, em situações normais, favorece o sono e suprime a excitação.

Os resultados deste estudo abrem agora caminho para analisar de uma forma mais rigorosa como pode a cafeína afetar o corpo humano.

ZAP

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

Responder a Fabio Cancelar resposta

Presidente promulga lei que lança app Stayaway Covid

O Presidente da República promulgou, esta terça-feira, o diploma que estabelece o responsável pelo tratamento dos dados e regula a intervenção do médico no sistema 'Stayaway Covid'. À margem de uma visita a Lagoa, no Algarve, …

Prémios e dados pessoais. Worten alerta clientes para falso SMS em circulação

A Worten alerta os clientes para não partilharem dados pessoais em resposta a mensagens publicitárias falsas que estão a circular por SMS em nome da retalhista, a anunciar um prémio. "Alertamos que não devem ser facultados …

GNR já passou 2200 coimas por falta de limpeza de terrenos. Mais de cem câmaras multadas

Mais de uma centena de câmaras municipais foram multadas por falta de limpeza de terrenos, sendo a ausência de tratamento nas margens das estradas e junto às linhas de distribuição elétrica a principal infração registada …

Presidente do Governo da Catalunha pede a Filipe VI que abdique

O presidente do governo regional da Catalunha, Quim Torra, pediu na terça-feira ao rei Filipe VI que abdique e solicitou ao presidente do parlamento que convoque uma sessão plenária extraordinária para estabelecer uma "posição comum" …

Virologista chinesa diz que novo coronavírus foi "criado em laboratório militar"

A virologista chinesa que fugiu para os Estados Unidos deu mais uma entrevista onde assegura que o novo coronavírus foi "criado num laboratório militar". Numa nova entrevista, citada pelo jornal online Observador, Li Meng-Yan, a virologista …

Ministério da Saúde abre 435 vagas para médicos de família

É o maior número de vagas dos últimos anos colocadas a concurso para a contratação de médicos especialistas em medicina geral e familiar para o SNS. De acordo com o jornal Público, o Ministério da Saúde …

MP brasileiro processa pastor por anunciar cura com feijões para a covid-19

O Ministério Público brasileiro pediu a abertura de um processo contra o pastor evangélico Valdemiro Santiago e a Igreja Mundial do Poder de Deus, que anunciaram a cura da covid-19 a partir do cultivo de …

Dívida do Estado à ADSE ascende a 200 milhões de euros

A dívida do Estado à ADSE, em 2019, ascendia a 198,2 milhões de euros, segundo o parecer do Conselho Geral e de Supervisão (CGS) ao relatório e contas do ano passado, publicado no site do …

Governo dos Açores violou Constituição ao impor quarentena obrigatória

O confinamento obrigatório de 14 dias que o governo regional dos Açores tem imposto a quem chega à região autónoma é inconstitucional, dizem os juízes do Tribunal Constitucional. As autoridades açorianas violaram a Constituição ao impor …

China caminha a passos largos para a normalidade. Gaming, cerveja e Ikea dão empurrão

A China não regista, desde 17 de maio, vítimas mortais causadas pelo novo coronavírus. No entanto, há dois surtos ativos que parecem não impedir a população de caminhar em direção à normalidade. À semelhança do resto …