Cientistas britânicos extraem cheiros de objetos antigos

Investigadores desenvolvem tecnologia que digitaliza livros fechados

Um grupo de cientistas está a extrair cheiros de objetos na Casa Knole, uma velha mansão em Inglaterra, a fim de preservá-los para o futuro.

O projeto tem como objetivo identificar e documentar cheiros com “valor cultural”, como o cheiro de livros, luvas usadas por aristocratas, discos de vinil e ceras para o chão.

O analista químico Matija Strlic explicou que trabalhar na mansão foi crucial, porque os objetos estavam no seu “habitat natural”. “Num museu estariam fora de contexto”, acrescentou.

De acordo com o estudo publicado na Heritage Science, os especialistas pediram aos visitantes da biblioteca “Dean and Chapter” na Catedral de São Paulo, em Londres, para caracterizar o cheiro do local.

Os visitantes descreveram com maior frequência o aroma da biblioteca como “amadeirado“, seguido de “esfumaçado” (86%), e “baunilha” 41%.

A intensidade dos cheiros foi avaliada entre “odor forte” e “odor muito forte”. Mais de 70% dos visitantes descreveram o cheiro como agradável, 14% como “suavemente agradável” e 14% como “neutro”.

Numa experiência diferente, os especialistas pediram aos visitantes da Galeria de arte e Museu de Birmingham para avaliar o cheiro de um livro de 1928 obtido de uma livraria de segunda mão em Londres.

“Achocolatado” ou “cacau” foi o termo usado com maior frequência, seguido de “café”, “velho”, “madeira” e “queimado”. Os participantes também mencionaram cheiros, incluindo “peixes”, “odor corporal”, “meias podres” e “bolas de naftalina”.

“O nosso estudo sobre os odores é um exemplo de como é que os cientistas e historiadores podem começar a identificar, analisar e documentar cheiros que têm um significado cultural, como o aroma de livros antigos”, adiantou a principal autora do estudo, Cecilia Bembibre, da Universidade College de Londres.

“Os cheiros ajudam-nos a entender a História de uma maneira mais humana”, destacou a especialista.

Matija Strlic teve a ideia de realizar este estudo, que levou à criação da “Roda dos Aromas dos Livros Históricos”, quando descobriu, há uma década, que os conservadores de papel detetam, através do cheiro, se os livros se estão a degradar.

Após anos de investigação, o especialista diz que já consegue identificar, simplesmente pelo cheiro, “quando e onde é que um livro foi feito, e o seu nível de degradação”.

Entre outras finalidades, os cientistas esperam que o estudo sirva para detetar sinais de deterioração nas bibliotecas, e para a criação de arquivos históricos olfativos que conservem os cheiros que correm o risco de desaparecer.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Na medicina medieval, livros astrológicos diziam aos médicos quando tratar os pacientes

Na era medieval, os médicos tinham como seu auxílio um livro onde consultavam as posições dos planetas e das estrelas. A astrologia tinha uma grande influência na prática médica. Os médicos medievais tinham de possuir uma …

FC Porto contra-ataca acusações do Benfica com "palha para burros"

O FC Porto reagiu às acusações do SL Benfica de pressão às equipas de arbitragem, argumentando com várias suspeitas de corrupção que os 'encarnados' estão envolvidos. A troca de galhardetes entre FC Porto e SL Benfica …

OE2020. PSD Madeira não avisou direção de Rio sobre eventual voto a favor

A direção nacional do PSD foi apanhada de surpresa pelo anúncio de um possível voto favorável do PSD Madeira ao Orçamento do Estado para 2020. Em declarações à SIC, a direção de Rui Rio diz que …

Estado quer retomar Campus da Justiça no Porto

Na reunião de câmara desta segunda-feira, Pedro Baganha, vereador do Urbanismo, revelou que o Estado tem intenção de retomar o projeto do Campus da Justiça na Quinta de Santo António, no Porto, cuja primeira pedra …

As tartarugas-gigantes podem aprender coisas (e lembrar-se durante anos)

Um novo estudo sugere que as tartarugas-gigantes podem ser treinadas e lembrar-se daquilo que aprenderam durante vários anos. De acordo com o IFLScience, uma nova pesquisa mostra como as tartarugas-gigantes podem aprender novas tarefas e até …

Avião chileno desaparece com 38 pessoas a bordo a caminho da Antártida

A Força Aérea do Chile anunciou ter perdido "o contacto via rádio" com um avião militar C130 com 38 pessoas a bordo, que descolou de Punta Arenas, sul do país, para uma base na Antártida. "Um …

Tiroteio num hospital da República Checa faz pelo menos seis mortos. Atacante suicidou-se

Pelo menos seis pessoas morreram esta terça-feira num tiroteio no hospital da cidade de Ostrava, no nordeste da República Checa, de acordo com o ministro da Saúde Adam Vojtech. O autor do ataque suicidou-se. O tiroteio …

Genes alienígenas das bactérias ajudaram as plantas a conquistar a terra

Através da análise do genoma de dois tipos de algas, uma equipa de investigadores concluiu que genes alienígenas das bactérias ajudaram as plantas a conquistar a terra. Cientistas analisaram o genoma de uma rara alga encontrada …

Jovem vulcão descoberto nas profundezas da Placa do Pacífico

Uma equipa de cientistas da Universidade de Tohoku, no Japão, descobriu um pequeno e jovem vulcão na secção mais antiga da Placa do Pacífico. O vulcão foi encontrado na parte ocidental do Oceano Pacífico, perto …

Composição dos planetas gasosos não é igual à das suas estrelas (e os cientistas não percebem porquê)

Os planetas e as estrelas formam-se a partir da mesma nuvem de gás e poeira.  Uma análise da composição dos exoplanetas gigantes gasosos e das suas estrelas hospedeiras mostra que não há uma forte correlação …