Chelsea Manning saiu em liberdade ao fim de 7 anos de prisão

Facundo Arrizabalaga / EPA

Manifestação de apoio a Chelsea Manning, ex-militar responsável por passar documentos ao Wikileaks

Manifestação de apoio a Chelsea Manning, ex-militar responsável por passar documentos ao Wikileaks

A ex-analista do exército norte-americano Chelsea Manning foi, esta quarta-feira, libertada da prisão militar do Kansas, nos EUA, onde cumpriu sete anos de detenção por divulgar informação secreta apontando para crimes de guerra cometidos por militares norte-americanos. 

Chelsea Manning foi responsável pela divulgação de 700 mil documentos secretos dos EUA através da WikiLeaks, que deram origem ao “Cablegate”. Foi condenada a 35 anos de prisão mas, nos últimos dias do mandato, o ex-presidente dos EUA, Barack Obama, acedeu à comutação da pena da antiga militar para sete anos.

Através do Twitter, ex-analista do exército norte-americano confirmou a libertação. “A liberdade era apenas um sonho, difícil de imaginar. E agora está aqui! Vocês mantêm-me viva”, afirmou.

Um dia depois de ser condenada, Manning confessou numa carta que era transexual e que tinha mudado o seu nome para Chelsea. Desde então, já tentou suicidar-se duas vezes na cadeia.

Os seus advogados consideraram, no ano passado, que os maus tratos que sofreu desde a detenção em 2010, e a pena de prisão de 35 anos, estavam “a desmoralizar e a perturbar a sua saúde e humanidade”.

Amnistia saúda libertação de Chelsea Manning e quer eventuais crimes de guerra investigados

A Amnistia Internacional já saudou a libertação de Chelsea Manning da prisão militar de Fort Leavenworth, onde foi encarcerada após divulgar informação secreta apontando para crimes de guerra cometidos por militares norte-americanos.

“Hoje é o dia por que milhares de ativistas da Amnistia Internacional de todo o país e todo o mundo lutaram durante a cruel provação de Chelsea Manning”, disse a diretora executiva da Amnistia Internacional EUA, Margaret Huang.

O tratamento dado a Chelsea é especialmente revoltante pelo facto de ninguém ter sido responsabilizado pelos alegados crimes que ela denunciou”, prosseguiu a responsável.

Por essa razão, acrescentou, apesar de a AI celebrar a liberdade da cidadã norte-americana, continuará “a apelar para uma investigação independente sobre as potenciais violações de direitos humanos que ela expôs, e para que sejam criadas medidas de proteção para garantir que denunciantes como Chelsea nunca mais sejam sujeitos a tão horrível tratamento”.

Wikimedia

Chelsea Manning, ex-militar responsável por passar documentos ao Wikileaks

Chelsea Manning, a ex-militar responsável por passar documentos secretos ao Wikileaks

“A sua sentença foi muito mais longa do que as de militares condenados por assassínio, violação e crimes de guerra”, frisou a AI, que faz campanha pela libertação de Chelsea Manning desde 2013.

Além disso, notou a organização de defesa dos direitos humanos, a autora da fuga de informação do exército norte-americano foi, durante 11 meses antes de ser julgada, mantida sob custódia em condições que o Relator Especial da ONU sobre a Tortura classificou como “tratamento cruel, desumano e humilhante”.

Manning foi colocada na solitária como punição por uma tentativa de suicídio e foi-lhe negado tratamento adequado relacionado com a sua identidade de género durante o encarceramento.

“O tratamento vingativo dado a Chelsea Manning pelas autoridades dos EUA depois de ela ter denunciado potenciais crimes militares é um triste reflexo dos extremos em que quem está no poder muitas vezes cai para impedir os outros de falarem”, disse Margaret Huang.

“A libertação de Chelsea mostra que o poder do povo pode triunfar sobre a injustiça, uma mensagem inspiradora aos muitos corajosos ativistas que defendem os direitos humanos pelo mundo fora e que estão no centro da nossa nova campanha global, Brave”, acrescentou, referindo-se à iniciativa apresentada na terça-feira cujo objetivo é proteger os defensores de direitos humanos de quem os intimida, agride e mata.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Sporting vs Boavista | Leão ruge pela margem mínima

Sporting não vacilou na luta pelos primeiros lugares da Liga NOS e venceu o Boavista em casa por 1-0. Num jogo nem sempre bem disputado, mas de praticamente sentido único, faltou algum poder de fogo aos …

Tribunal reacende polémica da selfie do macaco Naruto

Um Tribunal de Apelação, nos Estados Unidos, acaba de reacender a polémica do processo da selfie do macaco Naruto. O órgão garante que ainda irá julgar uma decisão final sobre o assunto, mesmo que já tenha havido …

A pessoa mais velha do mundo morreu aos 117 anos

A mulher mais velha do mundo morreu este sábado à noite, no Sul do Japão, com 117 anos de idade. De acordo com a Associated Press (AP), Nabi Tajima, aquela que era considerada a pessoa mais …

Correntes oceânicas intensas podem ser criadas por insetos ridiculamente pequenos

Uma investigação recente concluiu que pequenos organismos marinhos podem desempenhar um papel significativo nas correntes oceânicas. Cientistas demonstraram agora que algumas das menores criaturas do oceano podem ter um impacto descomunal nas ondas do oceano, com …

Antibiótico para a artrite manchou os olhos de um norte-americano de azul

Um norte-americanos, de 70 anos, viu os seus olhos ficarem completamente manchados de azul, graças a um antibiótico para a artrite inflamatória. Olhos azuis são muito comuns, mas a parte branca dos nossos olhos - a …

Atrizes de "Smallville" envolvidas em seita de tráfico sexual. "Chloe" detida

Allison Mack, conhecida pelo seu papel na série televisiva "Smallville", foi detida e acusada de tráfico sexual pela sua alegada ligação à seita Nxivm. Allison Mack, de 35 anos, atriz da série "Smallville", deverá comparecer em …

Naturopata tratou criança de 4 anos com saliva de cão raivoso

Uma naturopata canadiana tratou um criança hiperativa de 4 anos com saliva de um cão raivoso. O anúncio surpreendeu a comunidade médica internacional, que reagiu de forma negativa. Uma naturopata canadiana assumiu no seu blogue pessoal …

Ilha troca de país a cada seis meses

No meio do rio Bidasoa, entre França e Espanha, há uma ilha que vai alternando de nacionalidade de seis em seis meses. A ilha mede apenas 38 metros de largura e 215 de comprimento, medidas que lhe …

Cientistas criam implante vaginal que promete proteger as mulheres do VIH

O novo dispositivo desenvolvido por cientistas na Universidade de Waterloo, no Canadá, faz com que o número de células do VIH que se fixam no trato genital feminino diminua. Já há um implante que protege as …

Mais de 20 mortos em protestos na Nicarágua

Mais de duas de dezenas de pessoas, entre as quais um jornalista, morreram durante os protestos na Nicarágua contra a reforma da segurança social do Governo de Daniel Ortega. A Associated Press (AP) relata que num …