Centeno vai voltar a surpreender com défice mais baixo do que o previsto

Olivier Hoslet / EPA

O ministro das Finanças, Mário Centeno

O Conselho das Finanças Públicas (CFP) reviu o défice em baixa para 0,5% em 2018, inferior ao previsto pelo Governo, e prevê que em 2019, mesmo que o Governo não faça nada, desce para 0,2%, tal como está previsto.

Na segunda edição do relatório “Finanças Públicas: Situação e Condicionantes 2018-2022” divulgado nesta quinta-feira, o CFP projecta um défice de 0,5% para 2018, abaixo dos 0,7% estimados em Março pelo organismo e também previstos pelo Governo no Programa de Estabilidade apresentado em Abril.

A actual projecção determina “um ponto de partida mais favorável para os desenvolvimentos orçamentais de médio prazo”, defende o organismo presidido por Teodora Cardoso.

O Instituto Nacional de Estatística (INE) revela na sexta-feira o défice do segundo trimestre de 2018.

Quanto a 2019, o CFP afirma que “na ausência de novas medidas de política”, o défice ficará em 0,2% do Produto Interno Bruto (PIB), tal como previsto pelo Governo, representando uma melhoria de 0,3 pontos percentuais face à projecção para 2018.

O organismo que fiscaliza o cumprimento das regras orçamentais projecta um excedente orçamental apenas a partir de 2021, de 0,6% do PIB, quando em Março antecipava o primeiro saldo positivo para 2020, de 0,1% do PIB.

A nova projecção do saldo orçamental decorre dos efeitos de medidas políticas, sobretudo ao nível das despesas com pessoal, diz o CFP.

Em causa estão o descongelamento de carreiras, os impactos relativos a “outros efeitos remuneratórios” e o aumento do número de funcionários públicos previsto pelo Ministério das Finanças para 2018 e 2019 que, de acordo com o relatório, será de 0,8% e de 0,9%, respectivamente.

Abrandamento no crescimento económico

Sobre a evolução da economia, o CFP continua a projectar um “abrandamento progressivo do ritmo de crescimento” no médio prazo, estimando 2,2% este ano, 2% em 2019, 1,7% em 2020 e em 2021 e 1,6% no último ano da projecção.

“No entanto, espera-se uma mudança na composição do crescimento em 2018, projectando-se uma transição para uma dinâmica de crescimento mais apoiada no consumo, sendo o impacto no PIB desta aceleração neutralizado pelo efeito negativo do abrandamento do investimento e das exportações”, acrescenta o organismo.

O CFP estima ainda que a dívida pública desça dos 125,7% no final de 2017 para 106,1% do PIB em 2022, uma redução de 19,5 pontos percentuais no período.

A projecção mostra uma evolução positiva para o mercado de trabalho ao longo de todo o período, com uma taxa de desemprego de 6,9% em 2018 e de 5,8% em 2022.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Israel desenvolve terapia à base de ecstasy para tratar stress pós-traumático

O Ministério da Saúde israelita desenvolveu uma terapia à base de MDMA - o componente ativo da metanfetamina popularmente conhecida como 'ecstasy' - para tratar pessoas que sofrem de stress pós-traumático resistente. Num entrevista sobre a …

Quaresma de saída do Besiktas. "Presidente não me quer na equipa"

Revelação feita pelo jogador, no Instagram: "Acabei de ser informado pelo presidente do clube que ele não quer que eu continue a jogar na equipa. Estou a tentar encontrar solução para o meu futuro". O internacional …

O Dr. House português diz que 90% dos médicos só fazem "fantochadas"

É conhecido como o Dr. House português, numa referência à série televisiva norte-americana, pela forma como faz diagnósticos certeiros. E Vítor Brotas que trabalha no Hospital dos Capuchos, em Lisboa, admite que é "um médico …

Homem morre após ataque de vespas asiáticas. É a segunda morte por picadas de insecto em 2 dias

Um homem de 79 anos de idade morreu nesta sexta-feira em Oliveira do Bairro, Aveiro, após ter sido atacado por vespas asiáticas. Dois dias antes, outro homem de 50 anos faleceu na região da Beira …

Polícia antimotim dispersa manifestantes em Hong Kong com gás lacrimogéneo

A polícia antimotim de Hong Kong carregou hoje com gás lacrimogéneo sobre manifestantes que tinham erigido uma barricada no bairro de Kwun Tong, no Este da antiga colónia britânica. Embora os protestos tenham decorrido de forma …

Eleições. CDU vai manter campanha clássica, mas dispensa o "lombo assado"

O chefe do maior partido da Coligação Democrática Unitária (CDU), que junta comunistas e ecologistas, assumiu enfado com carne assada nas jornadas e ações de esclarecimento pelo país, mas garante uma campanha eleitoral nos cânones …

Bloco quer mais funcionários públicos e quotas por raça nas universidades

O BE afirma, no programa eleitoral disponibilizado hoje na íntegra, que "é o partido que quer e pode impedir uma maioria absoluta", um resultado nas eleições legislativas que faria Portugal "voltar ao passado da arrogância …

Balas com defeito que encravam armas. PSP confirma, mas diz que não é um problema

A Polícia de Segurança Pública (PSP) confirma que estão a ser utilizadas algumas balas com defeito que até encravam as armas, nos treinos dos candidatos a agentes na Escola Prática de Polícia. Mas garante que …

Espírito Santo escondeu 30 milhões de euros na Suíça com 'barriga de aluguer'

O Banque Privée Espírito Santo (BPES), banco do Grupo Espírito Santo (GES) na Suíça que está em fase de liquidação, terá ocultado 30 milhões de euros das autoridades através de uma 'barriga de aluguer'. Esse dinheiro …

G7 começa hoje. Amazónia, Brexit e Irão discutidos por lideres mundiais

As divergências em relação ao Irão, ao Brexit, aos fogos na Amazónia e ao comércio mundial deverão marcar a cimeira das grandes potências industriais (G7) que se inicia hoje em Biarritz, França. O presidente de França, …