Centenas de pessoas na manifestação do Chega. Ventura quer afastar “fantasma” sobre racismo em Portugal

Manuel de Almeida / Lusa

Centenas de pessoas participaram este domingo em Lisboa numa manifestação promovida pelo Chega para dizer que “Portugal não é racista” e tentar afastar “esse fantasma” que assola o país sempre que algo de trágico acontece.

“Em Portugal não há racismo estrutural”, disse o presidente demissionário do Chega, em declarações aos jornalistas antes do arranque da marcha que, durante mais de uma hora, percorreu a Rua da Prata e do Ouro, terminando ao final da tarde com um intervenção de André Ventura na Praça do Município.

Defendendo que “o fantasma da hipocrisia sobre o racismo não continuará a vingar”, André Ventura reiterou que, tal como já tinha prometido, o seu partido promoverá uma marcha “sempre que a esquerda e a extrema-esquerda” insistirem em colocar o tema do racismo na agenda política.

“Nós somos um país muito peculiar em que sempre que acontece qualquer coisa mais trágica, como foi o caso do ator Bruno Candé, nós temos sempre o fantasma do racismo a assolar-nos”, salientou, insistindo que o Chega não aceita que o “racismo seja desculpa para tudo” e que quer “minorias com direitos, mas também com deveres”.

“Nós queremos, sobretudo, dizer que Portugal não é um país racista”, acrescentou, admitindo, contudo, que por vezes acontecem “episódios racistas”.

À saída dos manifestantes da Praça do Município um homem contra a manifestação – encabeçada por André Ventura, entre outros que seguravam uma faixa que dizia “Portugal não é um país racista” – criou alguma confusão, que foi, contudo, resolvida em poucos minutos com a intervenção da polícia e de alguns elementos da organização que lhe pediram para se afastar.

Entre bandeiras de Portugal e do Chega, além de uma bandeira do PSD e de outra do CDS-PP, os manifestantes percorreram a Rua da Prata e do Ouro gritando “Portugal não é racista”, “André vai em frente tens aqui a tua gente”, “minorias com direitos, mas também com deveres”, interrompendo os cânticos mais do que uma vez para cantar o hino.

Já na Praça do Município, em cima de uma carrinha transformada em pequeno palco, André Ventura quis ainda deixar o que disse ser um “recado” para o líder do PSD, Rui Rio, que, na quinta-feira admitiu conversações com o Chega com vista a entendimentos eleitorais apenas se o partido evoluir “para uma posição mais moderada”.

“Não acreditem naqueles que andam aí a dizer que nos vamos juntar com o A ou com o B. Quero dizer ao doutor Rui Rio palavras que nunca deixarão de ser as minhas palavras: o Chega aceitará governar com o PSD numa condição, quando for o Chega a mandar no Governo de Portugal, aí nós aceitaremos”, afirmou André Ventura, já depois de garantir que nunca deixará que menosprezem ou humilhem o seu partido.

A manifestação do Chega, que André Ventura chegou a chamar de “contramanifestação” de direita, aconteceu depois de na sexta-feira e no sábado se terem realizado concentrações antirracistas e antifascistas em Lisboa, Porto, Coimbra, Braga e Beja, homenageando o ator Bruno Candé, de origem guineense, assassinado na rua com quatro tiros na semana passada, em Moscavide, Loures.

Portugal “não é um país racista”, diz CDS-PP

Também neste domingo, o presidente do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, afirmou que Portugal “não é um país racista”, considerando, contudo, “evidente que existem isoladamente crimes de racismo” no país.

Em comunicado, e sem nomear o partido Chega, que organizou este domingo uma manifestação, para dizer que “Portugal não é racista”, Francisco Rodrigues dos Santos considerou contudo que “juntar centenas de pessoas nas ruas em plena crise pandémica (…) é uma imoralidade e um insulto a quem está a sofrer com esta pandemia”.

“Não vale tudo para responder à retórica da extrema esquerda e à sua visão do país que só existe na cabeça dos seus apaniguados”, sublinha Francisco Rodrigues dos Santos em comunicado, considerando que “o bom senso é o único radicalismo de que Portugal precisa”. Para o líder partidário, “é tão óbvio que Portugal não é um país racista, como é também evidente que existem isoladamente crimes de racismo”, sublinhou.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Temos que houvir mais casos do que os portugueses passaram em África quando tiveram de sair a força. Não nunca tive em África, mas penso ser uma boa oportunidade para aqueles que tanto sofreram e sempre foram ignorados, que digam como foram tratados, o que passaram, e os momentos de aflição.

  2. tanta ignorancia por aqui vai….ora comparar geracoes antigas, educacao e culturas difrentes … onde querem chegar os criticos….anda tudo maluco ou pais nao anda sem rumo… racismo e xenofobia existe e sempre existira para sempre no ser humano porque é natural e nao venham dizer que nao ou que teem teoria do caracaca….é tudo tretas….ora branco em africa, um preto na europa… querem k explique o resto….nao sejam anjinhos ou engana mundos… ninguem é inocente…. que existem pessoas e organizacoes a ganharem dinheiros destas coisas é uma autentica vergonha e uma robalheira ao orario publico, é um crime assumido decimulado dessas organizacoes e ou pesssoas…. o ser humana é como é como é, temos de nos adaptar e integrar nas culturas para onde vamos….eu estou muito longe do pais mas faco por integrar me minimamente na cultura local….

RESPONDER

Encontrado o primeiro planeta que sobreviveu à morte da sua estrela

Uma equipa internacional de astrónomos relatou o que pode ser o primeiro planeta intacto encontrado a orbitar uma anã branca, as densas sobras de uma estrela semelhante ao Sol, apenas 40% maior do que Terra. O …

Os sinais de vida em Marte podem ter sido "apagados" por ácidos

Fluidos ácidos podem ter destruído há muito as evidências de vida biológica passada dentro da argila marciana - possivelmente explicando, assim, por que é tão difícil encontrar evidências de vida antiga no Planeta Vermelho. Em pouco …

Faca feita de fezes entre os vencedores deste ano dos prémios Ig Nobel

Uma faca feita com fezes congeladas e um jacaré a arrotar são alguns dos vencedores dos prémis Ig Nobel, que distinguem as invenções mais incomuns. Os prémios Ig Nobel – uma paródia dos prémios atribuídos pelas …

O hemisfério norte teve o verão mais quente de que há registo (e isso é um sinal de alerta para a Terra)

O hemisfério teve em 2020 o verão mais quente de que há registo. No geral, o Planeta Terra teve três dos meses mais quentes, e o mês de agosto foi o segundo mais quente que …

Há uma nova explicação para o naufrágio do Titanic: Uma fantástica Aurora Boreal

Todos conhecemos a história do Titanic. Também todos sabemos que o seu naufrágio aconteceu após o grande navio ter embatido num iceberg. Contudo, um investigador americano põe novas hipóteses em cima da mesa. E se …

Famalicão 1-5 Benfica | "Águia" faminta com nota artística

Após a desilusão de Salónica, que ditou um adeus precoce dos milhões da fase de grupos da Liga dos Campeões, o Benfica goleou na noite desta sexta-feira o Famalicão por 5-1, numa espécie de redenção. Neste …

O anonimato de Banksy teve um custo. Perdeu os direitos sobre uma das suas obras mais icónicas

O famoso artista de rua britânico Banksy perdeu uma longa batalha judicial pelos direitos autorais da obra "The Flower Thrower", contra a Full Colour Black, empresa que produz postais de felicitações. Banksy, o misterioso artista que, …

Reino Unido e Espanha aumentam restrições. Itália e Alemanha com quase dois mil casos

Madrid restringe movimentos de 850 mil pessoas, Itália regista um aumento dos casos de infeção nas últimas 24 horas, britânicos enfrentam novas restrições no país e Alemanha com dois mil novos casos de covid-19. A região …

Trump novamente acusado de assédio sexual. "Enfiou a língua na minha garganta", disse Amy Doris

O Presidente dos EUA, Donald Trump, foi acusado esta quinta-feira de agressão sexual por uma ex-modelo, num episódio que alegadamente terá ocorrido num torneio de ténis, em 1997. A ex-modelo Amy Dorris relatou ao jornal britânico …

Ventura pondera suspender mandato para se dedicar à campanha presidencial

O presidente do Chega afirmou hoje que o seu partido "está a analisar" no plano jurídico a questão da suspensão temporária do seu mandato de deputado para se dedicar às campanhas dos Açores e presidenciais. Em …