Celebrar ou cancelar Napoleão? 200.º aniversário da morte do imperador desperta debate em França

Christophe Petit Tesson / Pool / AFP

No 200.º aniversário da morte de Napoleão Bonaparte, o presidente francês Emmanuel Macron optou por fazer o que os seus antecessores evitaram.

Ao escolher colocar uma coroa de flores esta quarta-feira no túmulo de Napoleão sob a cúpula dourada de Les Invalides, o presidente francês Emmanuel Macron entrou no coração das guerras culturais da França, de acordo com o The New York Times.

Segundo o Eliseu, Macron sentiu que era importante lembrar o papel de Napoleão na história da república francesa. “Napoleão é uma etapa do processo que nos leva à república”, disse um assessor presidencial. “A escravidão é uma falha de Napoleão, a república corrigiu-a e erradicou-a”.

Num breve discurso, citado pelo jornal britânico The Guardian, Macron abordou a lenda histórica, os mitos e a realidade mais sombria do governo de Napoleão sobre a França entre 1799 e 1815. Foi um delicado ato de equilíbrio para o presidente, que insistiu que estava “a comemorar, não a celebrar” o legado do imperador.

Macron disse que a reintrodução da escravidão por Napoleão foi “uma falha, uma traição ao espírito do Iluminismo”, mas acrescentou: “Amamos Napoleão porque a sua vida nos dá uma amostra do que é possível se aceitarmos o convite para correr riscos”.

“Napoleão entendeu que deveria continuar a procurar a unidade e a grandeza do país. Fê-lo através da guerra mas fez as pazes com as grandes religiões, com a arte, nunca renunciou à ideia de mérito”.

“Napoleão pode ser a alma do mundo e o demónio da Europa”, rematou Macron.

Napoleão foi um reformador modernizador cujo código legal, sistema de ensino, banco central e estrutura administrativa centralizada lançaram as bases para a França pós-revolucionária? Ou era um racista retrógrado, imperialista e misógino?

Ao prestar o seu respeito a Napoleão, Macron agrada a uma direita francesa inquieta que sonha com a glória perdida e com um momento em que, sob o seu turbulento imperador, a França se situava no centro do mundo.

Por outro lado, o papel decisivo de Napoleão como fundador do moderno estado francês tende a empalidecer ao lado do seu histórico como colonizador, guerreiro e escravizador.

Fontes próximas do líder francês retrataram o seu discurso como uma tentativa de olhar Napoleão “na cara”. Outros, no entanto, insistem que Napoleão deve ser condenado em vez de comemorado.

“Como podemos celebrar um homem que foi inimigo da República Francesa, de vários povos europeus e também inimigo da humanidade por ser um escravo?”, escreveram Louis-Georges Tin, escritor e ativista, e Olivier Le Cour Grandmaison, cientista político, no jornal francês Le Monde no mês passado.

Segundo eles, Les Invalides deveria ser transformado num museu das cinco repúblicas da França e que os restos mortais de Napoleão, como os de Franco na Espanha, deveriam ser devolvidos à sua família.

Quando Napoleão tomou o poder, derrubou a primeira república da França que foi estabelecida na revolução de 1789 que aboliu a monarquia. Famoso pelas suas proezas militares, acumulou uma série de vitórias, inclusive na Batalha de Austerlitz, que resultou num império francês que abrangia a maior parte da Europa continental.

Napoleão também reverteu os ganhos para as mulheres e a proibição da escravidão introduzida durante a primeira república.

A escravidão foi restabelecida nas colónias francesas a partir de 1802, um movimento visto por alguns como sendo motivado pelo desejo de dominar o comércio de açúcar das Caraíbas em competição com a arquiinimiga Inglaterra.

Napoleão morreu em 5 de maio de 1821 na ilha britânica de Santa Helena, no Atlântico Sul, onde havia sido exilado após a sua derrota na Batalha de Waterloo.

Com apenas 51 anos, a causa exata da morte permanece um mistério.

Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Certificado digital vai permitir livre circulação em todo o país

O Certificado digital Covid-19 da União Europeia vai também servir de "passaporte" em todo o país para cidadãos em determinadas situações, prevê o decreto-lei que o governo vai apresentar esta quinta-feira. Segundo apurou o jornal Público, …

covid, Lisboa

Travão no desconfinamento em todo o país. Porto à beira do alerta e Lisboa pode recuar 2 meses

Os números da pandemia de covid-19 "continuam a aumentar", reconhece Marta Temido numa altura em que o Governo deverá anunciar o travão no desconfinamento em todo o país. Mas a situação em Lisboa é mais …

Todos contra o Chega. Parlamento chumba projeto sobre enriquecimento injustificado

O Parlamento rejeitou projecto de lei de André Ventura sobre enriquecimento injustificado com os votos contra de todos os partidos, exceto do PAN, que se absteve, e da deputada Cristina Rodrigues. O projeto de lei de …

Canon obriga funcionários na China a sorrir para irem trabalhar

Os funcionários do escritório de Pequim da multinacional japonesa são avaliados por um sistema de inteligência artificial que determina se estão felizes o suficiente para trabalhar. A medida foi criticada por invadir a privacidade dos …

Cristiano Ronaldo é o terceiro jogador mais decisivo do Euro 2020 (atrás de um belga e de um italiano)

O italiano Marco Verratti, o belga Kevin de Bruyne e o português Cristiano Ronaldo são os três jogadores mais decisivos do Euro 2020 até agora, altura em que acabou a fase de grupos da prova. …

John McAfee encontrado morto em prisão espanhola

O criador do antivírus McAfee, John McAfee, foi encontrado morto esta quarta-feira na sua cela numa prisão espanhola, aparentemente por suicídio, horas depois de a justiça espanhola ter aprovado a extradição para seu país de …

PS nacional impõe filho de dinossauro do PSD como candidato à Maia. "Inexplicável e duvidoso"

Alguns dias depois da polémica com a escolha do candidato do PS à Câmara do Porto devido a divergências internas, há mais um caso semelhante na Maia. Teresa Almadanim retirou-se da corrida depois de ter …

Computador principal do Hubble deixou de funcionar (e a NASA ainda não sabe porquê)

O Telescópio Espacial Hubble, da NASA, está em "modo de segurança" depois de o computador principal ter deixado de funcionar repentinamente no dia 13 de junho. A 13 de junho, o computador principal do Hubble deixou …

Relatório: Lisboa enviou dados para o Irão, Arábia Saudita e (27 vezes) para a Rússia

O Relatório interno da Câmara de Lisboa sobre o caso do envio de dados de ativistas a embaixadas de países estrangeiros desculpabiliza Fernando Medina, mas revela que a CML enviou dados para o Irão, a …

Cientistas descobrem como é que o cérebro nos faz espirrar

Uma equipa de cientistas da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, identificou, em ratos de laboratório, células e proteínas específicas que controlam o reflexo do espirro. "Compreender melhor o que nos faz espirrar - de que …