OE2019. CDS prevê orçamento de “continuidade” e lamenta oportunidade perdida

António Cotrim / Lusa

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas

O CDS-PP previu esta terça-feira que o próximo Orçamento do Estado será de “continuidade” no rumo político do atual Governo, que acusou de praticar uma “austeridade dissimulada” e de perder “uma oportunidade única” de investir na economia portuguesa.

No final da reunião com o ministro das Finanças, Mário Centeno, na Assembleia da República, sobre as linhas gerais da proposta do Governo de Orçamento do Estado para 2019, a deputada do CDS-PP Cecília Meireles afirmou que a intenção já anunciada pelos democratas-cristãos de votar contra saiu reforçada.

“Continuamos com um Orçamento do Estado de continuidade face às políticas deste Governo: por um lado, perdeu-se uma oportunidade que era única de investir a sério na economia e na iniciativa privada. Em segundo lugar, faz-se a consolidação orçamental através do que temos chamado de austeridade dissimulada“, criticou Cecília Meireles.

Por essa razão, o CDS-PP voltará a apresentar propostas de alteração – como fez em todos os anteriores Orçamentos deste Governo socialista –, que passarão, por exemplo, pelo retomar da reforma do IRC interrompida nesta legislatura pelos socialistas e pela eliminação da “sobretaxa” do imposto sobre os combustíveis (ISP).

“O Governo vai apresentar um Orçamento de continuidade e, da mesma forma e consistentemente, o CDS apresentará as suas propostas alternativas à política deste Governo”, afirmou.

Em declarações aos jornalistas e acompanhada pelo deputado do CDS-PP João Almeida, a também ‘vice’ da bancada salientou que o partido discordou do rumo do atual Governo “desde o primeiro Orçamento”.

“Numa legislatura em que Portugal podia finalmente respirar sem a troika e com uma conjuntura altamente favorável, com juros baixos e a Europa em franco crescimento, Portugal devia aproveitar a oportunidade para entrar num rumo de crescimento a sério que lhe permitisse também convergir com a Europa a sério”, afirmou.

Para Cecília Meireles, “não foi esse o rumo decidido por este Governo“, nem no início, nem agora que vai entrar no último ano do seu mandato.

A deputada do CDS-PP apontou ainda que, nos últimos orçamentos, o executivo não realizou a despesa que previu inicialmente, o que, considerou, “torna cada vez menos credível a discussão orçamental”.

Questionada sobre as propostas que os democratas-cristãos irão apresentar na discussão na especialidade, Cecília Meireles considerou que ainda “é precoce” fazer essa listagem definitiva, mas assegurou que haverá “uma continuidade” em relação ao que aconteceu em anos anteriores.

Tal como já tinha afirmado hoje a presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, a deputada do CDS-PP apontou a continuidade da reforma do IRC e a eliminação da sobretaxa do ISP como duas propostas que constarão seguramente do elenco das alterações ao OE que os democratas-cristãos irão propor.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Tribunal dos Estados Unidos confirma 18 anos de prisão para familiares de Maduro

Um tribunal de apelação de Nova Iorque ratificou a condenação a 18 anos de prisão de dois familiares do Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, por conspiração para enviar droga para os Estados Unidos. "Fica ordenado, julgado …

Ana Gomes espera "verdadeiro Portugal Leaks" com Rui Pinto a colaborar com a justiça

A antiga eurodeputada Ana Gomes considerou que “é um verdadeiro Portugal Leaks” que se pode esperar a partir de agora, depois de Rui Pinto aceitar colaborar com a justiça portuguesa. O criador do Football Leaks e …

Exames nacionais adiados. Terceiro período arranca a 14 de abril (mas à distância)

Esta quinta-feira, António Costa falou ao país para anunciar que o 3.º período irá recomeçar no dia 14 de abril, mas sem aulas presenciais. Os exames nacionais do ensino secundário foram adiados para julho e …

TAP. Estado equaciona reformas antecipadas sem penalizações

O Jornal Económico escreve esta quinta-feira que o Estado pondera avançar com reformas antecipadas sem penalizações na TAP, visando assim diminuir o impacto da pandemia de covid-19 na companhia aérea portuguesa. Apesar de a empresa ter …

Santa Maria ganha 40 camas para os cuidados intensivos

A maior unidade hospitalar do país reforçou capacidade dos Cuidados Intensivos para os doentes infetados, passando das atuais 80 camas para cerca de 120. O Hospital Santa Maria, em Lisboa, vai quadruplicar a sua capacidade …

"Isto é criminoso". Estivadores dizem que há risco de portos pararem

"Da forma como estamos a trabalhar nos portos, corremos o risco de todo o contingente ficar parado, porque não há nenhum cuidado em termos de criar equipas rotativas", garantiu o líder sindical. O presidente do Sindicato …

Demitiu-se o diretor do serviço de cirurgia e transplantação do Curry Cabral

Américo Martins demitiu-se esta quarta-feira por ter visto impedida a proposta de reorganização com circuitos independentes no hospital. O diretor do Serviço de Cirurgia Geral e Transplantação do Hospital Curry Cabral, Américo Martins, demitiu-se esta quarta-feira …

Bancos impedidos de cobrar comissões por operações digitais. Acesso a jogos online limitados

Os bancos vão ficar impedidos de cobrar comissões por operações de pagamento através de plataformas digitais dos prestadores de serviços, segundo uma proposta do PEV com alterações do PS aprovada no Parlamento. O projeto de lei …

Pessoas assintomáticas devem usar máscara, diz Centro Europeu de Controlo de Doenças

Num relatório divulgado na quarta-feira, o Centro Europeu de Controlo de Doenças (ECDC) referiu que as máscaras podem reduzir a propagação do novo coronavírus de pessoas assintomáticas, recomendando a sua utilização. De acordo com o Público, …

Portugal ultrapassa as 400 vítimas mortais. Cordão sanitário em Castro Daire equacionado

Portugal regista esta quinta-feira 409 mortos associados à covid-19, mais 29 do que na quarta-feira, e 13.956 infetados (mais 815), segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS). Trata-se de um aumento de 6% …