/

É oficial. Casillas é candidato à presidência da federação espanhola

FCPorto / Facebook

Iker Casillas

O guarda-redes espanhol anunciou, esta segunda-feira, que vai candidatar-se à presidência da Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF), confirmando o fim próximo da carreira profissional.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

“Sim, vou candidatar-me à presidência da RFEF quando se convocarem eleições. Juntos vamos pôr a nossa federação à altura do melhor futebol do mundo: o de Espanha”, afirmou Iker Casillas no Twitter.

Os rumores de que Casillas iria candidatar-se à liderança da RFEF começaram na semana passada, sobretudo depois o programa El Larguero, da rádio Cadena SER, ter afirmado que o futebolista já tinha anunciado a sua decisão ao Conselho Superior do Desporto espanhol.

A mesma fonte revelou ainda que o guarda-redes falou com os seus antigos companheiros de seleção de modo a perceber se a sua candidatura contra o atual presidente da RFEF, Luis Rubiales, recolhia apoios.

 

O guarda-redes espanhol tinha anunciado, em setembro do ano passado, que revelaria o seu futuro em março, depois de quase um ano parado, devido ao enfarte sofrido num treino dos dragões, em maio, que o obrigou a uma intervenção cirúrgica.

Desde então, não voltou a jogar, mas manteve-se ligado ao FC Porto, permanecendo a dúvida quanto a um regresso à competição, embora o presidente da Liga espanhola, Javier Tebas, tenha chegado a dizer que Casillas admitia voltar.

O futebolista, de 38 anos, oficializa agora o final da carreira enquanto jogador, ainda que o seu último jogo tenha sido disputado a 26 de abril de 2019, com um empate na visita ao Rio Ave (2-2), para a I Liga portuguesa.

Após o enfarte e já no período de recuperação, o FC Porto anunciou que o espanhol iria integrar, enquanto recuperava, o “staff diretivo da equipa de futebol”, mas chegou a inscrevê-lo na I Liga para a atual época.

O guarda-redes chega às eleições da RFEF identificado como uma das figuras mais conceituadas do futebol mundial, após uma carreira em que se notabilizou, sobretudo, na seleção espanhola e no Real Madrid.

Com a la roja conquistou um Campeonato do Mundo (2010) e dois Europeus (2008 e 2012), além de vários prémios, e nos merengues conquistou três Ligas dos Campeões, um Mundial de clubes, uma Taça intercontinental e duas supertaças europeias.

Na Liga espanhola foi campeão cinco vezes, sempre com o seu clube desde a formação, o Real Madrid, pelo qual venceu ainda duas Taças do Rei e quatro supertaças espanholas. Em Portugal, onde chegou 2015/16 para representar o FC Porto, conquistou apenas um título nacional (2017/18) e uma supertaça (2018).

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.