Três metros quadrados por 200 euros por mês. “Casas colmeia” revoltam Espanha

As “casas colmeia” chegaram a Espanha, mas as autoridades de Barcelona já anunciaram que não vão autorizar a comercialização destas cápsulas de três metros quadrados. “Não é uma solução adequada, mas é melhor do que viver na rua”, afirma a empresa.

Cápsulas de três metros quadrados por 200 euros por mês. Este é o conceito das “cápsulas colmeia” que acabam de chegar ao nosso país vizinho, uma nova mas muito controversa solução habitacional proposta em Barcelona pela empresa Haibu 4.0 que está a indignar Espanha.

O propósito da empresa é ajudar a resolver “toda uma série de problemas que costumamos encontrar em qualquer cidade importante ao nível da habitabilidade”.

No entanto, a ideia que acaba de chegar, acaba também de receber o travão por parte de Barcelona. As autoridades anunciaram esta quinta-feira que não vão autorizar a comercialização destas pequenas cápsulas de três metros quadrados.

“As regras dizem que cada casa deve ter uma superfície de pelo menos 40 metros quadrados, o que significa que esta empresa nunca vai obter as licenças necessárias”, disse ao El País o vereador Josep Maria Montaner. “Felizmente, acumular pessoas é proibido. A lei não autoriza este tipo de soluções.”

Esta ideia incendiou o país, tendo causado um verdadeiro reboliço nas redes sociais. “Nos cemitérios também há casas assim, chamam-se caixões“, escreveu um político do Podemos, Íñigo Errejón, no Twitter.

As cápsulas estavam a ser anunciadas há já algumas semanas e baseiam-se em 15 espaços agrupados numa “colmeia” de 100 metros quadrados, por 200 euros por mês, e são destinadas a residentes que não conseguem suportar a escalada de rendas na capital da Catalunha.

“Cada espaço tem 120 cm de largura, 120 de altura e dois metros de comprimentos. Dentro há uma cama que se pode levantar para pôr malas, uma cabeceira que também pode ser usada para arrumação, uma mesa desdobrável, prateleiras, uma tomada e um carregador USB”, explica Edi Wattenwil, da Haibu 4.0.

Estas cápsulas gozam de espaços comuns, como a cozinha e a casa de banho, e as despesas de eletricidade e água, assim como a limpeza dessas áreas comuns, estão incluídas no preço.

Esta ideia pretende acabar com a “injustiça” de ver cidadãos a dormir na rua ou num hostel por estarem a atravessar uma fase difícil. “A nossa empresa permite que vivam com dignidade por 200 euros por mês”, afirma Wattenwil, acrescentando que a empresa já recebeu mais de 500 candidaturas.

Obviamente que isto não é uma solução habitacional adequada. Ninguém quereria isto para si próprio. Mas ninguém quer um salário mensal de 500 euros e infelizmente eles existem. Em vez de viverem na rua, oferecemos isto”, diz outro dos empreendedores da Haibu 4.0 à AFP.

Para fazer parte desta “colmeia” é preciso, porém, cumprir alguns requisitos: ter entre 25 e 45 anos, não ter antecedentes criminais, e um rendimento mínimo de 450 euros por mês.

Apesar de Barcelona assumir que irá cortar esta ideia pela raiz, a empresa espera vingar noutra cidade europeia, como Copenhaga ou Roma.

ZAP // RT

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Creio que o ser humano se pudesse transformar o planeta numa colmeia só para ele que o faria de boa vontade sem deixar espaço a qualquer outro ser vivo, talvez para lá caminhamos mas a tentativa se encarregará de nos extinguir antes que tal aconteça.

  2. Por 250€ mês aluga-se um T1 ou até T2 que não se compara a esses cubículos propícios a claustrofobia.
    Como é que alguém acha justo pagar 200€ por mês por uma m€rda de um espaço minúsculo desses, é mesmo indecente e vergonhoso a ganancia das pessoas, que nojice.

    • Em Barcelona os preços infelizmente são bem mais elevados… daí esta iniciativa, já muito usada no Japão em cidades como Tóquio. Como já é costume, o título desta notícia é enganador, assim como os primeiros parágrafos: não são 3m2 por 200€. Trata-se de um edifício com todos os espaços normais, com tamanhos normais ou até acima do normal – salas, casas de banho, espaços de trabalho e podem ter até zonas de cinema e ginásios. Só as zonas de dormir, em vez de quartos (o mínimo em Portugal são 8m2) não existem, e faz-se aluguer de zonas de dormir de 3m2, que aliás é bem melhor que as Pousadas da Juventude, com a malta toda a dormir uns à vista dos outros. Aqui, pelo menos, há um mínimo de privacidade. Para estudantes, e já agora pessoas com rendimentos baixos, é uma solução que permite, mesmo com salários baixos, criar poupança e melhorar continuamente o seu estilo de vida. Nem todos gostam de se endividar para a vida com créditos à habitação…

RESPONDER

Empresa portuguesa quer produzir alface em câmaras frigoríficas (e podem ser levadas para Marte)

A empresa Grow to Green promete que vai produzir alimentos indoor. É possível gastar menos 98% de água na produção de alface, o que permite cultivá-lo diretamente no supermercado, no deserto ou, quem sabe um …

May rejeita novo referendo, apresenta Plano B do Brexit e pede ajuda à oposição

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, rejeitou esta segunda-feira convocar um segundo referendo sobre o Brexit e afirmou que espera voltar a debater com a União Europeia o controverso plano de salvaguarda elaborado para …

Porto vende 35 mil francesinhas por dia (e os turistas adoram)

O Porto vende pelo menos 35 mil francesinhas por dia nos mais de 700 cafés e restaurantes da cidade, o que significa que por mês há cerca de um milhão daquelas sanduíches especiais a serem …

China limita número de alpinistas autorizados a escalar Everest

O número total de alpinistas que tentam alcançar o topo do Everest, a 8.850 metros de altitude, a partir do norte, serão limitados a menos de 300, e a temporada de escalada será restringida à …

Rede francesa de solidariedade acolhe brasileiros que queiram fugir de Bolsonaro

Solidarité Brésil é o nome da iniciativa, lançada esta sexta-feira, em Paris, que tem como objetivo ajudar estudantes, artistas ou intelectuais que se sintam ameaçados no Brasil de Jair Bolsonaro. Podem ser estudantes, investigadores, artistas, professores, …

Todos os dias cinco portugueses tornam-se britânicos

Todos os dias, em média, cinco emigrantes portugueses tornam-se britânicos. Só entre janeiro de 2017 e setembro de 2018, 2.655 emigrantes no Reino Unido conseguiram obter cidadania britânica, número que supera o total de autorizações …

O maior encontro religioso do mundo leva 150 milhões de pessoas à Índia

Até 04 de março, são esperados na cidade indiana Allahabad cerca de 150 milhões de peregrinos, que buscam proteção e purificação nas águas que cruzam os rios sagrados Ganges, Yamuna e Saraswati, durante aquele que é …

Ciclistas indignados com anúncio que mostra bicicleta a ser abalroada

Um anúncio de publicidade do Continente em que um ciclista é abalroado por um automóvel está a gerar indignação. A Federação Portuguesa de Ciclismo já pediu a retirada do anúncio e apresentou queixa à Entidade …

Hoje, Wall Street parou. É dia de Martin Luther King Jr

Desde 1986 que se realiza, nos EUA, na terceira segunda-feira de janeiro, o dia de Martin Luther King Jr., um feriado federal. A bolsa de Nova York estará encerrada, assim como a maior parte das …

Vaticano acusado de conhecer má conduta de bispo argentino desde 2015

O Vaticano recebeu informações entre 2015 e 2017 de que um bispo argentino próximo do papa exibia um comportamento "obsceno" e foi acusado de má conduta com seminaristas, segundo um religioso citado pela Associated Press. As …