Cartoonista Vasco Gargalo alvo de ameaças de morte devido a cartoon sobre Israel

(dr) Vasco Gargalo

Em declarações à agência Lusa, o cartoonista português Vasco Gargalo revelou ter recebido ameaças de morte e acusações de antissemitismo por causa de um cartoon sobre Israel publicado em novembro passado.

“É mais um sinal de que a comunidade judaica não pode ser criticada. Cada vez que isso acontece [é-se] logo acusado de antissemita. É uma perseguição para aniquilar o meu trabalho”, lamentou o português à agência noticiosa.

Em causa está um cartoon, intitulado “Crematório“, que Vasco Gargalo publicou online, na plataforma Cartoon Movement a 15 de novembro de 2019 e que republicou na semana passada, num comentário ao plano de paz para o Médio-Oriente apresentado pelos EUA.

O cartoon, que faz uma alusão ao Holocausto, mostra o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, a empurrar um caixão, coberto com a bandeira palestiniana, para um crematório onde está inscrito “Arbeit Macht Frei” (“O trabalho liberta”), replicando a frase que está na entrada do campo de concentração nazi de Auschwitz.

É a minha visão sobre este ataque. Quando fiz o cartoon sabia que era forte, que ia tocar na questão das vítimas do Holocausto, mas na verdade não acrescento nada ao que vejo. É uma comparação que fiz do conflito israelo-palestiniano”, disse Vasco Gargalo.

O cartoonista fala em ameaças de morte e injúrias, de pessoas da comunidade judaica em Portugal e no estrangeiro, de uma “enorme pressão sobre os media”.

Prémio deverá ser retirado

Segundo Vasco Gargalo, é quase certo o desvinculamento da revista Courrier International, uma das publicações com as quais trabalha, e a retirada do Prémio Plumes Libres que a publicação lhe atribuiu em novembro passado, mas mantém a relação laboral com a revista Sábado e com o jornal Correio da Manhã.

“Não me incomoda a retirada do prémio, não vai influenciar a minha forma de desenhar. No dia em que me sentir pressionado deixo de fazer o meu trabalho. O que eu quero saber é até que ponto uma publicação como o Courrier International defende a liberdade de expressão, se ceder a pressões internacionais”, afirmou.

Garantindo que “vai lutar pela liberdade de expressão e pela liberdade de imprensa”, disse que vai reportar o caso à associação Cartooning For Peace, da qual faz parte.

Na quarta-feira, a organização judaica internacional de direitos humanos B’nai B’rith acusou Vasco Gargalo de estar a “demonizar o Estado de Israel” ao compará-lo ao regime nazi, e incitou a revista Sábado a desvincular-se do cartoonista, embora a revista nunca tenha publicado o cartoon em causa.

À agência Lusa, o diretor da Sábado, Eduardo Dâmaso, afirmou esta quarta-feira que não há nenhuma razão para a revista portuguesa terminar a relação contratual com o cartoonista, sublinhando a defesa da “liberdade de criação” do autor.

A polémica com António

Esta polémica ocorre meses depois de o cartoonista português António ter sido também acusado de antissemitismo com um cartoon publicado na edição internacional do New York Times. O jornal pediu desculpa e deixou de publicar cartoons na sequência deste caso.

Nesse cartoon, o Presidente dos EUA, Donald Trump, aparece com um ‘kipá’ (símbolo judaico) e óculos escuros a ser conduzido por um cão-guia com a cara de Netanyahu.

Na altura, a direção do jornal norte-americano pediu desculpa pela publicação e justificou-se dizendo que tinha sido o resultado da decisão isolada de um editor, que não reconheceu o potencial de leitura antissemita, e rompeu o contrato com a empresa de serviço de distribuição de cartoons que trabalhava com vários cartoonistas internacionais, entre eles o português António (António Antunes).

Na altura em que o seu cartoon foi alvo de polémica, António já tinha denunciado a “vulnerabilidade” do jornal nova-iorquino ao que considerou ser “grupos de pressão” com grande influência na sua linha editorial. “Provavelmente, tem a ver com as suas linhas de financiamento. Não sei. É um espetáculo triste”, lamentou António.

ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. A caneta é mais poderosa que a espada, podem matar jornalistas, opositores, cartoonistas, mas nunca poderão matar as Ideias e a liberdade de as expressar, mesmo se alguns se sentirem incomodados. Já me senti descontente em certas ocasiões, mas tenho que respeitar a liberdade de expressão !

  2. “o potencial de leitura antissemita” …. agora até já se faz censura por causa do potencialmente ser interpretado como antissemita…
    Até porque hoje tudo o que seja criticar os judeus/israel é antissemitismo…
    Criticar atitudes de pessoas de raça negra ou de raça cigana é também racismo…
    Criticar posições extremadas de feministas radicais é considerado de machismo…
    Tudo é usado como arma para bloquear a liberdade de expressão!

RESPONDER

Já é possível ouvir a Via Láctea. NASA transforma dados de corpos celestes em música

A NASA converteu dados de astronomia em sons, permitindo ouvir composições musicais derivadas da própria estrutura do Universo. Especialistas da NASA transformaram dados da Via Láctea em sons graças a um processo conhecido como sonificação. …

Federer acusado de manobrar a tabela ATP

Contas da associação de tenistas foram alteradas por causa do coronavírus. Roger Federer está no quinto lugar mas só disputou um torneio ao longo de 2020. Em ano anormal, contas anormais: a tabela oficial da Associação …

Astrónomo do Instituto SETI garante que vamos encontrar extraterrestres até 2036

Seth Shostak, astrónomo e astrofísico do Instituto SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence) está convencido de que os humanos vão encontrar uma civilização extraterrestre inteligente até 2036. “O SETI duplica a velocidade aproximadamente a cada dois anos …

Mais leve e elegante. Assim é a nova e-bike que vai chegar às ruas da Europa

A startup Urban Cycles Oy, com sede em Helsínquia, demarcou uma espécie de lacuna no mercado europeu de bicicletas elétricas e por isso quis preenchê-la. O objetivo era produzir uma bicicleta elegante e mais leve. Um …

Incêndio reduz a maior ilha de areia do mundo a metade. É Património da Humanidade

Quase metade de Fraser, a maior ilha de areia do mundo, que se situa no nordeste da Austrália e foi classificada como Património da Humanidade pela UNESCO, foi destruída por um incêndio florestal. O incêndio queimou …

"Toca de bruxaria" permaneceu até agora numa casa do século XVI. Encontrados crânios de cavalo e veneno

Uma casa cheia de objetos ocultos foi recentemente alvo de grande interesse. O espaço estava localizado dentro de numa casa do século XVI no País de Gales, e encontrava-se repleto de objetos ocultos, incluindo crânios …

Em 1843, o primeiro cartão de Natal foi considerado "escandaloso" (agora vai ser leiloado pela Christie)

Um exemplar do primeiro cartão de Natal impresso comercialmente, em 1843, que retratava uma cena da era vitoriana que escandalizou a população, vai ser posto à venda esta sexta-feira e é considerado um item raríssimo. Este …

Marcelo quer alívio de restrições no Natal sem pôr em xeque janeiro

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou esta sexta-feira esperar que a "possível exceção" no Natal ao quadro de restrições para conter a covid-19 "seja bem entendida e bem vivida" e não provoque …

Bill Gates diz que o mundo estará de volta à normalidade já na primavera de 2021

Bill Gates, que desde 2015 tinha vindo a lançar alguns alertas sobre uma possível pandemia, deixou agora uma mensagem de esperança ao dizer que acredita que os EUA irão voltar ao normal na primavera de …

Mais um passo na hegemonia. China constrói aldeia nos Himalaias, em zona também disputada pela Índia e pelo Butão

Novas imagens de satélite mostram que a China construiu uma aldeia nos Himalaias, ao longo de uma fronteira que também é disputada pela Índia e pelo Butão, e que foi palco de um impasse agressivo …