Carta de sobrevivente do Holocausto entregue ao destinatário 75 anos depois

(dr) Verzetsmuseum

Uma carta de um sobrevivente do Holocausto que detalha a vida num campo de concentração nazi foi finalmente entregue ao seu destinatário, 75 anos depois de ter sido escrita.

De acordo com a revista Newsweek, com a data de 7 de maio de 1945, a carta foi escrita por Jules Schelvis para a família e trata-se da primeira evidência de um sobrevivente holandês do campo de concentração de Sobibor, na Polónia.

“Gretha, David, Hella, Chel e Herman foram gaseados, tenho 99% de certeza,  imediatamente após a chegada ao SS Sonderlager Sobibor, perto de Lublin. Vai ser doloroso ler tudo isto, mas tenho de dizer-lhe mesmo assim”, lê-se na carta, traduzida pela revista norte-americana.

“Escrevo tudo isto com muita frieza porque as muitas coisas que vi e experienciei nos últimos tempos tornaram-me mais duro”, lê-se ainda.

Segundo a mesma publicação, Schelvis foi um dos 18 detidos holandeses que viveu neste campo de concentração depois de ter sido destruído pelos alemães em 1943.

O holandês escreveu esta missiva quando estava no hospital Vaihingen, perto de Estugarda, nos últimos dias da II Guerra Mundial, e entregou-a a outro sobrevivente da mesma nacionalidade que iria regressar ao país.

Schelvis escreveu três endereços no envelope, na esperança de que alguém ainda estivesse vivo para receber a carta, porém esta nunca chegou, conta a Newsweek, que acrescenta que esta foi agora descoberta pelo investigador Jos Sinnema.

“Eu caí da cadeira. Parecia uma cápsula do tempo, algo que você abre depois de estar fechado durante muito tempo. Era algo que a família deveria receber. É muito especial mas, ao mesmo tempo, é oneroso, porque fui a primeira pessoa a ler uma coisa que não foi escrita para mim”, explicou o investigador à rede televisiva Nederlandse Omroep Stichting.

75 anos depois de ter sido escrita, Sinnema conseguiu finalmente entregar a carta, no último domingo, a Karel Stroz, um primo de Schelvis, com 90 anos, que ainda vive em Amsterdão.

O familiar disse que é provável que o holandês que tinha a tarefa de lhe entregar esta missiva, Nico Staal, não tenha conseguido encontrá-lo nas semanas caóticas do pós-guerra, pois não era possível enviar cartas pelo correio.

Segundo a mesma revista, cerca de 180 mil prisioneiros predominantemente judeus, 33 mil deles provenientes da Holanda, foram assassinados naquele campo de concentração. “Sobibor foi uma fábrica de assassinatos. Quase todos foram gaseados imediatamente após a sua chegada”, declarou Sinnema ao jornal Het Parool.

Schelvis, que morreu em 2016 aos 95 anos de idade, dedicou a sua vida para garantir que os horrores deste campo de concentração nazi não seriam esquecidos.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Uma prenda de aniversário. Israelita doou um dos seus rins a um menino palestiniano

Uma israelita quis doar um rim a um estranho. Estranho esse que acabou por ser uma criança, de apenas três anos, que vive na Faixa de Gaza, na Palestina. De acordo com a agência Associated Press, …

Novo método permite eliminar a bioincrustação marinha eficazmente

Um projeto inovador demonstrou como os revestimentos de superfície eletricamente carregados podem eliminar a bioincrustação marinha ou o crescimento de organismos marinhos, melhorando a operação e manutenção de embarcações navais. A bioincrustação marinha é um fenómeno …

Aglomerado de safiras estrela encontrado no Sri Lanka pode ser o maior do mundo

Um aglomerado de safiras estrela do mundo foi encontrado num quintal no Sri Lanka. A pedra é azul, pesa 510 quilos e estima-se que valha cerca de 84 milhões de euros. A pedra foi encontrada …

Médico sírio acusado na Alemanha de crimes contra a humanidade

Um médico sírio foi acusado na Alemanha de crimes contra a humanidade por supostamente torturar e matar pessoas em hospitais militares no seu país de origem, informaram os promotores na quarta-feira. O Ministério Público Federal de …

Justiça climática. Vamos todos sofrer com as alterações climáticas, mas não de forma igual

A recente onda de calor na América do Norte é mais um exemplo de que apesar de ser um problema global, as alterações climáticas não vão afectar todos igualmente e podem exacerbar injustiças sociais e …

Os exemplos que Portugal deve seguir (e evitar) nas últimas etapas da pandemia

No plano apresentado pela equipa de Raquel Duarte comparam-se as estratégias opostas adotadas por Israel e Reino Unido, com a segunda a merecer nota negativa por parte dos investigadores. Os dados foram lançados na reunião que …

Jogos da Taça da Liga de sábado adiados para domingo para poderem ter público

O presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) anunciou, esta quinta-feira, que os jogos da Taça da Liga agendados para sábado vão ser adiados para domingo, para que possam ter público nas bancadas. "A Liga, …

Dinamarca enfrenta acção legal por querer repatriar refugiados sírios

O governo dinamarquês quer repatriar sírios naturais de Damasco depois de um relatório mostrar que há zonas da Síria onde a segurança melhorou. A decisão está a ser criticada por activistas e o caso pode …

Pela primeira vez, foi observada luz por detrás de um buraco negro

Um estudo divulgado esta quarta-feira revelou a primeira observação direta da luz por detrás de um buraco negro, através da deteção de pequenos sinais luminosos de raios-X, confirmando a Teoria da Relatividade Geral, de Einstein. Segundo …

Cheias atingem campos no Bangladesh. Pelo menos seis refugiados Rohingya mortos

Pelo menos seis refugiados Rohingya morreram após as cheias inundarem os campos de refugiados em Bangladesh nos últimos dias, destruindo os abrigos de bambu e plástico e deixando pelo menos 5.000 desabrigados, informou o Alto-comissariado …