Capitão e três tripulantes do ferry sul-coreano acusados de homicídio involuntário

BBC / YouTube

O Sewol afunda-se

O Sewol afunda-se

Quatro membros da tripulação do ferry sul-coreano que naufragou a 16 de abril, com 476 pessoas a bordo, foram hoje acusados de homicídio involuntário.

O capitão do Sewol, Lee Joon-Seok, dois navegadores e um mecânico são suspeitos de terem abandonado o ferry quando este se estava a afundar, ordenando aos passageiros para não saírem das cabinas, escreve a AFP.

É também apontada a circunstância agravante de terem chegado à costa no primeiro barco de socorro e trocado os uniformes por roupas civis, conscientes de que a tripulação só se retira depois de garantir a segurança dos passageiros, disseram investigadores ao jornal Munhwa Ilbo.

Os quatro membros da tripulação podem incorrer mesmo em pena de morte, segundo a agência noticiosa francesa que ressalva, porém, que tal é pouco provável. A pena capital é raramente aplicada na Coreia do Sul devido a uma moratória que se seguiu à última execução em 1997. Sessenta condenados esperam atualmente no corredor da morte.

281 mortos e 23 desaparecidos

O mais recente balanço oficial do naufrágio do ferry é de 281 mortos e 23 desaparecidos. As vítimas eram maioritariamente alunos que seguiam no ferry numa viagem escolar.

Os mergulhadores encontraram dezenas de jovens, equipados com coletes salva-vidas, mortos no interior do ferry, cuja inclinação era demasiado elevada para que pudessem chegar aos compartimentos superiores quando a ordem de evacuação foi finalmente dada.

De acordo com um porta-voz da guarda costeira, Ko Myung-Suk, cinco corpos foram recuperados na quarta-feira.

Os resultados preliminares do inquérito indicam que a carga transportada pelo ferry era três vezes superior ao recomendado. O navio estaria também menos resistente devido à instalação de cabinas suplementares desde a sua compra em 2012.

As famílias das vítimas reclamam explicações à organização das operações de socorro, que consideram ter sido demasiado lentas. Os familiares querem saber por que razão o primeiro corpo só foi retirado do interior do navio três dias depois do acidente.

Muitos familiares defendem que alguns jovens conseguiram sobreviver durante várias horas ou dias, mas que terão perecido devido ao atraso na intervenção.

Responsabilização

Kim Han-Sik, diretor geral da companhia marítima proprietária do ferry, a Chonghaejin Marine Co., detido na semana passada, deverá responder pelo excesso de carga do ferry e por modificações na estrutura que terão afetado a navegação.

Desde o naufrágio do Sewol, na manhã de 16 de abril, foram detidos 15 membros da tripulação, incluindo o capitão, e quatro dirigentes da Chonghaejin Marine Co.

O Governo e a Presidente sul-coreana, Park Geun-Hye, apresentaram entretanto pedidos de desculpa pelo incidente.

“Lamento que muito não ter sido capaz de corrigir os males que se arrastam há muito tempo e permitiram a ocorrência deste acidente”, afirmou Park Geun-Hye, num discurso transmitido pela televisão no final de abril. A chefe de Estado sul-coreana também lamentou a “insuficiência” dos primeiros socorros.

O primeiro-ministro, Chung Won Hong, demitiu-se, permanecendo em funções até ao fim da operação de resgate dos corpos.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Turistas podem circular entre concelhos apesar das restrições

Apenas os turistas estão autorizados a circular entre concelhos, apesar das restrições que vigoram entre 30 de outubro e 3 de novembro, indicou a AHRESP, citando um esclarecimento do Executivo. Segundo o esclarecimento enviado pelo gabinete …

É preciso esforço grande agora para salvar o Natal, alerta Santos Silva

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, disse esta quarta-feira ser necessário “um esforço muito grande” para travar a propagação do coronavírus ” para salvar o Natal” das famílias dos cerca de 5 milhões …

"É uma treta". Ronaldo publica (e depois apaga) crítica a teste à covid-19

O futebolista Cristiano Ronaldo, capitão da seleção portuguesa, modificou a publicação efetuada esta quinta-feira no Instagram, tendo retirado a frase “PCR é uma treta”, em referência ao teste de despiste à presença do novo coronavírus. Um …

PSD confiante em geringonça, mas Ventura lembra que não tem "duas caras". Carlos César quer PS no poder

Com a solução governativa dos Açores em aberto, André Ventura já disse que está fora de questão integrar uma geringonça com "partidos do sistema", mas admite viabilizar um Governo do PSD na região com algumas …

Lage rasga elogios a João Félix. "Vai ser uma das referências do futebol europeu e mundial"

O antigo técnico do Benfica Bruno Lage teceu rasgados elogios ao internacional português João Félix, que esta terça-feira somou dois golos e fez uma boa exibição no jogo do Atlético de Madrid frente ao RB …

"Sentimo-nos em Itália". Médicos do Tâmega e Sousa contradizem hospital e reiteram situação de rutura

Médicos do Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa (CHTS) ouvidos pelo semanário Expresso reiteram que os hospitais que integram o centro, o de Penafiel e o de Amarante, se encontram perto da rutura, contradizendo a …

Vieira reeleito em votação histórica para o sexto (e último) mandato

O presidente do Benfica esta quarta-feira eleito para um sexto mandato, manifestou "orgulho" por vencer o ato eleitoral mais concorrido da história do clube e apelou a que os benfiquistas "respeitem os resultados" do escrutínio. "Vencer …

Bélgica anuncia confinamento parcial. Ministro visita hospital e mostra-se "chocado" com o que viu

O chefe do governo federal na Bélgica anunciou ontem novas medidas de confinamento que entraram em vigor à meia-noite em todo o território. Em causa está uma crescente preocupação com o aumento de infetados que, …

O caso mais antigo de osteopetrose foi descoberto no esqueleto de um homem da Idade do Ferro

Uma equipa de cientistas alemães descobriu o caso mais antigo conhecido de osteopetrose, ou doença dos "ossos da pedra", nos restos mortais de um homem de 20 anos da Idade do Ferro. A osteopetrose é uma …

Orçamento sem favas contadas. Governo depende mais do PCP (que aproveita para apertar o cerco)

A aprovação do Orçamento do Estado para 2021 na generalidade, que contou com o voto contra do Bloco de Esquerda e a abstenção do PCP, deixou o Governo mais dependente da apreciação final do documento …