Marcelo e Tancos? Candidatos não querem que este seja um caso de eleições

Manuel de Almeida / Lusa

Jerónimo de Sousa, secretário-geral do Partido Comunista Português

Em plena campanha eleitoral, todos os candidatos com assento parlamentar se recusam a comentar o caso de Tancos, não querendo fazer dele um tema de eleições.

O Presidente da República reiterou, esta quarta-feira, nunca ter sido informado sobre o alegado encobrimento na recuperação das armas furtadas de Tancos, e sublinhou que “é bom que fique claro” que “não é criminoso”.

As declarações de Marcelo Rebelo de Sousa vêm no seguimento da notícia da TVI, que avançou ontem que o major da PJ-Militar, Vasco Brazão, se referiu, numa escuta telefónica, ao Presidente da República, como o “papagaio-mor do reino”, que, segundo ele, sabia de tudo. Entretanto, o advogado do major, Ricardo Sá Fernandes, veio garantir que a referência em causa não pretendia visar o chefe de Estado.

Em plena campanha eleitoral, todos os candidatos com assento parlamentar se recusam a comentar o caso, não querendo fazer dele um tema de eleições. Prova disso é o primeiro-ministro e secretário-geral do PS. “Isso é da justiça”, respondeu António Costa às televisões à chegada a um almoço com a Associação Cabo Verdiana de Lisboa.

Rui Rio, à chegada a uma adega na Vidigueira, em Beja, defendeu que é preciso “muito cuidado” ao envolver o nome de qualquer Presidente da República em processos judiciais.

“Envolvimento do Presidente da República não vejo nenhum”, começou por dizer o líder do PSD. “Acho que é leviano envolver o Presidente da República numa polémica destas, não o devemos fazer”.

Assunção Cristas também se remeteu ao silêncio. Apesar da insistência dos jornalistas, uma e outra vez a líder do CDS optou quase sempre por dizer as mesmas frases, à margem de uma visita à fábrica da Continental, em Vila Real. “Nós estamos a tratar de eleições legislativas e não vou comentar mais este assunto”.

Por sua vez, Catarina Martins, que visitava o Mercado de Benfica, em Lisboa, defendeu que a questão de Tancos “não deve ser um caso de eleições”.

“Este é um caso que não é de agora e, portanto, que eu julgo que não deve ser um caso de eleições, até porque já decorre há bastante tempo. Como sabe a acusação ainda não se conhece e, portanto, eu não vou fazer qualquer tipo de especulação sobre essa matéria”.

Sobre o caso de Tancos, a líder bloquista quis apenas “repetir o que o Bloco de Esquerda disse sempre”, ou seja, que “a justiça deve fazer o seu caminho e deve apurar todas as responsabilidades e todas as consequências. Portugal é uma democracia e é assim que deve funcionar”, concluiu.

Jerónimo de Sousa partilha da mesma opinião. “Eu ouvi declarações do Presidente da República a afirmar claramente que não tem a ver com qualquer situação menos clara. É a palavra do Presidente. Não tenho nenhuma razão para suspeitar”, disse o líder comunista, à margem de uma visita à estufa de exploração de um pequeno produtor de cogumelos shiitake em Arcos de Valdevez, Viana do Castelo.

Por fim, o porta-voz do PAN, André Silva, afirmou também que o processo de Tancos “não deve entrar na campanha”, numa ação junto a um olival intensivo, em Santiago do Cacém, no distrito de Setúbal.

Para o também cabeça de lista do PAN por Lisboa, o caso “sempre esteve envolvido numa enorme opacidade”, considerando que o envolvimento do nome do Presidente “é uma especulação”, não querendo “comentar sobre algo que é especulativo”.

“Não queria alimentar mais ruído em torno de um caso que precisa de muitos mais esclarecimentos e, quando houver, estarei disponível para comentar algo concreto e objetivo e não para alimentar mais especulações”, acrescentou.

O furto de armas de guerra nos paióis de Tancos foi divulgado a 29 de junho de 2017. Um dos arguidos do processo é o ex-ministro da Defesa Nacional, José Azeredo Lopes, que está proibido de contactar com os outros arguidos, com o seu ex-chefe de gabinete e com o antigo chefe de Estado Maior do Exército, o general Rovisco Duarte.

Quase três meses após a divulgação do furto das armas, a Polícia Judiciária Militar (PJM) revelou o aparecimento do material, na região da Chamusca, a 20 quilómetros de Tancos, em colaboração com elementos do núcleo de investigação criminal da GNR de Loulé.

O processo de recuperação do material militar levou a uma investigação judicial, por suspeitas de associação criminosa, tráfico de armas e terrorismo no furto do armamento e durante a qual foram detidos o agora ex-diretor da PJM, Luís Vieira, e o antigo porta-voz da PJM, Vasco Brazão, e três militares da GNR, num total de oito militares.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Grupo avisa Bruxelas que Portugal pode tornar-se ilha ferroviária na Europa

Um grupo de portugueses ligados ao setor ferroviário alertou a comissária europeia dos Transportes para a possibilidade de Portugal se tornar uma ilha ferroviária na Europa devido ao atraso em adotar "a bitola europeia" nas …

China encontra traços do coronavírus em asas de frango importadas do Brasil

Traços do novo coronavírus foram encontrados em asas de frango importadas do Brasil, na cidade de Shenzhen, no sul da China, noticiou, esta quinta-feira, um jornal oficial do Partido Comunista Chinês (PCC). Os traços foram detetados …

Denúncia de Rui Pinto leva a congelamento de conta bancária da Doyen

Oito milhões de euros que estavam numa conta bancária do fundo de investimento Doyen foram congelados pelas autoridades portuguesas. Uma denúncia do whistleblower português Rui Pinto levou o fundo a ser investigado por suspeitas de fraude …

Preocupado com a Bielorrúsia, Macron ligou a Putin (e aproveitaram para falar da vacina russa)

O Presidente francês, Emmanuel Macron, manifestou esta quarta-feira ao seu homólogo russo, Vladimir Putin, "uma preocupação muito grande" quanto à situação na Bielorrússia após a reeleição do chefe de Estado autoritário bielorrusso, Alexander Lukashenko. Segundo indicou …

Obras do Hospital Militar de Belém custaram mais do triplo do valor estimado

As obras no Hospital Militar de Belém, em Lisboa, custaram mais do valor inicialmente estimado, avançou o Diário de Notícias esta quarta-feira. De acordo com o jornal, estava inicialmente previsto que a reabilitação de três …

Autópsia a Valentina revela descolamento do crânio

A autópsia a Valentina, a menina de 9 anos encontrada morta na serra D’el Rei, em Peniche, distrito de Leiria, em meados de maio, revela descolamento do crânio, avança esta quinta-feira o Correio da Manhã. …

Rio pede "coerência" na lotação do Avante e faz comparação com estádios

O líder do PSD pronunciou-se sobre a lotação da festa do Avante, lembrando que, se for reduzida para metade, isso é o mesmo que os estádios do FC Porto ou do Sporting estarem cheios. Na sua …

Juiz Carlos Alexandre desiste de queixa contra Rui Pinto

A proposta do Ministério Público (MP) para que o pirata informático não continuasse a ser investigado dependia da autorização do "super-juiz", avança o Correio da Manhã. De acordo com o Correio da Manhã, o juiz Carlos …

Surto na Nova Zelândia faz 17 novas infeções (e não se sabe de onde veio)

Após 102 dias sem casos de covid-19, a Nova Zelândia registou um novo surto na sua maior cidade, Auckland. O número de infeções subiu para 17, mas não se sabe de onde veio. De acordo com …

Ameaças de morte a deputadas. Bloco vai fazer queixa ao Ministério Público

O Bloco de Esquerda vai apresentar duas queixas ao Ministério Público, uma por cada deputada ameaçada no e-mail enviado à SOS Racismo. A Polícia Judiciária está a investigar um e-mail enviado a um grupo de dez …