Caixa seguiu “orientações políticas” no caso La Seda e arrisca perder 900 milhões

Paulo Novais / Lusa

O ex-ministro Armando Vara

Com a Caixa Geral de Depósitos no “olho do furacão” por causa da lei de excepção criada pelo governo para os novos gestores do banco público, fala-se novamente no investimento ruinoso que a entidade fez na empresa espanhola La Seda, seguindo “orientações políticas”, e que lhe pode custar 900 milhões de euros.

Um dos mais importantes dossiers que António Domingues, o novo presidente da Caixa Geral de Depósitos (CGD), tem em mãos respeita à empresa espanhola La Seda e particularmente, devido aos mais de 900 milhões de euros que o banco aplicou, há cerca de uma década, no universo do grupo do sector petroquímico.

O caso é recuperado pelo Público, que sustenta que “a Caixa recebeu orientações políticas para entrar numa aventura industrial luso-espanhola que se revelou um erro”.

Em causa estão os empréstimos concedidos e os investimentos feitos na La Seda de Barcelona, mas também nas empresas portuguesas Selenis  (accionista da La Seda) e Artlant (fornecedora da La Seda), entre 2006 e 2010.

O diário lembra que, na altura, o governo era liderado por José Sócrates e a Caixa por Carlos Santos Ferreira e Armando Vara, ambos nomeados para a administração do banco pelo então ministro das Finanças, Teixeira dos Santos.

Numa auditoria recente realizada à CGD onde foram detectados mais de 2,3 mil milhões de euros de empréstimos que correm o risco de não serem pagos, ficou assente que Armando Vara e Santos Ferreira terão autorizado “os créditos mais complicados”, sem obterem as devidas garantias de retorno dos valores concedidos.

Ora tanto a La Seda como a Artlant e a Selenis estão em processo de falência; a empresa espanhola já pediu a protecção contra os credores e a Artlant accionou um Plano Especial de Revitalização, enquanto a Selenis já se declarou falida.

O Público lembra que a Caixa investiu 121,3 milhões de euros na La Seda, emprestando à empresa mais 75 milhões de euros; na Artlant, o banco público investiu 25 milhões de euros, concedendo ainda créditos de 520 milhões; e à Selenis a CGD emprestou 165 milhões de euros.

Assim, o banco do Estado tem em risco verbas superiores a 900 milhões de euros, o que perfaz quase 22% do esforço público no âmbito do processo de recapitalização, conforme nota o jornal.

O Público ainda refere que o caso La Seda “poderia ter ficado fechado para a CGD na última legislatura, se o executivo de Passos Coelho tivesse dotado a instituição dos capitais solicitados pela anterior gestão liderada por José de Matos”. Mas tal não chegou a suceder.

ZAP

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Este Vara é outra bela “bisca” que apareceu para chular o erário publico. Uma nódoa, que veio de Trás-os-Montes, onde foi um simples “caixa bancário” e chega a administrador de um Banco… No caso, a CGD. Está á vista a sua capacidade de “gerir” a coisa publica. É que este artista nem sequer tem competencias de gestão que se lhe reconheçam. Foi um oportunista, um “chico esperto”, um “boy” partidário. É por exemplos destes que acho preferível pagar mais a alguém a quem sejam reconhecidas competencias de gestão, do que pagar menos mas a gente incompetente que acaba por dar mais prejuizo ao erário publico. A maioria destes boys são uns imbecis incompetentes, que nos lesam a todos portanto, nem o ordenado minimo mereciam.

  2. Vara … Socrates… sempre os mesmos nomes. Como é possível que alguém como eu tenho visto ainda ache que Sócrates foi inocente na falência deste país ? Este Armando Vara que á nascença não tinha onde cair morto, a não ser o facto de vir lá de cima de Trás-os-Montes aos trambolhões para Lisboa e ter a esperteza de fazer uns quantos amigos politicos na capital. Como é possível que toda esta gente não esteja presa ? E já agora porque carga de +água é que o povo é chamado a pagar prejuízos dos bancos mesmo sendo eles públicos. É que se eu (português) sou acionista então quero vender já as minhas acções…

Carlos Moedas "tem uma costela liberal". IL pondera apoio ao candidato à câmara de Lisboa

O líder da Iniciativa Liberal (IL), João Cotrim de Figueiredo, disse que Carlos Moedas, candidato à câmara de Lisboa apoiado pelo PSD, tem um "perfil liberal", mas que o partido precisa de perceber projeto do …

Primeiro-ministro da Arménia acusa militares de tentativa de golpe de Estado

O primeiro-ministro da Arménia referiu-se hoje a "tentativa de golpe de Estado" depois de o Estado Maior ter pedido o afastamento do governo num contexto de protestos por causa da derrota no último conflito com …

EUA condenam Coreia do Norte a indemnizar militares torturados em 1968

A Justiça dos Estados Unidos (EUA) condenou Pyongyang a indemnizar em 2,3 mil milhões de dólares (cerca de dois mil milhões de euros) os tripulantes de um navio da Marinha norte-americana, que foram capturados e …

Ex-gestores do Novo Banco seguem para Banco do Fomento e para CGD

Os gestores Vítor Fernandes e Jorge Freire Cardoso, que saíram do Novo Banco em divergência com a estratégia da Lone Star, vão desempenhar as funções de presidente do Banco de Fomento e de administrador na Caixa …

EUA acusado de prometer contrapartidas a Cabo Verde pela extradição de testa-de-ferro de Maduro

O antigo juiz espanhol Baltasar Garzón, que coordena a defesa de Alex Saab, detido em Cabo Verde e considerado testa-de-ferro do Presidente venezuelano Nicolás Maduro, acusou na quinta-feira os Estados Unidos (EUA) de prometerem contrapartidas …

Bispo italiano sugeriu a padre que pagasse 20 mil euros a vítima de pedofilia

O bispo católico de Como, em Itália, afirmou ter sugerido a um jovem padre suspeito de pedofilia que pagasse 20 mil euros à suposta vítima para encerrar uma investigação interna ao caso ocorrido numa residência …

Governo reforça financiamento de projetos LGBTI com 50 mil euros

O Governo vai reforçar em 50 mil euros o financiamento de projetos de organizações que atuem na defesa dos direitos das pessoas lésbicas, gays, bissexuais, trans e intersexo (LGBTI), anunciou o gabinete da secretária de …

CDS pede ao Governo "um plano de desconfinamento controlado, à inglesa"

Francisco Rodrigues dos Santos quer que o Executivo apresente um plano de desconfinamento que permita a retoma da atividade de alguns setores. Esta sexta-feira, o presidente do CDS-PP insistiu na necessidade de o Governo apresentar um …

Para os idosos que estão em lares, visitar a família sem isolamento poderá acontecer em maio

A CNIS estima que, com todos os idosos residentes em lares vacinados, maio possa ser o mês da libertação depois de mais de um ano de pandemia, confinamentos e restrições apertadas. DGS diz que orientações …

UE retalia e declara chefe da missão venezuelana "persona non grata"

A União Europeia (UE) decidiu, esta quinta-feira, declarar a chefe da missão venezuelana em Bruxelas persona non grata, respondendo ao anúncio feito por Caracas de dar 72 horas à embaixadora comunitária para abandonar o país. "Por …