Bruxelas multa Altice em 124 milhões de euros por compra da PT Portugal

Ecole polytechnique Université Paris-Saclay / wikimedia

Patrick Drahi, proprietário e presidente da Altice

A Comissão Europeia sanciona a multinacional Altice com o pagamento de uma multa de 124,5 milhões de euros por violação das regras comunitárias, no âmbito da compra da PT Portugal, operação que concretizou antes da autorização de Bruxelas. A empresa vai recorrer da decisão que não anula o processo de venda.

Em comunicado, a Comissão Europeia explica que a Altice violou as regras comunitárias da concorrência por ter adquirido a PT Portugal antes de ter recebido o aval da Direcção Geral da Concorrência da União Europeia.

A multa de 124,5 milhões de euros, um montante elevado, justifica-se pela “gravidade da infracção”, explica a comissária da Concorrência, Margareth Vestager, salientando que o valor “deve deter outras empresas de quebrarem as regras de controlo de fusões da UE”.

As empresas que “implementem fusões antes de notificação ou de autorização minam a efectividade do nosso sistema de controlo de fusões”, refere Margareth Vestager, notando que “este sistema protege os consumidores europeus de qualquer fusão que leve a preços mais elevados ou escolhas mais reduzidas”.

A Altice adquiriu a PT Portugal à Oi em 2015, por 5,7 mil milhões de euros.

Em Maio de 2017, a CE endereçou à Altice uma série de objecções quanto ao negócio, acusando a multinacional de violar as regras da concorrência europeias.

A Comissão concluiu, como refere o comunicado agora divulgado, que “certas provisões do acordo de compra” levaram a Altice a adquirir “o direito legal de exercer influência decisiva sobre a PT Portugal”, citando como exemplo o “direito de veto sobre decisões relativas a negócios rotineiros” da operadora.

“Nalguns casos, a Altice exerceu de facto influência decisiva sobre aspectos do negócio da PT Portugal”, nomeadamente, dando “instruções” à operadora “sobre como realizar uma campanha de marketing” e procurando obter “informações detalhadas e comercialmente sensíveis” sobre a empresa portuguesa, constata a CE.

Altice vai recorrer da multa de Bruxelas

A Altice já anunciou que vai recorrer da multa aplicada pela CE, notando, num comunicado publicado no seu site, que “discorda totalmente da decisão da Comissão”.

A empresa vai tentar anular a multa ou, pelo menos, “reduzir significativamente” o seu valor, conforme nota, frisando que a sanção da Comissão “não afecta a aprovação concedida” a 20 de Abril de 2015, para aquisição da PT Portugal.

A multinacional francesa considera que o pré-acordo de transacção lhe dava “o direito de consulta a certas matérias excepcionais relacionadas com a PT Portugal”, antes da concretização de compra, procedimento que diz estar “de acordo com as práticas estabelecidas no mercado”.

A empresa entende também que “os elementos” divulgados pela CE “não estabelecem o exercício de influência” alegado, “nem antes da notificação de fusão à Comissão, nem antes da autorização da Comissão”. A Altice diz antes que os seus direitos foram “violados em vários aspectos” durante a investigação levada a cabo.

A Altice frisa ainda que esta multa pode ter “graves consequências para as empresas europeias”, já que “estabelece um precedente que terá impacto em todas as futuras transacções de fusão e aquisição na Europa”.

SV, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Merkel fará a sua primeira visita ao antigo campo de concentração de Auschwitz

A chanceler alemã, Angela Merkel, pretende visitar o antigo campo de concentração nazi de Auschwitz na Polónia, pela primeira vez nos seus 14 anos no cargo, anunciou na quinta-feira um jornal de Munique. Segundo Sueddeutsche Zeitung, …

Bebé encontrado no lixo já está com uma família de acolhimento

O bebé encontrado num ecoponto, no início do mês, e que esteve até quinta-feira hospitalizado, já está com uma família de acolhimento, informou a Santa da Misericórdia de Lisboa esta sexta-feira. A instituição refere numa nota …

Fisco vai controlar declarações de IRS de beneficiários do programa "Regressar"

A Autoridade Tributária e Aduaneira vai desenvolver mecanismos para verificar se os contribuintes abrangidos pelo regime fiscal do programa "Regressar" reúnem as condições exigidas, prevendo-se que parte desse controlo ocorra com a entrega da declaração …

Greta Thunberg vai de Lisboa a Madrid num carro elétrico emprestado por Espanha

A Junta da Extremadura, região espanhola, disponibilizou um carro elétrico à jovem ativista sueca Greta Thunberg para que possa viajar de Lisboa para Madrid para assistir à Cimeira do Clima respeitando o meio ambiente, adiantou …

Enfermeiros garantem voltar à luta com os 200 mil que sobraram do crowdfunding

Os enfermeiros, que no ano passado iniciaram o "Movimento Greve Cirúrgica", pretendem voltar às ações de protestos com os cerca de 200 mil euros que restaram da campanha de crowdfunding. A intenção é revelada por …

OCDE: Nova crise pode tirar metade do rendimento às famílias portuguesas

Uma nova crise económica e financeira a nível global pode ter efeitos dramáticos para as famílias portuguesas, levando à perda de metade dos seus rendimentos. Esta é a previsão da Organização para a Cooperação e …

O cofre da rica mãe, heranças às dúzias e a vida "sem luxos". O que Sócrates disse a Ivo Rosa

Foram cerca de 20 horas de interrogatório no âmbito da Operação Marquês, em que José Sócrates manteve, perante o juiz Ivo Rosa, a versão de que as avultadas quantias de dinheiro que gastou nos últimos …

Associados podem ser chamados a resolver "buraco" do Montepio

Os cerca de 630 mil associados e pensionistas da Associação Mutualista Montepio Geral correm o risco de virem a ser chamados para resolver as perdas da instituição financeira, escreve o jornal Público. De acordo com o …

Bolívia divulga vídeo que sugere que Morales incitou bloqueios à entrada de alimentos

Arturo Murillo, ministro do Governo da Bolívia, divulgou na manhã de quarta-feira um vídeo que sugere que o antigo presidente do país, Evo Morales, incitou os bloqueios à entrada de alimentos que fragiliza o país. Os …

Christine Lagarde foi conselheira de duas empresas sediadas em paraísos fiscais

Christine Lagarde, presidente do Banco Central Europeu (BCE) desde outubro, foi conselheira de duas filiais da empresa de advocacia Baker & McKenzie (BM) entre 2003 e 2005, ambas sediadas em países considerados à data paraísos …