Bruxelas ainda está a avaliar plano de reestruturação (mas TAP tem “carta branca” para decidir despedimentos)

Bruxelas ainda está a avaliar o plano de reestruturação da TAP, mas não tem opinião sobre a forma como os cortes nos custos da massa salarial são feitos e que o importante é que aconteçam.

A Comissão Europeia ainda está a avaliar o plano de reestruturação da TAP, submetido por Portugal a Bruxelas há dois meses, sem prever data para uma decisão, que visa garantir a “viabilidade da empresa a longo prazo”.

“A avaliação da Comissão sobre o plano de reestruturação apresentado por Portugal para a TAP está em curso. Não podemos comentar o conteúdo do plano de reestruturação nem, nesta fase, prever o calendário ou o resultado da avaliação da Comissão”, indica fonte oficial do executivo comunitário em resposta escrita à agência Lusa.

A mesma fonte disse que o objetivo da Comissão Europeia é “assegurar que, com a reestruturação, a viabilidade da empresa a longo prazo seja restaurada sem necessidade de mais e continuado apoio estatal“.

No entanto, de acordo com o ECO, sabe-se já que a Bruxelas vai dar carta branca ao Governo para decidir despedimentos na TAP, não tendo opinião sobre a forma como os cortes nos custos da massa salarial são feitos.

“Não temos qualquer comentário. São os Estados-membros que desenham o plano de reestruturação e determinam as suas condições“, disse fonte oficial da Comissão Europeia.

O executivo comunitário está a analisar se o plano de reestruturação da TAP “está em conformidade com os requisitos e condições estabelecidos nas orientações relativas aos auxílios estatais de emergência e à reestruturação concedidos a empresas em dificuldade”, enquadramento ao abrigo do qual foi autorizado um apoio público 1,2 mil milhões de euros de Portugal à transportadora de bandeira portuguesa em junho de 2020.

Tal avaliação “assegura que a empresa possa regressar à viabilidade e, após a reestruturação, concorrer com base nos seus próprios méritos e em condições de igualdade com outras empresas no mercado“, adianta a mesma fonte.

“A Comissão continua a manter contactos estreitos e construtivos com as autoridades portuguesas sobre esta matéria”, conclui.

Após a declaração de empresa em situação económica difícil – que permite suspender cláusulas dos acordos de empresa em vigor ou dos instrumentos de regulamentação coletiva aplicáveis e tomar medidas para cortar nos custos com pessoal -, a TAP entregou aos sindicatos propostas de acordos de emergência para vigorarem até 2024 ou até à celebração e implementação de novos acordos de empresa, no âmbito do processo de reestruturação de que está a ser alvo.

O Conselho de Administração da TAP anunciou numa mensagem aos colaboradores a que a Lusa teve acesso, que a empresa tinha chegado a um entendimento com todas as estruturas representativas dos trabalhadores relativamente aos acordos de emergência.

Segundo a informação transmitida pelos sindicatos de trabalhadores de terra da TAP, foram acordados cortes para salários acima de 1.330 euros (de 25% entre 2021 e 2023 e 20% em 2024). Por seu lado, para os pilotos, foram acordadas com os sindicatos reduções salariais de entre 50% e 35%, entre 2021 e 2024, que já incluem o corte transversal de 25% aplicado a todos os trabalhadores.

  Maria Campos, ZAP // Lusa

 

PARTILHAR

RESPONDER

Portugal regista mais 766 novos casos e sete mortes. País está perto da zona "laranja" da matriz de risco

Portugal registou nesta quinta-feira sete mortes devido à covid-19 e 766 novas infeções pelo novo coronavírus, de acordo com o boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS) divulgado nesta sexta-feira. O boletim epidemiológico desta sexta-feira indica ainda …

Leão diz que despesa de 1,8 mil milhões com CP não tem de ser negociada com Bruxelas

O ministro das Finanças considerou hoje que não será necessário negociar com Bruxelas a despesa excecional de 1.815 milhões de euros com a CP pois o objetivo é enquadrar a medida dentro das regras de …

Obra de Banksy que se autodestruiu vendida por valor recorde de 21,8 milhões

A obra do artista britânico, que há três anos se autodestruiu parcialmente depois de ter sido vendida por 1,2 milhões de euros, foi vendida, esta quinta-feira, por 21,8 milhões. Em 2018, "Girl With Balloon", que mostrava …

Seis prioridades para o Newcastle, se quiser ser o novo Manchester City

Lista elaborada por quem tratou da "revolução" em Manchester, a partir de 2008. O Newcastle United tem dinheiro mas (ainda) não tem uma grande equipa, nem é visto como um grande clube europeu. Os milhões de libras …

Temido diz que "por detrás de cada euro" investido no SNS estão mais cuidados de saúde

A ministra da Saúde afirmou, esta quinta-feira, que o Orçamento do Estado para 2022 permitirá "promover a recuperação" do país e que por detrás de cada euro investido no Serviço Nacional de Saúde (SNS) …

Há alunos ainda sem manuais devido a atrasos na impressão e distribuição

A Associação Portuguesa de Editores e Livreiros justifica os atrasos com o fim mais tardio do ano lectivo anterior, o que levou a que todo o processo ficasse atrasado. Segundo avança o Público, cerca de um …

O Twitter foi palco de troca de acusações entre os primeiros-ministros da Eslovénia e dos Países Baixos

Troca de palavras decorreu na rede social com acusações pouco habituais entre chefes de Governo e principais figuras das instituições europeias. Foi num tom pouco habitual e num cenário igualmente pouco expectável — pelo seu nível …

Enfermeira com uma vacina na mão

Dose única da vacina. Portugueses recuperados travados por países que exigem vacinação completa

Os portugueses recuperados da covid-19 só receberam uma dose da vacina. Agora, estão a ter dificuldades em viajar para alguns países, como o Reino Unido ou o Canadá. Segundo o Jornal de Notícias, há portugueses recuperados …

Menos de metade dos novos médicos é que vai para o SNS

Nos últimos seis anos, menos de metade dos novos profissionais que se inscreveram na Ordem dos Médicos, ingressam no Serviço Nacional de Saúde (SNS). Segundo o Correio da Manhã, o número de inscritos na Ordem dos …

Miguel Pinto Luz: "O grande vencedor deste Orçamento chama-se Pedro Nuno Santos"

O vice-presidente da Câmara Municipal de Cascais considera que o "grande vencedor" deste Orçamento do Estado é Pedro Nuno Santos e que o ministro "aumentou o seu capital político". Em entrevista ao Diário de Notícias e …