Brexit. A única forma de acabar com ameaças a deputados é “respeitar” o resultado do referendo

(cv) Sky News / Youtube

Dominic Cummings, atual chefe de gabinete do primeiro-ministro Boris Johnson

“Não é surpreendente” que haja raiva contra os deputados britânicos por causa do ‘Brexit’, declarou na quinta-feira Dominic Cummings, artífice da campanha pela saída do Reino Unido da União Europeia (UE) no referendo de 2016 e atual chefe de gabinete do primeiro-ministro, Boris Johnson.

Segundo o próprio, citado esta sexta-feira pelo Expresso, a única forma de resolver a situação é “respeitar” o resultado da consulta popular.

Na reabertura antecipada do Parlamento, depois de o Supremo Tribunal ter deliberado que a sua suspensão tinha sido “ilegal”, Boris Johnson foi criticado na quarta-feira por, entre outras considerações, se ter referido às preocupações de uma deputada trabalhista com a segurança como “treta” e ter usado palavras como “rendição” e “traição”.

No dia seguinte, a Câmara dos Comuns voltou a discutir a questão das ameaças. A ex-deputada conservadora, atualmente independente, Caroline Nokes relatou que, durante uma caminhada no seu círculo eleitoral, foi abordada por alguém que a apelidou de “traidora que merecia ser baleada”.

“Isto é um passeio no parque. Estamos a gostar”

Após três anos de “guinadas” na sequência do referendo, “não é surpreendente que algumas pessoas estejam zangadas”, disse Dominic Cummings. Tanto apoiantes da saída da UE como apoiantes da manutenção receberam “ameaças” de violência, que devem ser levadas a sério, sublinhou.

Mas acrescentou: “Se há um grupo de políticos que promete respeitar o resultado de uma votação democrática e, depois de perder, diz ‘não queremos respeitar esse voto’, o que é que se espera? No final, a situação só pode ser resolvida no Parlamento honrando a promessa de respeitar o resultado”.

Will Oliver / EPA

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson

Citado pela BBC, Dominic Cummings negou que Downing Street esteja sob pressão após a decisão do Supremo, a série de derrotas parlamentares e a reação aos comentários do primeiro-ministro. “Isto é um passeio no parque comparado com o referendo. Estamos a gostar disto. Vamos sair [da UE] e vamos ganhar”, declarou.

Os ataques ao “ato de rendição”

Boris Johnson tem-se referido ao projeto Benn Bill, apresentado pelo trabalhista Hilary Benn, como um “ato de rendição”.

Segundo aquela legislação, aprovada este mês, o primeiro-ministro está obrigado a pedir a Bruxelas um novo adiamento do prazo do ‘Brexit’ para lá de 31 de outubro no caso de não conseguir aprovar um acordo de saída no Parlamento ou de não conseguir que os deputados aprovem um Brexit sem acordo até 19 de outubro.

O antigo primeiro-ministro John Major acusa Boris Johnson de “deliberadamente” destruir as perspetivas de um acordo multipartidário para o ‘Brexit’, manifestando a sua preocupação com a possibilidade de o Governo tentar contornar a lei. O co-presidente do Partido Conservador James Cleverly recusou-se esta quinta-feira a descartar esse cenário.

De um lado, o Governo reitera que irá cumprir a lei, do outro, o primeiro-ministro desse Governo insiste que não pedirá um novo adiamento do ‘Brexit’, que é precisamente o que a legislação exige segundo os pressupostos enunciados, lê-se no Expresso.

O ex-procurador-geral Dominic Grieve afirmou, todavia, estar confiante de que qualquer tentativa de contornar a lei fracassará.

Taísa Pagno TP, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

1.º de Maio. CGTP cumpre a tradição na rua, UGT com conferência sindical

A CGTP vai assinalar o Dia do Trabalhador com concentrações, desfiles e manifestações. Já a UGT vai promover uma conferência sobre os desafios da negociação coletiva. A Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses (CGT) vai assinalar o …

Submarino da Marinha indonésia desaparece com 53 pessoas a bordo

A Marinha de Guerra da Indonésia procura um submarino com 53 pessoas a bordo depois de ter perdido o contacto com o navio no final de exercícios ao largo de Bali, foi hoje anunciado. Um porta-voz …

Presidente do Aliança é candidato a Torres Vedras

Paulo Bento, presidente do Aliança, vai lançar-se à Câmara Municipal de Torres Vedras nas eleições autárquicas do outono. O presidente do Aliança, Paulo Bento, vai candidatar-se à Câmara Municipal de Torres Vedras, no distrito de Lisboa, …

Governo recusa relançar o programa Apoiar Restauração

Apesar do apelo da AHRESP, o Governo recusa relançar o programa Apoiar Restauração. Os restaurantes continuam com limitações de horário aos fins de semana e feriados. Nesta terceira fase do desconfinamento, que avançou esta segunda-feira, deu-se …

Lidl vai oferecer pensos e tampões na Irlanda para combater pobreza menstrual

O Lidl vai tornar-se a primeira grande cadeia de supermercados a oferecer produtos menstruais em todas as lojas de um país. A iniciativa, que ocorre na República da Irlanda, tem como objetivo o combate à …

Parlamento altera lei para permitir candidatos independentes nas autárquicas

A comissão de Assuntos Constitucionais iniciou, esta quarta-feira, a alteração à lei eleitoral autárquica em que reduz o número de assinaturas dos grupos de cidadãos independentes e admite uma candidatura simultânea a uma câmara e …

Neutralidade carbónica até 2050. Lei Europeia do Clima é "mais um compromisso concretizado", diz Costa

O primeiro-ministro António Costa saudou, nesta quarta-feira, o acordo político provisório sobre as emissões de gases com efeito de estufa, dizendo que se trata de "um sinal inequívoco da determinação da [União Europeia] UE no …

Pai de Valentina condenado a 25 anos de prisão. Madrasta condenada a 18 anos e 9 meses

O pai da criança que foi encontrada morta, em maio do ano passado, em Peniche, foi condenado a 25 anos de prisão. A madrasta foi condenada a 18 anos e nove meses. De acordo com o …

Luís Correia deixa PS. Vai recandidatar-se a Castelo Branco como independente

O ex-presidente da Câmara de Castelo Branco, Luís Correia, deixou o PS e vai recandidatar-se como independente à presidência da autarquia este ano. De acordo com o jornal Público, o ex-presidente da Câmara de Castelo Branco, …

DGS atualiza regras para partos. Hospitais têm de assegurar condições para acompanhantes

A Direção-Geral da Saúde fez uma revisão nas orientações de modo a facilitar o acesso dos acompanhantes e para deixar exclusivamente ao critério da mãe o contacto pele a pele com o bebé e a …