Brasil é o país lusófono com mais refugiados. Já Portugal tem as maiores remessas dos emigrantes

Um relatório das Nações Unidas (ONU) revelou que o Brasil é o país lusófono que acolhe mais refugiados, Portugal é o que recebe mais remessas dos emigrantes e Moçambique teve o maior aumento de estrangeiros em dois anos.

O relatório do departamento de Assuntos Económicos e Sociais da ONU, consultado pela agência Lusa, indica que o Brasil acolhe 96 mil refugiados, o maior número no universo de nove países da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Portugal recebeu, em 2018, remessas no valor de 4.773,4 milhões de dólares (4.331,3 milhões de euros) dos seus emigrantes, muito mais do que qualquer outro país lusófono.

Desde 2017, o maior aumento de migrantes foi verificado em Moçambique, que conta mais 88 mil estrangeiros.

A Guiné-Bissau é o país com população imigrante mais jovem, com uma média de 24,7 anos. É também o país lusófono que registou a maior descida das remessas dos emigrantes desde 2016.

Os países têm níveis muito próximos entre homens e mulheres migrantes, menos a Guiné Equatorial, em que apenas 22,9% dos estrangeiros são mulheres.

Com 888.200 estrangeiros contabilizados em Portugal, o que significa 8,7% da população e um aumento de oito mil pessoas desde 2017, a ONU estima que estejam a viver também cerca de 1.700 refugiados no país.

A idade média dos migrantes que estão atualmente em Portugal é de 43,3 anos, sendo que a esmagadora maioria (83,2% dos migrantes) tem idades compreendidas entre os 20 e 64 anos e apenas 7,2% são menores de 19 anos.

Ghith Sy / EPA

Segundo o relatório, no ano passado, os emigrantes portugueses enviaram para Portugal remessas no valor de 4.773,4 milhões de dólares (4.331,3 milhões de euros). O valor terá subido em cerca de 172,5 milhões de euros desde 2016.

O Brasil acolhe mais 71 mil migrantes do que há dois anos, tendo agora 807 mil pessoas nascidas fora do país. Porém, neste número não foram contados os refugiados e requerentes de asilo, sendo 96 mil nesta situação. A idade média dos migrantes é de 40,2 anos e 21,4% destes têm mais de 65 anos.

Em 2018, o Brasil recebeu 2.933,6 milhões de dólares dos seus emigrantes, mais 193 milhões do que há três anos.

Angola teve um aumento de 31 mil migrantes desde 2017, sendo agora casa de 669,5 mil pessoas nascidas noutro país, que incluem 71,3 mil refugiados. A quase totalidade dos migrantes é proveniente da África Subsariana e a idade média dos migrantes situa-se nos 33,6 anos.

O documento indica que as remessas dos emigrantes angolanos para o país estão na ordem de 1,5 milhões de dólares em 2018, no entanto os dados do último relatório mostravam 11 milhões de dólares em 2016.

Cabo Verde recebe 15,7 mil migrantes, com uma média de 40 anos e, neste relatório, não acolhe refugiados. O número manteve-se quase igual a 2017 (15,3 mil de pessoas nascidas noutro país). Mais de 87% dos migrantes têm idades entre 20 e 64 anos.

Em 2018, o país insular recebeu 242,6 milhões de euros dos emigrantes, um aumento de 24,6 milhões relativamente a 2016.

Guiné-Bissau recebe atualmente 26,9 mil pessoas nascidas noutro país, quase todas nascidas na África Subsariana, dos quais 11,2 mil são refugiados e requerentes de asilo (41,7% dos migrantes). A idade dos estrangeiros é de uma média de 24,7 anos, sendo que 41% dos migrantes têm menos de 19 anos e 54,5% têm entre 20 e 64 anos.

O país recebeu no ano passado 26,5 milhões de dólares provenientes dos emigrantes, uma descida de 12,5 milhões desde 2016.

A Guiné Equatorial conta com 227,6 mil de cidadãos de outras nacionalidades, cerca de 16,8% da população total do país. Os estrangeiros têm, em quase todos os casos (97,2%) idades entre 20 e 64 anos e apenas 22,9% dos estrangeiros são mulheres. Não existem dados sobre as remessas dos emigrantes para a Guiné Equatorial.

Com 23,7 mil refugiados, Moçambique conta com 334,7 mil migrantes, mais 87,7 mil migrantes do que há dois anos. A idade média é de 30,7 anos. Com um aumento de 156 milhões de dólares nas remessas dos emigrantes desde 2016, o país recebeu um total de 354 milhões em 2018.

São Tomé e Príncipe conta atualmente com 2.200 cidadãos de outras nacionalidades, com 95% de probabilidade que sejam nascidos noutros países da África Subsariana. Os números são praticamente iguais a 2017, sem nenhum refugiado registado. O país terá recebido 17,1 milhões dólares dos emigrantes em 2018, um milhão mais do que em 2016.

Timor-Leste é casa de 8.400 pessoas nascidas noutros países, com uma idade média de 32,4 anos. Dos cidadãos nascidos noutros países e com residência em Timor-Leste, apenas 39,6% são mulheres, uma descida de dez pontos percentuais em relação a 2017. No ano passado, o país recebeu mais 20 milhões de dólares dos emigrantes do que em 2016, indicando 88,5 milhões de dólares para 2018.

TP, ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

Responder a Eu! Cancelar resposta

Relações "complicadas". Rússia admite abandonar projetos de cooperação com a UE

O ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergey Lavrov, que se encontrará mais tarde com o Presidente bielorrusso, Alexander Lukashenko, comentou que as relações atuais entre Moscovo e Bruxelas são "complicadas". O Governo russo está a ponderar …

Benfica tem novo central. Luís Filipe Vieira fecha contratação de Lucas Veríssimo

O Benfica deverá pagar 1,3 milhões de euros em mão e outros 5,2 milhões em quatro prestações. Lucas Veríssimo chega do Santos para a posição de defesa central. À semelhança daquilo que fez com Jorge Jesus, …

Apoio à retoma pode prolongar-se pelo menos até setembro de 2021

O mecanismo de apoio à retoma progressiva nas empresas em crise poderá prolongar-se até, pelo menos, setembro do próximo ano, avisou o ministro de Estado e da Economia, Pedro Siza Vieira. O mecanismo sucedâneo do layoff …

Vinícius bisou e assistiu para o Tottenham. Para Mourinho, só há uma coisa a melhorar

O Tottenham de José Mourinho venceu esta quinta-feira o Ludogorets no jogo da 4.ª jornada da fase de grupos da Liga Europa. O ex-Benfica Carlos Vinícius, que não tem sido opção para o campeonato inglês, …

Portugal já terá atingido o pico. Foi na terceira semana de novembro, segundo os peritos do Governo

Portugal já terá atingido o pico de novos casos da segunda vaga de covid-19, de acordo com os cálculos dos peritos consultados pelo Governo. Em declarações ao jornal Observador, engenheiro Carlos Antunes, da Faculdade de …

Benfica colheu um ponto na Escócia. O Rangers "não é uma equipazinha", diz Jesus

O Benfica empatou a dois golos em casa do Rangers, na quarta jornada do Grupo D da Liga Europa, e ficou a uma vitória de seguir para os 16 avos de final. Arfield (7 minutos) e …

Reformas antecipadas sofrem corte de 15,5% em 2021

O valor das pensões antecipadas pedidas no próximo ano terá um corte superior ao que está a ser aplicado em 2020: 15,5%. Os trabalhadores que se reformem antecipadamente em 2021 terão uma penalização de 15,5% na …

Templo de Esna foi restaurado ao fim de 2000 anos (e surpreendeu com misteriosos segredos egípcios)

Descoberto há cerca de 200 anos, o antigo templo egípcio de Esna guardava segredos há mais de 2000 anos. Agora esses segredos foram revelados graças a um projeto de restauração iniciado em 2018, onde foram …

Trabalhadores essenciais vão ter folgas e mais 50% de salário se trabalharem nas vésperas de feriado

Os trabalhadores essenciais da Função Pública que tiverem de trabalhar nos dias 30 de novembro e 1 de dezembro vão ter direito a uma ou duas folgas e vão receber um aumento de 50% do …

"Idiotice criminosa". Agente diz que Maradona não teve assistência médica adequada

Matías Morla, agente e advogado de Diego Maradona, afirmou esta quinta-feira que o ex-futebolista, que morreu na quarta-feira, não teve assistência médica adequada e vai pedir que essa questão seja "investigada até às últimas consequências". "É …