Um braço robótico conseguiu ajudar um paciente a sentir o mundo

Rehab Neural Engineering Labs

Recentemente, um implante neural permitiu que as pessoas escrevessem uma mensagem apenas com o pensamento. Agora, um novo braço robótico controlado por um implante está a criar curiosidade por conseguir enviar feedback tátil para o utilizador a partir de um segundo implante.

Normalmente, quando queremos levantar algum objeto com as mãos, usamos a nossa visão para o localizar e depois disso, os nossos outros sentidos assumem o controlo.

Um sentido pouco conhecido é a cinestesia, que ajuda a nossa consciência a manter-nos informados de onde se localizam as partes do nosso corpo. O nosso tato informa-nos sobre o grau de firmeza com que agarramos um objeto, reduzindo o papel visual dos nossos sentidos a um papel secundário.

Os braços robóticos comuns exigem que seja usada apenas a perceção visual para todo o processo de interação com o mundo, calculando a forma de agarrar o objeto apenas por estimativa.

Nos últimos anos, explica o Interesting Engineering, os cientistas avançaram muito na compreensão das regiões do cérebro que processam informações transferidas pelas células nervosas sensoriais das nossas mãos.

Agora, uma nova pesquisa, liderada por investigadores do Rehab Neural Engineering Labs, da Universidade de Pittsburgh, nos EUA, e publicada no mês de maio na revista Science, deu mais um passo.

O estudo envolveu duas matrizes de elétrodos implantados na secção do cérebro projetada para processar informações provenientes da pele. Quando os elétrodos são ativados, o cérebro experimenta a sensação de algo a ser agarrado pelas mãos.

O estudo envolveu a participação de um paciente paralisado do pescoço para baixo, que tinha trabalhado com um braço robótico durante dois anos, a quem foram colocados implantes cerebrais na região do cérebro que controla os movimentos.

O paciente já era capaz de utilizar o braço robótico, apesar da falta de sensação que muitos de nós consideramos natural. Mas nas experiências mais recentes, a equipa de investigadores foi alterando os testes, nos quais foi adicionado o toque com feedback, ou desligado o sistema complementar.

Os testes geralmente envolviam agarrar objetos de formas variadas, carregá-los para algum lado e depois deixá-los cair.

Testes para verificar a necessidade de braços robóticos

Inúmeros testes mostraram que existe uma correlação: possuir o sentido de toque melhorou drasticamente o desempenho.

Com o sistema de toque desativado, o homem conseguiu realizar as tarefas apenas nove vezes, enquanto que com o sistema ligado, conseguiu realizar as mesmas tarefas mais de uma dúzia de vezes. A maior vantagem foi a capacidade do participante de agarrar o objeto.

O tempo que o demorava entre tocar no objeto com o braço robótico e levantá-lo diminui dois terços com o recurso de feedback ativo. Quando este recurso estava inativo, o participante demorou muito mais tempo a ajustar a posição da mão robótica de forma a conseguir pegar no objetivo de uma forma eficaz.

Embora os resultados sejam extremamente promissores, o estudo em si ainda se encontra numa fase inicial, pelo que são necessários mais testes para determinar como o sistema funciona.

Geralmente não é necessário reservar a nossa atenção para tocar e agarrar coisas enquanto nos movemos pelo mundo. Sem esses sentidos tudo aconteceria de forma muito mais lenta.

Com testes e desenvolvimentos adicionais, este tipo de tecnologia pode eventualmente ser lançada na medicina convencional para pacientes necessitados em todo o mundo.

Tifany Santos //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

A primeira banda de rock de Gaza quer dar voz à dor causada pela guerra

A primeira banda de rock formada em Gaza, na Palestina, quer dar voz à dor causada pelo conflito com Israel. Um contabilista, dois advogados, um agrónomo e um funcionário humanitário suíço. Segundo a agência Reuters, são …

"Fiquei infetado mas não preciso da vacina": atleta olímpico explica a sua postura

Bryson DeChambeau iria participar nos Jogos Olímpicos mas um teste positivo à covid-19 afastou-o de Tóquio. Mesmo assim, recusa tomar a vacina e explica porquê. Bryson DeChambeau iria representar os EUA nos Jogos Olímpicos de Tóquio, …

Hologramas "teleportam" competição olímpica de badminton

Uma empresa japonesa recorreu a tecnologia holográfica para transmitir os jogos de badminton disputados nos Jogos Olímpicos. As partidas foram "teleportadas" para um espaço a 35 quilómetros de onde estavam a decorrer, em tempo real. "Esta …

Aumentam os rumores sobre o estado de saúde de Kim Jong-un

Os rumores sobre o estado de saúde de Kim Jong-un estão de volta, depois de o líder norte-coreano ter aparecido em público com uma mancha escura na parte de trás da cabeça e, posteriormente, com …

Alemão de 84 anos multado por possuir arsenal de armas da Segunda Guerra Mundial

Na terça-feira, um tribunal alemão condenou um homem de 84 anos por porte ilegal de armas. O idoso possuía um arsenal pessoal que incluía um tanque, um canhão antiaéreo e vários outros itens de equipamento …

Nicarágua. Ex-rainha de beleza detida (e libertada) após candidatar-se às eleições

As autoridades de Nicarágua detiveram na quarta-feira, libertando de seguida, a ex-rainha de beleza Berenice Quezada, dois dias após esta se ter registado como candidata nas eleições de 7 de novembro. Segundo a coligação Citizens for …

DGS autoriza competições da FPF com 33% de público

Os jogos das competições organizadas pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF) podem ter uma ocupação de 33% dos recintos desportivos, segundo um parecer técnico da Direção-Geral da Saúde (DGS) a que a agência Lusa teve …

Novas "caixas" transformam eletricidade e areia em painéis solares

A Terrabox é uma espécie "fábrica de células solares" que só necessita de areia e eletricidade. Se for um sucesso, a tecnologia vai à Lua e a Marte. A Maana Electric, uma empresa sediada no Luxemburgo, …

Tribunal europeu autoriza hospital britânico a retirar o suporte de vida a bebé. Pais recusam

O Tribunal Europeu dos Direitos Humanos rejeitou um recurso da família de Alta Fixsler, uma bebé de dois anos, que não come ou respira sozinha, autorizando o Manchester University NHS Foundation Trust a retirar-lhe o …

Equipa com astrónomos portugueses descobre planetas que podem ter água

Uma equipa internacional de astrónomos, incluindo portugueses, descobriu um sistema de planetas fora do Sistema Solar que podem ter água à superfície, no interior ou na atmosfera, divulgou esta quinta-feira o Observatório Europeu do Sul …