Bombeiros profissionais ameaçam deixar de prestar serviço voluntário nas corporações

Nuno André Ferreira / Lusa

Bombeiros tentam combater o fogo em São Pedro do Sul, Viseu

Os bombeiros voluntários das associações humanitárias admitem deixar de prestar serviço voluntário nas corporações, caso a Liga dos Bombeiros Portugueses continue por concluir o acordo coletivo de trabalho, que está em negociação há mais de dez anos.

Num comunicado hoje divulgado, a Associação Nacional dos Bombeiros Profissionais (ANBP) e o Sindicato Nacional dos Bombeiros Profissionais (SNBP) adiantam que o protesto foi decidido durante um encontro de bombeiros profissionais das associações humanitárias e das Equipas de Intervenção Permanente (EIP), que decorreu este sábado.

O presidente da ANBP, Fernando Curto, disse à agência Lusa que a Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP), enquanto entidade patronal, tem há dez anos “na gaveta o acordo coletivo de trabalho destinado aos bombeiros profissionais das associações humanitárias”, considerando que esta situação “não é admissível”.

Há dez anos que esperamos pela conclusão das negociações para a celebração desse acordo. Como tal, estamos disponíveis para repensar a situação do voluntariado se a Liga não o assumir”, sublinhou Fernando Curto.

Segundo o presidente da ANBP, são cerca de 12 mil os bombeiros profissionais existentes nas associações humanitárias e que também são voluntários.

De acordo com a ANBP/SNBP, na grande parte das associações humanitárias, o trabalho voluntário é assegurado maioritariamente pelos próprios bombeiros profissionais. Também nas EIP, o trabalho efetuado para além do horário legal de trabalho, é efetuado pelos mesmos profissionais em regime de voluntariado.

Fernando Curto referiu que muitos dos elementos das EIP, equipas de profissionais existentes nos bombeiros voluntários e com um horário entre 09:00 e as 17:30, desempenham funções de voluntariado após esse horário.

O presidente da ANBP considerou ser “muito importante” a clarificação da situação profissional destes bombeiros e sublinhou que não se justifica que os membros das EIP trabalhem das 09:00 às 17:30, devendo existir uma escala de 24 horas.

Nesse sentido, a ANBP/SNBP realça a necessidade de reforço do número de profissionais nas EIP, “de modo a assegurar a operacionalidade durante 24 horas por dia (e não apenas durante o horário normal de trabalho) e a compensar as licenças, faltas e ausências para formação” dos seus elementos.

No comunicado, a ANBP/SNBP defende ainda um estatuto e uma carreira única para os bombeiros profissionais e a regulamentação da carreira para os bombeiros que prestam serviço nas EIP.

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Aí está… a Liga que só serve para manter bons os tachos do Marta Soares e companhia, pouco ou nada representa os bombeiros!…

Responder a Eu! Cancelar resposta

Novos modelos de carros elétricos vão triplicar. Produção em Portugal "será praticamente inexistente"

O número de modelos de veículos elétricos irá triplicar no mercado europeu até 2021, mas a produção destes veículos em Portugal será praticamente inexistente até 2025, indica um estudo da Federação Europeia dos Transportes e …

Bruxelas investiga Amazon por alegado uso de dados pessoais de vendedores

A Comissão Europeia abriu, esta quarta-feira, uma investigação à Amazon para determinar se a empresa usou informações pessoais “confidenciais” de vendedores independentes, quebrando as regras comunitárias na área da concorrência. A Comissão Europeia abriu uma investigação …

Parlamento não sabe o que fazer ao Acordo Ortográfico

Depois de dois anos de meio, foram ouvidas 16 entidades, recebidos 20 contributos escritos, houve uma petição, um projeto de resolução chumbado e uma iniciativa legislativa de cidadãos. Mas a Assembleia da República continua sem …

Ministério da Educação quer reduzir peso excessivo das mochilas dos alunos

O Ministério da Educação lançou esta quinta-feira uma campanha para sensibilizar pais, alunos, professores e diretores escolares a adotar medidas que reduzam o peso excessivo das mochilas dos alunos. A campanha de sensibilização lançada esta quinta-feira …

Morreu o eurodeputado do PS André Bradford. Estava em coma induzido

O eurodeputado do PS André Bradford, que estava em coma induzido desde dia 8 deste mês, faleceu nesta quinta-feira no Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, revelou à agência Lusa fonte do PS/Açores. Bradford, …

Crise dos opióides nos EUA: 76 mil milhões de comprimidos e 70 mil overdoses

Entre 2006 e 2012 foram distribuídos setenta e seis mil milhões de comprimidos de duas substâncias opióides, a oxicodona e a di-hidrocodeína. As mais de 70 mil registadas em 2017 representam um aumento para o …

Erosão da costa portuguesa é grave (e vai piorar)

As zonas da costa com ocupação humana são as mais atingidas pelos efeitos da erosão costeira em Portugal, uma situação que vai agudizar-se, apesar das medidas que têm sido tomadas e que custam anualmente milhões …

Oito pessoas sofreram intoxicação por cloro nas piscinas de Odivelas

Oito pessoas sofreram uma intoxicação por cloro na sequência de um derrame nas piscinas municipais de Odivelas, na manhã de quarta-feira. Quatro dos feridos – com reações a nível respiratório – receberam assistência no local e …

BE vai propor a despenalização da morte assistida

No programa eleitoral das próximas eleições legislativas, o Bloco de Esquerda vai voltar a propor a despenalização da morte assistida. Catarina Martins defende que se trata de uma decisão que "alarga o espaço da liberdade, …

Apresentador de TV suspeito de esquema à Dona Branca "refugiou-se" em Portugal

O apresentador de televisão norte-americano Clayton Morris, que trabalhou na Fox News, está a viver em Portugal, depois de ter sido acusado de montar um esquema semelhante ao caso da Dona Branca, a chamada banqueira …