//

Bombardeiros supersónicos nucleares russos aterram na Venezuela

Dois bombardeiros supersónicos russos Tu-160, os maiores aviões de guerra do mundo, aterraram hoje na Venezuela, no âmbito de uma demonstração presidida pela ministra venezuelana da Defesa, Carmen Meléndez e de representantes da aviação russa.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Segundo fontes militares venezuelanas, os aviões aterraram no Aeroporto Internacional Simón Bolívar de Maiquetía, o principal da Venezuela, depois de voarem mais de 10.000 quilómetros em 13 horas, um voo que começou na base aérea russa de Engels e que passou pelos oceanos Pacífico, Atlântico e pelo mar das Caraíbas.

Aptos para transportar mísseis de cruzeiro com ogivas nucleares e convencionais e 40 toneladas de bombas, bombardeiros Tu-160 já tinham aterrado em 2008 na base aérea Libertador, na Venezuela, no âmbito de uma sessão de treino.

Segundo a imprensa local, o Tu-160 é o maior bombardeiro quatrimotor do mundo, tripulado por quatro pessoas, e pode viajar distâncias de até 14.600 quilómetros a 18.000 metros de altitude, a uma velocidade de 2.230 quilómetros por hora.

A demonstração coincide com a chegada a Caracas do secretário do Conselho de Segurança da Rússia, general Nikolai Patrushev, para uma visita de dois dias, durante os quais manterá reuniões de trabalho para debater temas como a segurança regional na América Latina e Caraíbas, a cooperação técnico-militar para a defesa civil e a luta contra as drogas.

O Tupolev Tu-160, ou Blackjack na designação da NATO, é um bombardeiro estratégico, supersónico, desenvolvido na ex-União Soviética. Foram construídas poucas unidades, estimando-se que cerca de 32 unidades, incluindo protótipos. Em finais de 2010 apenas 16 apresentavam capacidade operacional.

ZAP/Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.