Bolsonaro vai manter secretário acusado de irregularidades no Governo

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, defendeu hoje o titular da Secretaria Especial da Comunicação Social (Secom, órgão da Presidência), Fabio Wajngarten, acusado de alegadas irregularidades em contratos, garantindo que o manterá no cargo.

“Pelo que eu vi até agora, está tudo legal com o Fabio. Vai continuar. É um excelente profissional”, afirmou o chefe de Estado à imprensa, à saída do Palácio da Alvorada, a sua residência oficial, em Brasília.

Para Jair Bolsonaro, se Fabio Wajngarten fosse um incompetente como outros que andam por aí, “ninguém estaria a criticá-lo”.

Uma reportagem do jornal Folha de S.Paulo revelou na quarta-feira que o chefe da Secom recebe, através de uma empresa da qual é sócio, dinheiro de emissoras de televisão e de agências de publicidade contratadas pelo próprio órgão, ministérios e companhias estatais do Governo.

Segundo o jornal brasileiro, a legislação em vigor no país sul-americano proíbe que membros do executivo mantenham negócios com pessoas ou empresas que possam ser afetadas pelas suas decisões.

“A prática implica conflito de interesses e pode configurar ato de improbidade administrativa, demonstrado o benefício indevido. Entre as penalidades previstas está a demissão do agente público”, explica a Folha.

Segundo a continuação dessa reportagem, publicada hoje, a Folha indica ainda que a agenda pública e os relatos oficiais de viagens realizadas por Fabio Wajngarten mostram que, desde que assumiu o cargo governamental, em abril passado, teve pelo menos 67 encontros com representantes de clientes e ex-clientes da sua empresa FW Comunicação.

Também de acordo com os registos a que o jornal teve acesso, 20 viagens para parte dessas reuniões foram custeadas com dinheiro público.

A Secom é o órgão da Presidência do Brasil responsável pela disponibilização de verbas e gestão de contratos publicitários firmados pelo Governo Federal.

Além de Bolsonaro, também o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, responsável pela pasta que integra a Secom, defendeu Fabio Wajngarten das acusações.

“A matéria da Folha de S. Paulo sobre o secretário Fabio Wajngarten é mais umas dessas maldades que se faz contra homens públicos. Fabio é um homem sério, honesto e dedicado ao Governo, ao país. Confio no trabalho dele”, escreveu o governante na rede social Twitter.

Em sua defesa, Fabio Wajngarten utilizou a mesma rede social para dizer que o jornal brasileiro o usou como “bode expiatório”, garantindo que todos os contratos em causa foram firmados antes de obter o cargo na Secom.

O jornal Folha de S.Paulo tem sido alvo de frequentes críticas por parte do atual Governo, que o acusa de tentar prejudicar o executivo.

Durante a manhã de hoje, jornalistas daquele jornal brasileiro tentaram questionar Bolsonaro acerca do caso do secretário da Secom, mas o chefe de Estado escusou-se a responder, ordenando aos profissionais que se calassem.

“Fora Folha de S.Paulo, vocês não têm moral para perguntar (…). Cala a boca”, afirmou o Presidente do Brasil, citado pelo próprio jornal.

No decorrer das revelações acerca da conduta de Wajngarten enquanto titular de um órgão presidencial, o Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) emitiu hoje um pedido de concessão de uma ordem judicial provisória que autorize a anulação da nomeação do atual secretário para o cargo de chefe da Secom, assim como do secretário-adjunto da Comunicação Social, Samy Liberman.

“O senhor Fabio Wajngarten atentou contra princípios constitucionais (…). Como agente político, deveria zelar pelo bom andamento das instituições e jamais ter agido visando o benefício próprio”, afirma o documento, que pede ainda a anulação de todos os seus atos praticados enquanto secretário.

Esquerdistas não merecem ser tratados como “pessoas normais”

“Quis o povo me eleger para governar aqueles que no passado colocaram o país na dificuldade que se encontra. (…) Peço a Deus que continue a abençoar o nosso Brasil, abra a mente de quem está do lado da esquerda. Essa maldita esquerda que não deu certo em lugar nenhum, e que alguns teimam que volte ao poder. Agradeço a Deus pelo milagre da eleição”, disse o chefe de Estado.

No seu discurso numa cerimónia sobre a mudança no comando da Operação Acolhida, programa do Governo do Brasil destinado ao apoio a migrantes venezuelanos, Bolsonaro apelou a que os brasileiros não voltem a colocar partidos de esquerda no poder.

Não dê oportunidade para essa esquerda. Eles não merecem ser tratados como se fossem pessoas normais, como se quisessem o bem do Brasil, isso é mentira. Não podemos em 2022 [ano das próximas eleições presidenciais] chegar na situação a que chegou a Argentina no corrente ano, ou como está o Chile, que está a caminhar para o caos, o socialismo”, acrescentou Bolsonaro.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"Marte está vivo". Sonda InSight regista mais de 170 eventos sísmicos no Planeta Vermelho

Resultados dos primeiros dez meses de exploração da sonda InSight da NASA revelaram que o Planeta Vermelho é um mundo com atividade sísmica ativa. "Marte está vivo e a cada diz que passa começo a ter …

Um planeta pode ter sido "roubado" do Sistema Solar

Uma nova análise de astrónomos da Universidade Stony Brook, em Nova Iorque, revelou que as estrelas "roubam" planetas umas às outras - e isso também poderá ter acontecido no nosso próprio Sistema Solar. Quase tudo o …

Netflix passa a mostrar "top 10" diário de séries e filmes

A Netflix disponibiliza, desde esta segunda-feira (24), uma nova feature para os utilizadores do serviço de streaming: uma lista com os 10 filmes e as 10 séries mais vistas no país em cada dia. Esta nova …

A Realidade Virtual pode ser a próxima terapia para tratar pânico, fobias e distúrbios

A Oxford VR, empresa britânica de realidade virtual, acaba de acumular mais de 13 milhões de euros para investir na terapia com a tecnologia do futuro. A companhia surgiu a partir do departamento de psiquiatria da …

Apple não deixa que vilões de filmes usem iPhones

A Apple não deixa que os vilões dos filmes de Hollywood usem os telemóveis iPhone no grande ecrã. Esta é apenas uma das empresas que não permite este tipo de coisa. Os filmes podem ter uma …

O coronavírus pode ser a "doença X" temida pelos especialistas

O coronavírus, que já matou 2.700 pessoas e infetou mais de 80 mil desde dezembro, está a tornar-se "rapidamente" no primeiro grande desafio pandémico do mundo, enquadrando-se nos moldes da "doença X" temida por especialistas. O …

Media Capital passou de lucros a prejuízos de 54,7 milhões

A Media Capital registou prejuízos de 54,7 milhões de euros no ano passado, contra lucros de 21,6 milhões de euros um ano antes, anunciou hoje a dona da TVI, que está em processo de compra …

Camas na classe económica dos aviões podem vir a tornar-se uma realidade

A companhia aérea neozelandesa Air New Zealand está a pensar incluir camas na classe económica de alguns dos seus voos mais longos. A ideia deverá avançar dentro de um ano. A companhia aérea neozelandesa Air New …

Temperatura do planeta pode estabilizar nos valores de há três milhões de anos

A temperatura no planeta pode estabilizar nos valores de há três milhões a cinco milhões de anos, caso a humanidade consiga estancar as emissões de gases com efeito de estufa até 2030, diz a especialista …

Operação Lex. Juiz Vaz das Neves arguido por corrupção e abuso de poder

O ex-presidente do Tribunal da Relação de Lisboa Vaz das Neves é arguido na Operação Lex por suspeitas de corrupção e abuso de poder relacionadas com a distribuição eletrónica de processos, disse à Lusa fonte …