Bolívia suspende a Constituição para permitir a Morales o quarto mandato

agenciaandes_ec / Flickr

Evo Morales, o presidente da Bolívia

A Justiça da Bolívia decidiu acabar com o número máximo de mandatos consecutivos no país. A decisão favorece o atual presidente, Evo Morales, mas os Estados Unidos pedem ao presidente que renuncie a um quarto mandato.

O Tribunal Constitucional da Bolívia aceitou o recurso apresentado em setembro pelo Movimento para o Socialismo (MAS), partido de Evo Morales, para suspender os artigos da Constituição que vetavam duas reeleições consecutivas, impedindo assim a candidatura do presidente em 2019.

Segundo a BBC, os apoiantes de Morales invocaram a Convenção Americana dos Direitos Humanos e o seu artigo 23.º sobre os direitos políticos para argumentar que deve ser respeitado o direito do Presidente de ser eleito e do povo de o eleger.

O Tribunal concluiu que as cláusulas afetavam os direitos políticos do governante e do seu vice-presidente, Álvaro García Linera, assim como os de todos os políticos cuja reeleição estava limitada até então, considerando que estes direitos devem prevalecer sobre as restrições constitucionais.

A decisão do Tribunal Constitucional difere do resultado do referendo, realizado em fevereiro de 2016, no qual a maioria da população rejeitou uma reforma da Constituição que permitiria a reeleição do atual presidente. A vitória do “sim” teria permitido que Evo Morales concorresse em 2019, depois de já ter sido eleito três vezes.

A Constituição da Bolívia permite apenas dois mandatos presidenciais consecutivos, mas o Tribunal Constitucional já havia autorizado Morales a candidatar-se em 2014 a um terceiro mandato, argumentando que o primeiro (2006-2009) não tinha contado devido à reforma constitucional de 2009.

Os líderes da oposição manifestaram-se contra a decisão do Tribunal Constitucional, alegando que a reeleição de Morales atenta contra a democracia e mostra que a Justiça se sujeita aos interesses do Governo.

Além disso, a oposição considerou também que a decisão do Tribunal Constitucional veio reforçar o voto nulo, por parte da oposição, nas eleições de autoridade judiciais marcadas para o próximo domingo.

O ex-presidente Carlos Mesa afirmou que a decisão do Tribunal Constitucional da Bolívia “destrói as garantias democráticas e transforma a Bolívia num país submetido às arbitrariedades do presidente Evo Morales”.

EUA pedem a Morales que renuncie

Os Estados Unidos apelaram ao presidente da Bolívia que respeite o resultado dos referendos constitucionais de 2009 e 2016 e que renuncie ao quarto mandato consecutivo.

Segundo o Observador, a Bolívia votou, em 2009, a favor da atual Constituição (64,3%), qu define dois mandatos presidenciais consecutivos. Por sua vez, os Estados Unidos lembram que, em 2016, a Bolívia rejeitou uma proposta de reforma da Carta Magna para autorizar a reeleição indefinida (51,3%).

De acordo com um comunicado do Departamento de Estado norte-americano, o país está “profundamente preocupado com a decisão do Tribunal Constitucional da Bolívia de declarar inaplicáveis as disposições da Constituição do país que proíbe os cargos eleitos, incluindo o Presidente, de servir mais de dois mandatos consecutivos”.

A administração de Donald Trump refere que o povo da Bolívia “falou de forma clara” e que a decisão “menospreza a vontade do povo confirmada nos referendos, sendo um passo atrás na democracia”.

ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Imperador japonês paga 25 milhões de dólares por ritual secreto para dormir com deusa

Este ritual de sucessão do Imperador Naruhito aconteceu na quinta-feira e envolve dormir com uma deusa do Sol. O templo é construído para o efeito e é destruído depois. O ritual japonês altamente secreto conhecido como …

Para entrar nesta praia italiana, vai ser preciso pagar (e nem todos podem entrar)

Aos pés de uma antiga aldeia de pescadores, La Pelosa é uma atração turística muito célebre. Por isso, a autarquia decidiu tomar medidas para a proteger. A famosa praia tem sido uma vítima da erosão natural …

Laurent Simons será o mais novo licenciado do mundo. Tem 9 anos

O belga Laurent Simons tem apenas 9 anos e estás prestes a bater um recorde: em dezembro, deverá tornar-se o mais novo licenciado do mundo. O "menino prodígio", tal como é apontado pelos média internacionais, ingressou …

Preços dos passes Navegante ficam iguais em 2020

Os preços dos passes Navegante vão manter-se iguais em 2020, no âmbito da estratégia de “promoção da utilização dos transportes públicos coletivos”, anunciou esta sexta-feira a Área Metropolitana de Lisboa (AML). “A Área Metropolitana de Lisboa …

Os burros-táxi de Espanha vão ter horários de trabalho, estábulos novos e deixar de carregar turistas de 80 quilos

Os burros táxis são uma atração turística de Mijas, província de Málaga, no sul de Espanha. Agora foram definidas novas regras que têm em conta os direitos e o bem-estar dos animais. O serviço funciona como …

Vai ser preciso "ser-se rico" para visitar a famosa Ilha de Komodo

Em breve, os turistas que queiram visitar a Ilha de Komodo, o famoso lar de mais de 5.000 dragões de Komodo, terão de ser ricos. O aviso é do Governo local indonésio, que chegou mesmo …

Sócrates saúda saída da prisão de Lula. "Sei que estás em festa, pá"

O antigo primeiro-ministro José Sócrates, acusado de corrupção, considerou que a saída da prisão de Lula da Silva representou uma "reentrada no mundo" do ex-chefe de Estado brasileiro, acontecimento em relação ao qual o PS, …

Ministra da Justiça visitou mãe que abandonou bebé no lixo

A mãe que abandonou o bebé no caixote do lixo em Lisboa está bem de saúde e a receber apoio psicológico, constatou a ministra da Justiça, que esta sexta-feira visitou a jovem na cadeia de …

Ex-embaixadora dos EUA na Ucrânia acusa Trump de intimidação

Marie Yovanovitch, antiga embaixadora dos Estados Unidos na Ucrânia, denunciou esta sexta-feira a existência de uma campanha para a descredibilizar levada a cabo por Donald Trump com ajuda de ucranianos, no inquérito para a destituição …

Subida do Salário Mínimo Nacional vai aumentar as propinas

A subida do Salário Mínimo Nacional para os 635 euros em 2020, vai ter influência em valores a pagar ou a receber, nomeadamente nas propinas mínimas do Ensino Superior público e nos tectos do Fundo …