Bife criado em laboratório pode resolver um grande problema (mas tem um pequeno senão)

Cientistas criaram um bife em laboratório com a mesma textura que um bife real e com uma maior resistência microbial. O único problema é que não é comestível.

Através de ciência regenerativa usada no desenvolvimento de medicamentos e da recolha de células de bovino, cientistas no Japão garantem que o seu novo bife não só tem uma textura semelhante a um bife real, como também permanece livre de bactérias por um período muito mais longo. O que pode, potencialmente, ajudar a reduzir o desperdício de comida.

O único problema até agora? O bife não é comestível.

Carne desenvolvida em laboratórios procura preencher uma lacuna deixada pelas alternativas à base de plantas no que toca à demanda global de alimentos. Esta carne artificial não só esfumaça as preocupações éticas com a indústria da produção de carne como também reduz os seus efeitos ambientais, escreve o portal Inverse.

Alternativas à carne real vinda de animais não são uma novidade. Algumas inovações estão por aí há mais de uma década e têm vindo a crescer gradualmente. Ainda assim, há muitos obstáculos a superar antes de ter um produto que substitua a todos os níveis um clássico bife de vaca.

“Como os tecidos musculares de cultura bovina construídos usando estes métodos são pequenos em tamanho, estes tecidos podem [apenas] ser usados como carne picada”, escrevem os autores, explicando as deficiências de tentativas de estudos anteriores.

Para conseguir uma textura semelhante à carne real, a equipa de investigadores apostou num tipo de desenvolvimento de tecido regenerativo usado na indústria farmacêutica. Aplicando choques elétricos suaves, os cientistas conseguiram estimular a maturidade e atingir a textura procurada.

 

Furuhashi et al. / NPJ Science of Food

Comparação entre a carne desenvolvida em laboratório (em cima), antes e depois de cozinhada, com carne real disponível comercialmente.

Para dar à carne artificial um tom mais natural, injetaram tinta vermelha. Foram precisos 14 dias para a carne criada em laboratório atingir a maturidade. Os resultados do estudo foram publicados esta semana na revista Science of Food.

Apesar de preencher os requisitos na textura, a carne artificial deixava a desejar noutros critérios. Enquanto a carne natural perdeu apenas 40% do seu peso ao ferver na frigideira, a amostra desenvolvida em laboratório perdeu uma percentagem estonteante de 90% de peso.

A carne também não é, para já, comestível, devido aos materiais artificiais usados para manter a amostra de tecido unida. Todavia, como contrapartida, tem uma maior resistência microbial.

Daniel Costa Daniel Costa, ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

    • Possivelmente um bug a ser comercializado como feature. Resta saber se derivou dos tais materiais não consumíveis que foram injetados para preservar a consistência.

RESPONDER

Parques solares flutuantes podem arrefecer lagos ameaçados pelas alterações climáticas

Parques solares flutuantes, cuidadosamente projetados, podem arrefecer lagos ameaçados pelas alterações climáticas. As simulações feitas por cientistas mostraram resultados promissores. A energia solar é agora a fonte de eletricidade mais barata da história, de acordo com …

Identificado suspeito de tiroteio em armazém da FedEx nos Estados Unidos

Esta sexta-feira, as autoridades norte-americanas anunciaram ter identificado o suspeito do tiroteio que resultou na morte de oito pessoas num armazém da FedEx, em Indianápolis, nos Estados Unidos. De acordo com o Expresso, trata-se de um …

António Gameiro, suspeito na Operação Triângulo, retira candidatura à Câmara de Ourém

O deputado António Gameiro, um dos suspeitos na "Operação Triângulo", anunciou que vai retirar a sua candidatura à Câmara de Ourém. O deputado do PS António Gameiro retirou a sua candidatura à Câmara de Ourém, demitiu-se …

Task force muda regras. Vai ser mais difícil saber qual a vacina que será administrada

Vai ser mais difícil para as pessoas acima dos 60 anos saber com antecedência qual será a vacina que vão receber (AstraZeneca, Pfizer e Moderna). Todas as semanas, as três vacinas passam a "rodar de …

O segredo dos bigodes dos animais tem a forma de um S (e reside na forma como dobram)

Há muitos mamíferos que têm bigodes para sentirem o ambiente à sua volta, semelhante à sensação do tato. No entanto, os meios pelos quais os bigodes comunicam essa sensação de toque ao cérebro ainda permaneciam …

O trabalho de um aluno de Física chamou a atenção dos investigadores quânticos da Amazon

Os cientistas têm várias preocupações relacionadas com o potencial dos computadores quânticos e o progresso neste campo tem sido muito lento. Recentemente, um dos obstáculos pode ter sido reduzido por um estudante de Física da …

Famosa rajada rápida de rádio bateu recorde (e revelou magnetosfera "dançante" em estrela de neutrões)

Duas equipas internacionais de astrónomos publicaram dois artigos científicos com novas informações sobre a famosa rajada rápida de rádio FRB20180916B. No estudo publicado na Astrophysical Journal Letters, os cientistas mediram a radiação das explosões nas frequências …

Farense 0-1 Sporting | Beto e Adán gigantes em noite de recorde leonino

O Sporting sofreu bastante para levar os três pontos na visita ao Farense. O líder do campeonato marcou um golo, por Pedro Gonçalves, dominou durante a primeira parte, mas na segunda deixou os algarvios criarem …

Uma simples mudança está a evitar a morte de um macaco em vias de extinção

Cientistas conseguiram dar uma tábua de salvação a uma espécie de macaco em risco de extinção, cujos espécimes são frequentemente atropelados por automóveis nas estradas de um parque nacional em Zanzibar. De acordo com a Lista …

Antigo rito sagrado "entre irmãos" pode ter sido, na verdade, o casamento homossexual

A adelfopoiese era uma cerimónia praticada historicamente na tradição cristã para unir duas pessoas do mesmo sexo - normalmente homens - num relacionamento reconhecido pela igreja, análogo ao irmão. Segundo documentos históricos, com 20 anos, Simeão …