Biden assume leme dos EUA. Trump concede 140 perdões (e pede que se “reze” pelo sucessor)

Joe Biden assume esta quarta-feira o leme dos Estados Unidos. Porém, antes de sair, o Presidente cessante, Donald Trump, perdoou e comutou penas a mais de 140 pessoas.

Nas horas finais da sua presidência, Donald Trump perdoou 73 pessoas, incluindo o seu ex-conselheiro Steve Bannon, que enfrenta acusações de fraude. Outras 70 pessoas tiveram as suas sentenças comutadas.

De acordo com a BBC, Steve Bannon foi um importante estrategista e conselheiro de Trump durante a sua campanha de 2016, acusado em agosto do ano passado de fraude numa campanha de angariação de fundos para construir um muro na fronteira dos Estados Unidos com o México.

O rapper Lil Wayne recebeu um perdão e houve comutações para Kodak Black e o ex-autarca de Detroit Kwame Kilpatrick.

Lil Wayne confessou ser culpado de uma acusação federal de porte de armas no ano passado e foi perdoado. Kodak Black, que também foi acusado de crimes com armas de fogo, teve a sua sentença de três anos e 10 meses comutada.

Além disso, Kwame Kilpatrick foi condenado em 2013 a 28 anos de prisão sob a acusação de extorsão e suborno durante o seu mandado como autarca de Detroit entre 2002 e 2008. A sua sentença foi comutada.

Já Anthony Levandowski recebeu o perdão total de uma sentença de 18 meses. O ex-engenheiro da Google, admitiu ter roubado tecnologia secreta relacionada com carros autónomos da empresa.

O Presidente não concedeu perdões preventivos a si mesmo ou aos seus familiares. Trump ainda pode emitir mais indultos na manhã desta quarta-feira, uma vez que permanece no cargo até que Biden faça o juramento de posse fora do Capitólio.

Trump pede que americanos “rezem” pelo novo Governo

Num discurso de despedida à nação esta terça-feira, Donald Trump tentou destacar os sucessos do seu Governo, numa altura em que está implicado num julgamento de impeachment sob a acusação de incitar uma insurreição.

Trump apelou também aos americanos para “rezar” pelo novo Governo.

“Esta semana, inauguramos um novo Governo e oramos pela seu sucesso em manter a América segura e próspera”, disse Trump, que não deverá comparecer à posse do presidente eleito Joe Biden, citado pela NBC News.

“Fizemos o que viemos fazer aqui – e muito mais”, referindo-se às conquistas legislativas conservadoras do governo, reforma da justiça criminal, ganhos no mercado de ações, benchmarks económicos e nomeações judiciais recorde. “Acima de tudo, reafirmamos a ideia sagrada de que, na América, o Governo responde ao povo”.

Trump falou novamente contra a rebelião no Capitólio após ter sido universalmente condenado por incitar a multidão. “Todos os americanos ficaram horrorizados com o ataque ao nosso Capitólio. A violência política é um ataque a tudo que prezamos como americanos”, afirmou. “Isso nunca pode ser tolerado.”

Trump disse ainda que o país “deve ser sempre uma terra de esperança, luz e glória para todo o mundo”, enquanto também elogiou os esforços de imigração de linha dura do Governo e o seu muro de fronteira há muito prometido, que ficou aquém do que Trump inicialmente prometido.

Biden empossado numa Washington deserta e vigiada

Joe Biden toma posse esta quarta-feira como Presidente dos Estados Unidos, numa Washington deserta, por causa da pandemia, e invadida por 25 mil soldados, por causa da segurança.

Os habitantes de Washington foram convidados a ficar em casa e a acompanhar virtualmente a cerimónia de tomada de posse de Joe Biden como 46.º Presidente dos Estados Unidos, para não correrem riscos sanitários, por causa da pandemia de covid-19, ou de segurança, lembrando ainda o ataque ao Capitólio, no passado dia 6.

Quem já prometeu que não ficará sequer em Washington é o Presidente cessante, Donald Trump, que assistirá à cerimónia a partir do seu clube em Mar-a-Lago, na Florida, rompendo com a tradição de estar presente na transferência de poderes.

A tradição diz que o Presidente cessante e a primeira-dama dão as boas-vindas ao novo casal presidencial na manhã da cerimónia de investidura, antes de todos se deslocarem desde a Casa Branca até ao Capitólio.

O Governo cessante estará representando pelo seu vice-preseidente, Mike Pence, que já telefonou à sua sucessora, Kamala Harris, dando-lhe os parabéns pela vitória nas eleições de 3 de novembro, ao contrário do que Trump fez com Biden.

Daniel Irungu / EPA

Para além das questões de segurança, que obrigaram à convocação de um enorme efetivo da Guarda Nacional, a tomada de posse fica marcada pela pandemia de covid-19, que já tinha dominado a campanha eleitoral e que agora obriga a medidas de restrição no protocolo da cerimónia.

Sem público a assistir presencialmente, o evento passa para o registo virtual, acompanhado por um programa televisivo que será transmitindo em direto e em simultâneo por vários canais, conduzido pelo ator Tom Hanks e em que a cantora Lady Gaga entoará o hino nacional e o momento musical fica a cargo da latina Jennifez Lopez

Logo a seguir ao juramento, Biden deverá colocar uma coroa de flores no túmulo do soldado desconhecido, no cemitério nacional de Arlington, ao lado dos seus três antecessores, que estarão presentes em todos os momentos da tomada de posse: Bill Clinton, George W. Bush e Barack Obama.

No regresso do cemitério, a procissão presidencial parará a algumas centenas de metros da Casa Branca e Joe Biden poderá caminhar até à sua nova residência.

O novo Presidente poderá então anunciar as suas primeiras decisões presidenciais, das quais foi dando já alguns sinais, nomeadamente anunciando que deverá usar alguns decretos para dar um primeiro impulso ao seu programa político.

Maria Campos Maria Campos, ZAP // Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Depois do balde de água fria da pandemia, Israel vai ficar melhor do que nunca. Tudo pelos turistas

Israel está fechado em casa e viajar para este país não faz parte dos planos de muitas pessoas. No entanto, este período de acalmia pode mesmo ser o melhor momento para planear uma viagem - …

Menos 1,3 milhões de consultas nos hospitais e menos 151 mil cirurgias em 2020

No ano em que a pandemia chegou a Portugal, houve menos 151 mil cirurgias e menos 1,3 milhões de consultas nos hospitais públicos. A covid-19, que chegou a Portugal a 2 de março de 2020, obrigou …

Várias escolas de Tóquio pedem "certificados de cabelo real" aos alunos

As escolas japonesas são conhecidas pela sua rigidez relativamente à aparência dos seus alunos, tanto que os estudantes que não seguem o padrão de "cabelo liso e preto" têm de apresentar provas. Dados divulgados, esta semana, …

UE estima normalidade nas vacinas daqui a duas semanas. Orbán recebeu vacina chinesa

A União Europeia (UE) estima que dentro de duas a três semanas "tudo vai funcionar normalmente" na produção e distribuição de vacinas nos Estados-membros. Entretanto, o primeiro-ministro húngaro já foi vacinado (mas com uma vacina …

"Os dados de milhões de pessoas estão em risco", alertam denunciantes da Amazon

Denunciantes da Amazon alertam que os dados de milhões de pessoas estão em risco devido à falta de preocupação da empresa com a cibersegurança. A par da Google, Apple, Microsoft e Facebook, a Amazon é uma …

Mais 41 mortes e 718 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas

Portugal registou, este domingo, mais 41 mortes e 718 novos novos casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 718 …

Navalny chega a colónia penal a leste de Moscovo

O principal opositor do Kremlin chegou, este domingo, a uma zona a cerca de 200 quilómetros a leste de Moscovo para ser transferido para uma colónia penal onde vai cumprir a sua pena, informou um …

Já chegou o voo de repatriamento com 300 passageiros vindos do Brasil

O voo de repatriamento vindo do Brasil chegou, este domingo de manhã, ao Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, com cerca de 300 passageiros. De acordo com a RTP, o voo de repatriamento vindo de São Paulo, …

Costa imune ao descontrolo da pandemia. Popularidade de Marcelo dispara

A sondagem TSF/JN/DN regista uma avaliação positiva do primeiro-ministro e do Presidente da República, com este a atingir um novo pico de popularidade. Os líderes do PSD e do Chega surgem empatados como principais figuras da …

Mais seis mortos nos protestos em Myanmar. Embaixador na ONU afastado

Seis manifestantes foram mortos em Myanmar, este domingo, por forças de segurança que dispersavam com violência as manifestações pró-democracia. Três manifestantes foram mortos em Dawei (no sul do país), enquanto dois adolescentes, de 18 anos, morreram …