Jeff Bezos poderá tornar-se o primeiro trilionário do mundo

16

Steve Jurvetson / Flickr

Jeff Bezos, CEO da Amazon

O fundador da Amazon poderá tornar-se em 2026 o primeiro milionário do mundo a atingir uma fortuna pessoal de um bilião de dólares – ou “one trillion dollars”, na notação norte-americana, segundo uma investigação recente.

De acordo com o New York Post, Jeff Bezos, cuja fortuna está estimada em 143 mil milhões de dólares, tem estado a ser um dos assuntos do momento no Twitter, depois de uma recente investigação sugerir que o fundador da Amazon poderá tornar-se o primeiro trillionaire do mundo.

As publicações basearam-se num estudo da Comparisun que afirmava, há alguns meses, que, até 2026, a sua riqueza ia estar avaliada em mais de um bilião de dólares, avança também a revista Sábado.

Ao contrário da maioria das empresas, o CEO da Amazon viu os seus lucros aumentarem com a pandemia de covid-19. Em abril, o índice da agência Bloomberg colocou Bezos a valer 138 mil milhões de dólares, mais 24 mil milhões do que valia antes do aparecimento do novo coronavírus.

A Amazon tem visto um aumento significativo da procura, devido ao facto de pessoas em todo o mundo estarem confinadas em casa para conter a propagação do vírus. Ao mesmo tempo, tem sido alvo de muitas críticas dos seus funcionários, que dizem não ter as condições de trabalho necessárias.

Bezos lidera, pelo terceiro ano consecutivo, a lista anual da revista Forbes que elenca as pessoas mais ricas do mundo, apesar de o recente divórcio ter feito com que a sua fortuna “emagrecesse” no último ano.

  ZAP //

16 Comments

  1. Vai ter uma campa maior para viver feliz eternamente. Advogo que o dinheiro é necessário até um certo ponto. A partir daí a sua utilidade marginal decai a pique. Vai comprar mais um iate!??! Vai comprar mais um carrão quando já tem 20 ou 30??!!!

      • Poder fazer uma coisa, não faz dessa coisa uma coisa importante. Não deves ter percebido o que disse o comentário acima do teu. A partir de uma determinada quantidade, o dinheiro já não traz mais felicidade, torna-se uma dependência mais do que uma liberdade.

        Talvez seja algum tipo de inveja a falar quando respondes “o dinheiro é dele”. As pessoas estão-se bem cagando se o dinheiro é dele ou se passa a ser da mulher quando tiver dívidas… Isso é irrelevante pois eu não lhe quero tirar o dinheiro. apenas constato que dinheiro a mais não é sinónimo de felicidade. tu na tua fantasia invejosa, deves estar todo maluco a pensar em como gostarias de ter o dinheiro dele, e por isso, do fundo da tua miséria glorificas a fortuna dele. Mas estás em pleno delírio.

        Acho ótimo que o dinheiro “seja dele” porque eu não trocava a minha vida pela dele nem pelo triplo da fortuna dele. Aliás, como já disse, a partir de dado valor, quanto mais pior.

      • E olhe que por aqui andamos sempre em desacordo. Quando este personagem tiver 90 ou 100 anos e olhar para trás, vai perceber que grande parte da sua vida terrena (se é que há mais alguma) foi passada enquanto escravo da enormidade que criou. Dou-lhe mérito por isso e não tenho nada contra. Mas também sei que quanto maior o barco, mais difícil é ter vida própria… ou mesmo vida.

    • Vai ser preciso para comprar a ‘vida eterna’ quando disponível. Uma pessoa normal só precisa de ter uma casa sem hipoteca e um rendimento de 900 euros para as despesas mensais. O resto é para dar nas vistas e um desperdício que empobrece o planeta de recursos

      • Pois, mas se não existirem empreendedores, esses empregos para pagar uma casa e 900 euros de despesas mensais, não existem… como é bom ser empregado por conta de outrém, ao mesmo tempo que se critica quem criou uma empresa que dá emprego directo e indirecto a milhões de pessoas.

  2. O dinheiro modestamente ganho, ajuda-me a viver dignamente, enquanto outros não “vivem”, são meros servos da fortuna. Cada um o seu Carma !…..Vivo humildemente e sou Feliz !

  3. Vejo pessoas que querem parecer as donas da razão quando dizem que o dinheiro não traz felicidade, ou que viver com o mínimo traz mais valor as coisas. agora, pergunto a você que pensa assim: qual o problema de ser o homem mais rico do mundo? Qual o problema de querer sempre mais?, Ver problema nisso é querer que a pessoa em questão pense o mesmo que você, se não, ela parece errada.
    fazemos o que nos faz sentirmos vivos. na minha opinião, não é o contentamento com o que já temos que traz sentido a vida, isso nos torna irrelevantes. ja a ambição humana é o que move as coisas. você está lendo esse comentário porque algumas pessoas tiveram a ambição de criar a internet. não porque elas quiseram conectar o mundo, não porque elas quiseram fazer uma revolução na humanidade, o fizeram porque sua ambição os moveu. sim, eles com certeza pensaram em tudo que viria depois, e isso os motivou mas foi a ambição que os moveu. Agora pergunto novamente a você: qual o problema de sua ambição ser em ter mais dinheiro? – algo que duvido muito que seja a ambição da pessoa em questão – se a maneira como ele adquiri patrimônio for honesta não a problema nisso.
    Agora se você acha que os ricos deveriam doar suas fortunas, faça a sua e a doe ….. bom se seu altruísmo não chegou a esse ponto, continue vivendo sua vida e deixe as outras viverem o que as faz se sentir vivas.

  4. Em criança era pobre. Cheguei a passar fome. Dormia numa cama desconfortável e partida, e numa casa que chovia lá dentro. Nos dias de vento a grande preocupação era o telhado, tínhamos medo que o mesmo não aguentasse. Na escola, os meus colegas, tinham roupas de marca e ténis também, eu tinha o que era possível, mas sempre roupa lavada, nada de marca, mas sempre bem apresentado. Embora pobre, sempre muito educado, porque pobreza não tem nada a ver com má educação, essa existe em todas as classes sociais. Fui estudando, estudando, tirando cursos, tudo com o objetivo de conseguir uma vida melhor, e consegui. Tenho uma excelente capacidade financeira. Vários imóveis em Portugal e no estrangeiro. Uma coleção de carros antigos, adoro carros que fizeram história. Ter capacidade financeira é bom e permite-me ajudar muitas pessoas. Não vejo nada de mal em ser rico, como não vejo nada de mal em ser pobre, a não ser o facto das fracas condições que isso acarta. Pessoalmente já passei por elas, sei do que falo.

  5. Boa noite! Na minha modesta opinião e principalmente sem querer “ofender” ninguém, acho que quem é milionário ou multimilionárioo, “deveria” ter uma verdadeira consciência do que pode fazer para ajudar as imensas pessoas que nada ou quase nada têm para poderem viver condignamente como seres humanos neste mundo, principalmente na alimentação e abrigo, mas cada um sabe de si e faz o que quer e bem lhe apetece ao dinheiro que tem e ninguém tem nada com isso! “Agora, fica na consciência de cada um deles…” Como por exemplo, eu não me considero rico nem pobre, ou seja, vou vivendo com o que tenho e por vezes o que não tenho no meu dia-a-dia, com maiores e menores dificuldades, como a saúde da minha mulher e minha, que não são das melhores, mas desde que eu tenha alimentação para os meus dois filhos menores (12 e 15), para a minha esposa e para mim, termos um teto para habitarmos, mas também o dinheiro necessário para podermos pagar todas as nossas despesas, aí, eu já fico satisfeito. Mas, fico triste quando vejo pessoas a pedir porque verdadeiramente precisam e nessa altura, eu sinto uma vontade indescritível de ajudar e também se realmente eu puder, é claro! Como por exemplo: sei que a minha mulher não gosta, mas sem ela saber já dei dinheiro, até mesmo os únicos 2 euros que eu tinha no bolso, para uma pessoa que estava a pedir… Entre muitas outras minhas “dádivas”, uma que fiz, acho que foi “especial” e foi o seguinte: certo dia, estava eu numa esplanada a almoçar, quando vejo uma senhora a pedir para ela poder se alimentar, onde no qual eu a convidei a sentar-se junto a mim na mesa para almoçar o mesmo que eu (sopa, frango assado, batata assada, arroz, salada, pão e bebida, onde no qual ela pediu água e eu sugeri-lhe sumo, ao que ela aceitou com agrado. No fim, ela disse-me que precisava de pão para casa, para os seus filhos. A seguir comprei broa e pães e dei-lhe. Depois dessa situação, eu senti-me muito feliz por ter feito algo por alguém que, acho eu que realmente precisava. Refiro que depois, aconteceram-me coisas boas, com as quais eu não contava, mas… POR FIM: “ACHO QUE SE AJUDARMOS, NUNCA É DEMAIS”. Muto Obrigado e mais uma vez BOA NOITE

  6. Li todos comentários e achei-os inteligentes os que escreveram . Vamos e convenhamos: ter muito dinheiro é melhor do não ter nada,é obvio. A vida se resume em felicidades e para tê-las é preciso saúde,paz e riqueza,seja pouca ou muita,não importa.Diz o ditado que saco vazio não fica em pé.A riqueza tem os seus lados negativos,quando o que possui se torna um torna um tirano avarento e cruel; um indivíduo que não se solidariza com o seus semelhantes necessitados;que passa despercebido vendo os mais humildes com indiferença. Vamos acabar com preconceitos e trabalharmos por um mundo melhor e tirarmos de nossas mentes essas idéias ultrapassadas do cristianismo falido e escravagista e hipócrita. É o que pensa joaoluizgondimaguiargondim

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.