Bento XVI culpa Igreja Católica pelas leis que protegiam padres em casos de abuso sexual

O Papa Bento XVI publicou recentemente uma análise sobre os abusos sexuais por parte do clérigo, culpando a Igreja Católica pela revolução sexual dos anos 60 e pelas leis que protegiam os padres.

A análise de Bento XVI – que em 2013 reformou-se para ter uma vida de penitência e oração – despertou imediatamente a atenção, parecendo interferir, ou mesmo contrariar, os esforços do Papa Francisco para lidar com uma das questões mais críticas que a Igreja enfrenta atualmente, indica um artigo do Time, divulgado na quinta-feira.

Na sua introdução, Bento XVI alegou que tanto o secretário de Estado do Vaticano quanto o Papa Francisco lhe deram permissão para publicar o artigo, difundido pelo jornal alemão Klerusblatt. A assessoria de imprensa do Vaticano confirmou que o mesmo foi escrito pelo Papa emérito.

No ensaio, traçou o início da crise dos abusos sexuais por parte do clero na revolução sexual dos anos 60, citando a surgimento de sexo em filmes na sua terra natal, a Baviera. Culpou a crise pelos fracassos da teologia moral naquela época, bem como as leis da igreja, que deram proteção indevida aos padres acusados por tais crimes.

Bento XVI escreveu que, durante as décadas de 1980 e 1990, “o direito a uma defesa [para os padres] era tão amplo que tornava a condenação quase impossível”.

Em 2001, enquanto cardeal Joseph Ratzinger, Bento XVI reformou essas leis, facilitando a exclusão de padres que abusavam de crianças. Como chefe da doutrina conservadora do Vaticano, adotou uma linha dura contra o abuso sexual por parte do clérigo, e mais tarde, como Papa, exonerou centenas de padres acusados ​​de violar e molestar menores.

“Por que a pedofilia atingiu tais proporções? Em última análise, a razão é a ausência de Deus”, escreveu no artigo.

Analistas da Igreja nos Estados Unidos (EUA) afirmaram que o ensaio é falho no conteúdo e problemático, potenciando as divisões existentes na igreja, que surgiram entre os partidários do Papa Francisco e os católicos nostálgicos do papado de Bento XVI.

Para Massimo Faggioli, teólogo da Universidade de Villanova (EUA), a análise é fraca ao atribuir o escândalo da Igreja Católica à revolução sexual. Na sua opinião, Bento XVI omitiu os principais casos, como a pedofilia da Legião de Cristo, que começou bem antes disso.

“Se um papa emérito decide ficar em silêncio, é uma coisa e pode ser defendida. Mas se fala e conta uma pequena parte e uma versão muito pessoal da história, é difícil de defender”, referiu no Twitter.

“Tudo o que sabemos na história global da crise dos abusos católicos torna a análise de Bento XVI publicada ontem muito fina ou pior: uma caricatura do que aconteceu na Igreja Católica durante o período pós-Vaticano II – com todas as suas ingenuidades e alguns erros trágicos”, acrescentou.

O historiador Christopher Bellitto questionou se Bento XVI, que faz 92 anos na próxima semana, estava a ser manipulado por outros, salientando que o ensaio minou os esforços do Papa Francisco para afastar a igreja da atual crise.

O teólogo frisou que o ensaio é “catastroficamente irresponsável” e que omite as conclusões críticas que surgiram em fevereiro, incluindo que “os abusadores são padres ao longo do espetro ideológico, que o abuso antecedeu a década de 60, que é um problema global e não ocidental, que a homossexualidade não é o problema na pedofilia”.

David Gibson, do Centro de Religião e Cultura da Universidade Fordham (EUA), concordou com essa avaliação. “Para um Papa reformado tentar desfazer o trabalho de um Papa sentado e numa questão tão crucial parece… ruim”, enunciou.

TP, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Iraque condena três franceses a pena de morte por pertencerem ao Estado Islâmico

Três homens de nacionalidade francesa foram este domingo condenados a pena de morte, pelo tribunal de Bagdade, capital do Iraque, por pertenceram ao Estado Islâmico, avança a AFP, que cita o juiz que leu a …

Oposição levou mais gente às ruas do que Bolsonaro

Manifestações a favor do presidente Jair Bolsonaro e da reforma da previdência, o principal objetivo do governo neste ano, moveram milhares de brasileiros em pouco mais de 130 cidades de 26 estados do Brasil. No passado …

Utentes da Soflusa estão “cansados” de constantes supressões

Os utentes da Soflusa mostraram-se esta segunda-feira "cansados" das constantes supressões das ligações fluviais entre o Barreiro e Lisboa, que estão hoje a acontecer durante todo o dia devido à falta de mestres. "Já estou a …

Banco Alimentar recolhe 1.605 toneladas de alimentos no fim de semana

O Banco Alimentar contra a Fome recolheu 1.605 toneladas de alimentos durante o fim de semana da campanha nacional que decorreu em mais de duas mil superfícies comerciais, anunciou a presidente do Banco Alimentar contra …

Sérgio Conceição apontado à Lazio

A imprensa italiana aponta esta segunda-feira o treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, à Lazio. O técnico português, recorde-se, passou pelo emblema italiano em duas ocasiões como jogador de futebol. O jornal italiano Il Messaggero adianta …

Filial portuguesa de multinacional alemã envolvida em subornos em Angola

A sucursal portuguesa em Angola da multinacional alemã Fresenius Medical Care, que actua na área médica, esteve envolvida num esquema de pagamento de subornos a médicos e militares angolanos que renderam 124 milhões de euros …

CGD acaba com empresa que criou há quase 20 anos com a PT

Criada há quase 20 anos pela Caixa Geral de Depósitos (CGD) e pela Portugal Telecom (PT), a Caixanet foi liquidada no início deste ano, bem como a Caixa Tec e a Sogrupo, duas outras empresas …

MB Way. Bancos "fecham" aplicação para cobrar comissões diferenciadas nas transferências

Em pleno arranque do 'open banking', os bancos estão a substituir a aplicação MB Way por soluções próprias que "amarram" os clientes, com o propósito de cobrar comissões diferenciadas nas transferências através do telemóvel. Segundo noticiou …

A abstenção venceu. É a mais alta de sempre

A abstenção foi a grande figura das eleições europeias deste domingo, tendo 68,7% dos portugueses optado por não votar. A abstenção em Portugal voltou a atingir um novo recorde, enquanto que a taxa de participação …

Neurocirurgia do Hospital de São João deixa os contentores ao fim de 12 anos

O novo serviço de neurocirurgia do Hospital de S. João, no Porto, está a funcionar desde este sábado. Ao fim de 12 anos, os serviços de neurocirurgia do Hospital de S. João, no Porto, deixaram de …