/

Bastonário dos Médicos atira-se a Temido: “demitiu-se de liderar”

9

José Coelho / Lusa

O bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães

Esta terça-feira, em Coimbra, o bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, afirmou que a ministra da Saúde, Marta Temido, demitiu-se de liderar, acusando-a de falta de transparência e de bom senso.

A ministra demitiu-se de liderar a saúde em Portugal“, acusou Miguel Guimarães, que falava durante a cerimónia do Juramento de Hipócrates que foi feita online e que juntou entre 300 e 400 médicos formados na Universidade de Coimbra e Universidade da Beira Interior.

Na cerimónia organizada pela Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM), o bastonário afirmou que a ministra “não sabe estar nem sabe liderar”, considerando que a líder da tutela tem-se escondido “entre a ausência da verdade e a insistência em desvalorizar e humilhar os médicos, ignorando que sem estas pessoas nada lhe restaria para governar”.

“As atitudes recentes do Ministério da Saúde, desde o prémio em forma de incentivo que não serve basicamente os objetivos pelos quais a Assembleia da República lutou, até à promoção de dezenas de administradores com efeitos retroativos sem que igual medida seja aplicada também nas carreiras médicas mostram o despudor, a falta de transparência e de bom senso da ministra da Saúde”, criticou.

Na cerimónia, o presidente da SRCOM, Carlos Cortes, sublinhou que os médicos “não precisam apenas de prémios, de bónus, de aumentos salariais ou de mais dias de férias por aquilo que fizeram durante este ano pandémico”.

“Não fizeram mais do que aquela que era a sua missão e o seu dever ético e deontológico. Mas precisam, sim, de condições adequadas para tratar os seus doentes. Precisam, sim, de ter os meios em cada hospital, em cada centro de saúde, em cada serviço de urgência, em cada internamento”, defendeu, alertando que há “uma falta grave de recursos humanos”.

Para Carlos Cortes, as restrições financeiras “impostas pelo Ministério da Saúde impediram sempre de fazer as contratações mais prementes”.

Durante o seu discurso, o responsável da SRCOM chamou ainda a atenção para a desigualdade no combate à covid-19 no mundo.

“Entristece-me assistir a uma corrida imoral e desenfreada às doses das novas vacinas contra a covid-19 em que os países mais poderosos e com maior poder económico tentam arrebatar todas as vacinas disponíveis esquecendo as populações mais pobres e mais vulneráveis do nosso planeta”, notou, lançando um apelo aos responsáveis políticos para defenderem no plano internacional “uma distribuição equitativa das vacinas”.

Na cerimónia, participou também o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que salientou o facto de a profissão de médico não ser “uma profissão como as outras”. “Não tem horas, dias, semanas. É à hora que for, no dia que for, na semana que for“, notou, desejando a todos os jovens médicos “uma vida cheia de sucesso”.

  ZAP // Lusa

9 Comments

  1. Alguém deve lembrar a este bastonário que o seu tacho de luxo é para defender/regular os médicos em Portugal – não é para tentar ocupar o lugar de Rui Rio na oposição ao governo!…
    Se quer ser político, deixa o cargo e junta-se com a bastonária vigarista da Ordem dos Enfermeiros (aquela criatura que foi dar um beijo de amiga ao Ventura!) e deixam os médicos e enfermeiros em paz e fora do “circo” da política!
    Este gajo nunca diz nada de útil e, mais uma vez, só fez ruído!…

  2. E o senhor bastonário sabe melhor do que ninguém porque faltam os recursos humanos! Não será porque o governo do senhor Passos, que se calhar o senhor até apoiou, os mandou sair da sua zona de conforto e emigrarem?! Um deles até teve um reconhecimento público, no UK, por ter assistido o PM! Nós investimos na sua formação e depois vão dar a mais valia a outros! Isto é que é boa política! Já para não falar no escandaloso aproveitamento do sector privado da saúde, que o senhor também defende, ao levar, sem qualquer custo, os médicos que o estado formou! Não teria que existir uma espécie de fidelização ou uma indemnização ao estado!! É por não pactuar muito com estas injustiças que a ministra é mal amada, sr. bastonário! Ela tem conseguido levar a água ao seu moinho! E o sr sabe melhor do que ninguém que a tarefa dela não tem sido fácil! Não a subestime, fica-lhe mal!

    • Existem dois provérbios que se lhe aplicam:
      1. Vozes de burro não chegam ao céu
      2. Calado é um poeta
      Olhe que a culpa não é do Passos é do Salazar, olvidando-se assim a responsabilidade da maioria dos incompetentes, corruptos e criminosos que tem tido assento no Governo, e na AR nestes últimos 45 anos.
      E nesse capítulo o PSD não é nenhuma virgem ofendida mas o PS, desde que foi encabeçado pelo Só Ares é um antro de corrupção inigualável.
      Depois a imprensa tem levado ao colo as esquizofrénicas do BE e o resultado é o que se vê e o que se irá ver a breve trecho.
      Agora, o senhor não deixa de ter razão quanto ao serviço obrigatório ao estado / sector público que cada médico deveria ser obrigado a prestar para amortizar o investimento do estado na respectiva formação; se tirasse o Passos da equação escusava de ouvir os provérbios que lhe indiquei …

  3. É fácil perceber como é que esta incompetente chegou a ministra. O anterior, que até era muito competente, a dada altura disse: SOMOS TODOS CENTENO… e depois, obviamente, demitiu-se. Uma pessoa competente não aceita ser um capacho do ministro das finanças; um simples pau mandado. E foi à sua vida. Esta, foi a que aceitou ser ministra nestas condições. Ninguém competente aceitaria.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.