/

Bannon arrependido diz que Trump Jr é (afinal) “um patriota e um bom homem”

2

Gage Skidmore / Flickr

Steve Bannon, ex-conselheiro do presidente dos Estados Unidos.

Steve Bannon está arrependido. O ex-conselheiro do Presidente dos EUA emitiu um pedido de desculpas, afirmando que as críticas que lhe são atribuídas no livro de Michael Wolff não visavam diretamente Donald Trump ou a sua família.

Este domingo, Steve Bannon, o antigo estratega e conselheiro do presidente dos EUA, emitiu um pedido de desculpas na sequência de críticas feitas ao filho mais velho de Donald Trump, atribuídas no livro Fire and Fury: Inside the Trump White House.

Bannon acusou Donald Trump Jr., assim como o genro Jared Kushner e o então diretor de campanha Paul Manafort, de ter sido “antipatriótico” e de ter “atraiçoado a nação”. Estas declarações fizeram com que o Presidente norte-americano se afastasse de Bannon, acusando-o de “ter ficado doido” quando perdeu o emprego.

Agora, segundo o Observador, o ex-conselheiro está a recuar nas suas acusações, dizendo que o filho mais velho de Trump é, afinal, “um patriota e um homem bom”, assegurando que a referência feita a uma eventual traição era dirigida apenas a Manafort.

Num comunicado, citado pelo New York Times, Bannon disse que os comentários se dirigiam a Manafort, “um experiente diretor de campanha, conhecedor da forma como os russos operam, que deveria saber que os russos têm duas caras, são astuciosos e não são nossos amigos”.

Também este domingo, Trump publicou um tweet no qual se lê que teve de lidar com notícias falsas desde o dia em que anunciou a corrida à presidência dos EUA. “Agora, tenho de aturar um Livro Falso, escrito por um autor completamente desacreditado”, refere.

Segundo o Público, embora Trump tenha ficado incomodado com as declarações divulgadas pelo livro, nenhuma outra o terá aborrecido tanto quanto as que são atribuídas a Bannon. No entanto, o ex-conselheiro reitera, no comunicado, o seu apoio a Trump e defende a linha política da atual administração norte-americana.

“O Presidente Trump era o único candidato capaz de derrotar o aparelho de Clinton. Sou a única pessoa a fazer um esforço global para pregar a palavra de Trump e o Trumpismo, e mantenho-me preparado para defender os esforços deste Presidente para fazer a América grande de novo”, refere.

Para concluir, Bannon mostra o seu arrependimento por ter demorado a clarificar o mal-entendido. “Lamento que o atraso desta minha resposta às informações incorretas sobre Donald Trump Jr. tenham desviado as atenções dos históricos resultados do Presidente durante o seu primeiro ano de mandato”.

  ZAP //

2 Comments

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.