Bancos recusaram 80% dos pedidos de renegociação do crédito à habitação

Musée des Beaux-Arts, Valenciennes / wikimedia

O Banqueiro e a Mulher,  óleo de Marinus van Reymerswale

O Banqueiro e a Mulher, óleo de Marinus van Reymerswale

Os bancos recusaram cerca de 80% dos requerimentos de acesso ao regime extraordinário de renegociação de crédito, que entrou em vigor há um ano, tendo aceite 297 pedidos apresentados.

Segundo o relatório apresentado ao Parlamento pela Comissão de Avaliação do Regime Extraordinário, a que a Lusa teve acesso, entre novembro de 2012 e setembro deste ano foram apresentados 1626 requerimentos de acesso a este regime a 20 bancos, relativos a 1486 contratos de crédito.

“As instituições de crédito deferiram 297 requerimentos de acesso ao regime extraordinário (19,4% dos requerimentos com decisão) e indeferiram 1231 (80,6% dos requerimentos com decisão). No final de setembro, encontravam-se em análise 98 requerimentos de acesso”, lê-se no documento preparado por esta comissão.

Os contratos deferidos representavam um montante em dívida em situação regular de 13,8 milhões de euros e um montante de crédito vencido de cerca de 1,6 milhões de euros, num rácio de incumprimento de 10,6%.

O principal motivo para os bancos não aceitarem os pedidos foi o facto de considerarem que os clientes não entregaram os documentos que provam que cumprem as condições para aceder a este regime (26,7%), seguido pelo não cumprimento da condição de acesso relativa à redução significativa de rendimentos(20,6%).

Quanto aos processos que foram aceites, a comissão diz que 183 foram concluídos até final de setembro e, desses, em 112 foram mesmo renegociados os contratos ou foi dado mais um empréstimo para serem acertadas as prestações em incumprimento. Em seis casos, a dação em cumprimento (entrega da casa para amortizar o valor em dívida) foi a solução encontrada.

“0 número de processos concluídos com a regularização do incumprimento representou cerca de 40% do total de processos com requerimento de acesso deferido e cerca de 8% dos processos com decisão de deferimento ou indeferimento”, acrescenta o documento.

Janeiro foi o mês em que entraram mais requerimentos (325) de acesso ao regime extraordinário e setembro em que houve menos (54).

O acesso a este regime motivou 45 reclamações ao Banco de Portugal até final de setembro, sendo que metade teve a ver com o indeferimento de pedidos. No entanto, da avaliação das reclamações já concluídas, apenas uma motivou a intervenção da instituição liderada por Carlos Costa por considerar que o banco deveria ter explicitado melhor os motivos para recusar o pedido.

Desde novembro do ano passado que as famílias com dificuldades em pagar o crédito à habitação em incumprimento podem renegociar o empréstimo ao abrigo do regime extraordinário que prevê condições mais favoráveis. Este regime, que foi discutido durante meses no parlamento em 2012, foi criticado por impor critérios tão restritivos que iria abranger apenas uma pequena franja das famílias com dificuldades em pagar as prestações ao banco.

Segundo disse a Deco à Lusa, tendo apenas em conta os critérios dos rendimentos do agregado familiar, “mais de 60% dos pedidos de ajuda [na Deco] ficariam excluídos”.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Um terço dos universitários de Lisboa já sofreu violência sexual física

Um terço dos estudantes universitários da área metropolitana de Lisboa já foi vítima de violência sexual física pelo menos uma vez, mas são muitos poucos os que denunciam as agressões, raramente o fazendo à …

OE2020: Esquerda vai negociar "até ao último minuto". PSD não comenta eventual traição madeirense

O Governo apresentou, nesta terça-feira, na Assembleia da República, as linhas gerais da proposta de Orçamento do Estado para 2020 (OE2020) aos partidos com representação parlamentar. Dos encontros, não saiu fumo branco, com o Bloco …

Turismo fez subir o custo de vida dos portugueses. Salários continuam estagnados

O crescimento do turismo em Portugal fez crescer o custo de vida dos portugueses, especialmente nos que vivem nas grandes cidades, apesar de estes continuarem com os salários estagnados, escreve o Jornal de Notícias. Entre 2013 …

Contrato público. Amazon apresenta queixa em tribunal contra Trump

A Amazon revela que os "insistentes ataques públicos e de bastidores" de Donald Trump contra Jeff Bezos causaram "pressão" que levou à perda de contrato público com o Departamento de Defesa.  A Amazon apresentou uma queixa …

Empurrões, insultos e (talvez) um murro: Sérgio Conceição e Pedro Ribeiro perderam as estribeiras no túnel do Jamor

Os treinadores de FC Porto e Belenenses, Sérgio Conceição e Pedro Ribeiro, desentenderam-se no túnel de acesso ao relvado do Estádio Nacional, ao intervalo do jogo em que as duas equipas empataram a uma bola. …

Acordo entre Rússia e Ucrânia para cessar-fogo até ao final do ano

O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, e o seu homólogo ucraniano, Volodymyr Zelensky, chegaram na segunda-feira à noite a um acordo de cessar-fogo que deverá ter efeito até ao final do ano de 2019. "As partes …

Nova Zelândia abre investigação. Erupção do Whakaari já fez pelo menos 13 mortos

Pelo menos cinco pessoas morreram e oito continuam desaparecidas, na sequência da erupção do vulcão Whakaari, na Nova Zelândia. As autoridades afirmam que há poucas chances de terem sobrevivido. "Diria com forte convicção de que ninguém …

Falhas no acesso a remédios não são exclusivo do SNS. No resto da Europa também há, diz ministra

A ministra da Saúde afirmou que as falhas no acesso a medicamentos não são "um exclusivo nacional", estando em discussão entre os Estados-membros uma "estratégia global para o acesso ao medicamento". A ministra da Saúde afirmou …

Canal Panda e jogar sem medo. A receita de Lage para vencer os russos do Zenit

O Benfica joga esta terça-feira com o Zenit de São Petersburgo, na sexta e última jornada do grupo G da Liga dos Campeões. Os encarnados precisam de vencer por dois (ou mais) golos para garantir …

Polícia de Hong Kong desativa bombas artesanais escondidas em escola

As autoridades de Hong Kong desativaram duas bombas artesanais numa escola esta terça-feira. Os engenhos foram descobertos por um guarda e desconhece-se se estão associados à crise política que se vive no país. A líder de …