//

Os balões incendiários são a mais recente arma nas tensões Israel-Hamas

Mohammed Saber / EPA

Durante a noite, forças israelitas voltaram a quebrar o cessar-fogo e lançaram um ataque aéreo na Faixa de Gaza em resposta a balões incendiários lançados pelo Hamas.

Ativistas palestinianos lançaram dezenas de balões incendiários por cima da cerca da fronteira. Segundo as autoridades, pelo menos 20 incêndios foram iniciados na terça-feira, 15 de junho, e quatro na quarta-feira, 16 de junho.

Os balões, muito semelhantes aos usados nas festas de aniversário, por exemplo, são enchidos com hélio e fixados em explosivos.

De acordo com a CNN, esta arma foi usada nos últimos dias como uma resposta à “marcha das bandeiras” organizada pela extrema direita em Jerusalém e autorizada pelo Governo israelita.

Este desfile anual, no qual os grupos, a grande maioria compostos por judeus nacionalistas, passam pela Cidade Velha com bandeiras israelitas para comemorar a captura do Muro das Lamentações pelo país na Guerra dos Seis Dias, em 1967, costuma agita as tensões

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Majdi Fathi (@majdi_fathi)

Mas qual é o motivo que explica o uso de balões em vez de explosivos convencionais? Além de serem mais baratos, são mais práticos, mais fáceis de usar e requerem pouca preparação antes de serem lançados.

A cadeia britânica explica que os balões são, acima de tudo, uma forma de enviar uma mensagem a Israel sem provocar as represálias militares, que costumam acontecer após o lançamento de foguetes.

Este é o segundo conflito entre os dois territórios desde que o cessar-fogo foi acordado a 21 de maio, depois de 11 dias de confrontos que mataram mais de 200 palestinianos e 12 israelitas e fizeram muitos feridos.

  Liliana Malainho, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.