Tancos. Azeredo soube que os autores do furto estavam dispostos a entregar as armas

EU2017EE / Flickr

O ministro da Defesa Nacional, José Azeredo Lopes

O ex-ministro da Defesa Azeredo Lopes admitiu no interrogatório judicial do caso de Tancos que teve conhecimento da existência de um informador e que os autores do furto das armas estavam dispostos a entregar o material.

De acordo com o processo consultado pela agência Lusa, e na parte que diz respeito ao achamento das armas, Azeredo Lopes relatou que o seu chefe de gabinete, tenente-general Martins Pereira, lhe disse que havia um informador do Algarve, de nome Fechaduras [Paulo Lemos], que dava informações à Polícia Judiciária (PJ) e à Polícia Judiciária Militar (PJM), e que tinha indicações que os autores do furto estavam dispostos a entregar as armas, mas que teria de ser feito um telefonema simulado da margem sul do Tejo por elementos da PJM a dar conta da localização do material.

Admitiu ainda que sabia que este informador não podia ser identificado por ter medo. O antigo governante disse também que Martins Pereira o informou que o ex-diretor da PJM Luís Vieira tinha consigo documentos com informações, mas que estes tinham de ser destruídos.

Luís Vieira, acusado neste processo dos crimes de associação criminosa, tráfico de armas, falsificação de documentos, denegação de justiça, prevaricação e favorecimento pessoal, sempre foi um veemente opositor de que o furto das armas fosse investigado pela PJ, tentando várias vezes e com várias pessoas que o caso ficasse debaixo da alçada da PJM.

Azeredo Lopes negou que tivesse transmitido ao primeiro-ministro a revolta e o inconformismo do diretor da PJM, apenas admitindo que lhe deu a ideia de que havia desagrado por parte da PJM. O ex-ministro esclareceu mesmo que, em questões de Defesa, o seu interlocutor mais frequente era o Presidente da República e Comandante Supremo das Forças Armadas.

Um mês após o furto das armas [4 de agosto], Azeredo Lopes recebeu Luis Vieira no seu gabinete e na presença do seu chefe de gabinete, Martins Pereira. Na ocasião, disse ter recebido do diretor da PJM um documento timbrado e assinado por este, relativo ao mal-estar da PJM face à intervenção da PJ nas investigações, mas que o mesmo não deu entrada oficial no seu gabinete por não reunir os critérios necessários, segundo a avaliação feita por Martins Pereira.

Quanto ao dia do achamento das armas [18 de outubro de 2017], Azeredo recebeu uma chamada telefónica da então Procuradora Geral da República Joana Marques Vidal a relatar que considerava que a PJM militar não tinha respeitado a delegação de competências na investigação do furto e que estava muito desagradada com a situação, estando a ponderar fazer uma participação para efeitos da instauração de processos.

De acordo com o mesmo interrogatório, e segundo noticia a SIC Notícias, Azeredo Lopes ilibou o primeiro-ministro, António Costa, e o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmando que nenhum dos dois tinha conhecimento da alegada encenação da PJM.

“A ideia de alguém supor que o Presidente da República ou o primeiro-ministro interferiram para dar cobertura ao coronel Luís Vieira ou ao major Vasco Brazão não faz sentido“.

Neste processo foram constituídos 23 arguidos, sendo que nove foram acusados de planear e executar o furto do material militar dos paióis nacionais de Tancos e os restantes 14, entre eles o ex-ministro Azeredo Lopes, da encenação que esteve na base da recuperação do equipamento.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Certo, então continua tudo coerente com o que foi dito até agora.
    Sabia que havia a possibilidade das armas serem entregues.
    Sabia da pretensão dos ladrões entregarem as armas sem serem acusados.
    Mas não sabia do plano que estava em andamento e que foi concretizado pela PJM à revelia da PJ.
    Os militares quando perceberam que o plano lhes tinha corrido mal tentaram passar a culpa ao poder politico, que não realidade era quem não tinha muito a ganhar nesta história, os únicos interessados em que as armas aparecessem fosse de que maneira fosse era a PJM para limpar a sua imagem e garantir a própria sobrevivência, pois estava em cima da mesa a possibilidade de extinção desse órgão militar.
    No meio disto tudo é engraçado ver como os politicos aproveitam este caso para favorecimento em período de campanha eleitoral, e quando falamos em aproveitamento, falamos a um nível BAIXO com calunias, insinuações e pretensas acusações em praça publica e desconfianças que têm como objectivo manipular a opinião publica e retirar dividendos politicos em período eleitoral.
    Tanto Cristas como Rio desceram a um nível nunca antes visto! Na hora da verdade vale tudo para meterem os pés no poleiro, esse é o real propósito da sua existência! Não são pessoas, são animais politicos muito ferozes como alguém um dia o afirmou!
    Só para que conste, um rato de esgoto, também é um animal feroz!

RESPONDER

Portugueses burlados em Munique. PSP alerta para a venda de bilhetes falsos

No dia em que Portugal joga contra à Alemanha na capital da Baviera, a PSP alertou que vários portugueses estão a ser burlados com a venda de bilhetes falsos para a partida. O intendente Pedro Colaço …

Correos Express "passa a perna" aos CTT. Empresa quer conquistar Portugal para ter oferta ibérica na Ásia

A empresa espanhola concorrente dos CTT está a monopolizar as entregas ibéricas. Em 2019, comprou 51% da unidade de transporte expresso do grupo logístico Rangel e quer ter centros de distribuição em todo os distritos …

Autoridades passam 25 multas no primeiro dia de confinamento em Lisboa

As autoridades policiais passaram 25 autos de contraordenação no primeiro dia de confinamento da Área Metropolitana de Lisboa. Desde as 15h da tarde de ontem que é proibido entrar ou sair da AML, embora existam várias …

Ricardo Salgado queria afastar juíza por ser sobrinha de Ana Gomes

Um dos julgamentos que Salgado enfrenta é no Tribunal da Concorrência, Regulação e Supervisão (TCRS) de Santarém por causa de coimas que lhe foram aplicadas pelo Banco de Portugal. O ex-banqueiro tentou atrasar o julgamento …

Afinal, Darwin poderá ter-se enganado em relação à seleção sexual

Um novo estudo sugere que Charles Darwin poderá ter-se enganado parcialmente em relação à teoria da seleção sexual. Charles Darwin foi um cientista cuidadoso. Em meados do século XIX, enquanto procurava evidências para a sua teoria …

“Não temos um presidente". Moedas arrasa Medina após divulgação da auditoria à CML

A auditoria interna da Câmara Municipal de Lisboa, apresentada ontem por Fernando Medina, está longe de pôr fim à polémica em torno do envio de dados pessoais de manifestantes a embaixadas estrangeiras. O presidente da Câmara …

"Fui sujeito a pressões, intimidações e ameaças". António Oliveira desiste de candidatura à Câmara de Gaia

Esta sexta-feira, numa reunião de emergência, António Oliveira, candidato à Câmara de Vila Nova de Gaia, anunciou ao líder do PSD, Rui Rio, a sua desistência da corrida eleitoral. António Oliveira tinha sido a escolha de …

Marcelo pede a portugueses "noção" sobre momento de transição

O Presidente da República destacou a importância "de as pessoas terem a noção" do momento de transição" na pandemia em Portugal, sublinhando as vacinas como resposta. A campanha de vacinação justifica o "momento de transição" que …

Uma das plantas mais estudadas de sempre tinha uma parte desconhecida

Cientistas encontraram uma parte completamente nova numa das plantas mais estudadas de sempre. De acordo com o site Science Alert, a planta em questão chama-se Arabidopsis thaliana e é um organismo modelo, já tendo sido usada …

Informações contraditórias. Autoridades belgas só confirmam a morte de um português em Antuérpia

Apesar de três portugueses terem sido dados como mortos, as autoridades no local onde ruiu um prédio em construção em Antuérpia, na Bélgica, só confirmam a nacionalidade lusa de um óbito. De acordo com a TSF, …