Avião da TAP andou a “passear” 14 quilos de cocaína pelo mundo

Uma rede de tráfico de droga liderada por um comerciante lisboeta importava cocaína da Venezuela. Três funcionários da Groundforce, que trabalhavam no aeroporto, garantiam o desembarque. Mas houve um contratempo.

A importação da droga era feita com recurso a aviões que faziam o trajeto Caracas-Lisboa. Porém, quando a remessa chegou à capital portuguesa, os funcionários não conseguiram retirar a droga. Assim, a aeronave fez mais três viagens, para São Paulo, Boston e New Jersey, até que os mais de 14 quilos de cocaína fossem retirados.

Oito elementos do grupo foram, de acordo com o Diário de Notícias, condenados a penas de prisão entre os 5 anos e 11 meses e os 12 anos. Ao principal líder, um comerciante do ramo automóvel, o tribunal decretou a perda de quase 800 mil euros, já arrestados em contas bancárias de familiares e em automóveis, a favor do Estado.

No centro da rede estava o comerciante do setor automóvel, de 38 anos, residente em Lisboa. A cocaína era sempre adquirida na Venezuela, transportada em aviões comerciais, e depois vendida na Área Metropolitana de Lisboa ou Espanha. Na atividade ilegal participavam várias pessoas, neste processo foram acusados dez envolvidos na importação e revenda da droga.

Além do líder e seus colaboradores, havia os três funcionários da Groundforce que, a troco de dinheiro, aceitaram fazer o desembarque da cocaína. Por cada operação, estes homens que trabalhavam na Portela recebiam entre 25 mil a 30 mil euros.

Para o esquema funcionar, um homem espanhol de 51 anos fazia a ligação aos sul-americanos. Foi dado como provado que era quem estabelecia os contactos com o fornecedor da cocaína em Caracas e quem se encarregava, na maioria dos casos, de fazer chegar aos venezuelanos o dinheiro.

Em Lisboa este homem tinha uma casa alugada por mil euros por mês, onde o grupo reunia e guardava a droga em alguns períodos. Parte da cocaína era levada para Espanha por este indivíduo.

Mês e meio antes de serem detidos, aconteceu um episódio que levou a rede a perder cerca de cinco milhões de euros, segundo revelou na altura a PJ. De forma fortuita, 51 quilos de cocaína em elevado estado de pureza foram encontrados pelas autoridades no interior de um avião originário de Caracas no dia 23 de novembro de 2016.

A droga estava escondida em dois compartimentos, um técnico e outro no porão, e só foi encontrada quando, inadvertidamente, a porta do compartimento do porão se abriu, revelando os blocos de cocaína. No acórdão do tribunal de Lisboa é revelado que o traficante venezuelano, cuja identidade não foi apurada, exigiu um comprovativo de que a cocaína tinha sido apreendida pela PJ, o que foi possível aos portugueses obter após esta polícia ter emitido um comunicado a dar conta do sucedido.

Apesar do contratempo, uma nova remessa foi preparada para dezembro do mesmo ano. Contudo, os venezuelanos recorreram a um diferente compartimento técnico para colocar o produto, local que causava dificuldades aos funcionários da Groundforce para o retirar.

A 28 de dezembro o avião aterrou na Portela, sem que o produto fosse retirado. O avião da TAP viajou para São Paulo, no Brasil, e regressou a Lisboa, com a cocaína oculta. A aeronave volta a levantar, cumprindo a rota Lisboa-Boston, e quando aterra em Portugal, no dia 30 de dezembro, segue para New Jersey. Os arguidos mantiveram a calma, e esperaram pela oportunidade de retirar a cocaína, o que sucedeu no dia 31.

Parte da cocaína saiu logo e seguia no automóvel de um dos arguidos, quando este foi intercetado pela Equipa de Investigação Criminal da PSP que há meses investigava o grupo. Na busca efetuada a um dos funcionários da Groundforce foram ali encontrados mais oito quilos de cocaína em duas cintas.

Os juízes do Tribunal de Lisboa consideraram provado que a cocaína, em ambas as ocasiões, se destinava ao dois líderes da rede, o comerciante de automóveis e o espanhol. Outros três indivíduos foram dados como colaboradores no transporte e revenda da droga em Portugal, com os três funcionários da Groundforce a serem os responsáveis por tirar a cocaína dos aviões e a fazer sair do aeroporto.

ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Se fosse um motorista profissional de um Camião ou Autocarro, este estava condenado, e os Pilotos destas Aeronaves ???

  2. Business as usual …
    Cá para mim que estes foram apanhados por que começaram a fazer concorrência “desleal” a outros traficantes maiores sem pedir autorização.
    Se tivessem pagado as luvas todas que tinha de pagar isso não lhes tinha acontecido.

RESPONDER

Viagens ao Espaço têm um novo perigo desconhecido para os astronautas

Há um perigo inerente às longas viagens espaciais dos astronautas desconhecido até aos dias de hoje. Um novo estudo aponta que os cosmonautas podem ver o seu fluxo sanguíneo revertido na parte superior do corpo. A …

Macrocilix maia, a misteriosa traça que tem moscas a comer fezes nas suas asas

Macrocilix maia é uma espécie de traça que se destaca pela forma como se camufla dos seus predadores. Nas suas asas vê-se duas moscas a comer excrementos de pássaro. A natureza nunca falha em surpreender-nos e …

Há provas que ligam misteriosa doença que paralisa crianças a vírus raro

Pela primeira vez, foram encontradas provas da associação do Enterovírus D68, um vírus raro até há algum tempo, à Mielite Flácida Aguda, uma doença semelhante à poliomielite que tem afectado centenas de crianças, provocando a …

Antigos egípcios podem ter encurralado milhões de pássaros só para os mumificar

Novas evidências de ADN sugerem que os antigos Egípcios capturavam pássaros selvagens para sacrifícios ritualísticos (e para os poderem mumificar depois). As catacumbas egípcias contêm milhares de pássaros mumificados, especificamente íbis-sagrados (Threskiornis aethiopicus), empilhados uns sobre …

Estudo mostra que sondagens tendenciosas enviesam eleições políticas

Através de experiências práticas, uma investigação recente sugere que as sondagens tendenciosas podem influenciar e enviesar as eleições políticas, até mesmo nas grandes democracias. Enquanto uma eleição se aproxima no Reino Unido e uma votação presidencial …

A Rússia criou a arma mais mortífera da história. Foi há 72 anos

Comummente conhecida por AK-47, a espingarda Kalashnikov foi responsável por milhões de mortes durante a nossa História, sendo uma das armas mais populares do mundo e a mais fabricada pela indústria de armamento. Segundo o The Conversation, …

Luxemburgo 0-2 Portugal | Campeão marca presença no Euro

Portugal venceu o Luxemburgo por 2-0 e apurou-se para a fase final do Euro2020 – a 11ª presença consecutiva da turma das “quinas” em fases finais de grandes competições. Num encontro mal jogado, em parte pelas …

Hologramas e outras tecnologias podem ajudar a combater incêndios florestais

Portugal continua a ser assombrado pela destruição sem precedentes dos incêndios florestais. Agora é a hora de aproveitar as nossas ferramentas tecnológicas e encontrar maneiras inovadoras de ajudar a aliviar o problema e também evitar …

Pombos estão a perder dedos ou patas por causa da poluição

Basta passar algum tempo na praça de uma cidade para ver que alguns pombos têm patas feridas ou dedos em falta. Embora possamos pensar que isto é causado por algum vírus ou pelos eventuais desentendimentos …

Descoberto no Japão fóssil de pássaro com 120 milhões de anos

O fóssil de um pássaro do Cretáceo recentemente descoberto no Japão pode levar os cientistas a repensarem alguns detalhes sobre a evolução do voo. Há cerca de 120 milhões de anos, um pássaro com o tamanho …