Autónomos da Mercedes vão salvar os condutores (e sacrificar os peões)

As tecnologias de condução autónoma – aquelas que dispensam condutor – ainda levantam muitas dúvidas. Um dos principais pontos debatidos é o dilema moral e ético em que numa situação de previsão de acidente onde é possível salvar o condutor e atropelar pedestres, ou vice-versa, o automóvel tem que tomar uma decisão. Qual é a decisão correta?

O dilema moral de ter que decidir quem matar (ou deixar morrer) em caso de acidente é uma questão que tem vindo a ser abordada relativamente aos automóveis autónomos. Um estudo recente do MIT mostra que nem sequer as pessoas conseguem responder.

Enquanto muitas empresas e profissionais tentam chegar a um consenso sobre qual deve ser o padrão adoptado pela indústria, a Mercedez-Bens já tomou o partido de um dos lados: o do condutor.

A construtora diz que os seus automóveis serão programados para salvar o condutor e os ocupantes da viatura, mesmo que isso signifique sacrificar quem está do lado de fora.

Essa escolha é feita na altura de programar os algoritmos do automóvel sem condutor e, apesar de parecer algo insensível, mostra-nos que a forma como os automóveis e, por extensão, seus engenheiros pensam é diferente do que a maioria das pessoas imagina.

“Se você pode salvar ao menos uma pessoa, salve-a. Salve a que está no automóvel“, simplificou Christoph von Hugo, director de segurança dos automóveis autónomos da Mercedes.

“Se a nossa única certeza é que uma morte pode ser evitada, então essa é a sua prioridade”, diz von Hugo.

O debate é todo ele bastante confuso – e o dilema moral aprofunda-se ainda mais quando consideramos que os automóveis autónomos podem salvar milhões de vidas, que teriam sido tiradas por condutores humanos descuidados (e/ou bêbados).

Para o executivo alemão, este é apenas mais um ponto a favor da decisão, uma vez que os problemas éticos podem ser largamente compensados pelo facto de que os automóveis são melhores condutores do que a maioria da população comum.

Von Hugo diz ainda que, mesmo que o automóvel opttasse por sacrificar os seus ocupantes, isso não garantiria que as pessoas do lado de fora do automóvel fossem afetadas.

“Essa questão moral sobre quem salvar: 99% do nosso trabalho de engenharia é evitar que situações como essa aconteçam”, completou Hugo.

De qualquer forma, quando no futuro vir um automóvel autónomo da Mercedes a aproximar-se de si, a melhor decisão é mesmo sair da frente.

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

      • Acho interessante o facto de que com carros autônomos o risco de eu ser atropelado por um condutor embriagado ou distraído com o telemóvel vai reduzir.

        Na realidade, esta decisão pelo carro é tomada no caso em que o acidente nao pode ser evitado, algo do tipo em que o peão atravessa a estrada enquanto olha o telemóvel e ignora a sua segurança atirando-se para a frente de um carro.

        Tenho a certeza que um carro autônomo vai conduzir melhor que eu, não vai cometer erros por distração ou cansaço. Algo que todos fazemos, bom todos menos os heróis da condução, esses acham que a culpa é sempre do outro.

  1. Ainda falta muito mas mesmo muito para ver estas tecnologias nas ruas. Além de ser completamente inseguro, vai pôr muita gente em perigo e depois também temos os hackers que podem adulterar o software do carro para fazer algum tipo de maldade. A meu ver se uma estrada estivesse inundada, um carro desses ia por água dentro, a não ser que se transforme num submarino do portas. lol

  2. Tomaram essa decisão porque se fosse para matar os ocupantes do veiculo, niguem iria comprar um…qual era a logica de comprar um carro que supostamente em caso de acidente grave poderia matar o dono do automovel e os ocupantes??

    – a Mercedes é tudo menos estupida, estupidos sao aqueles que compram Mercedes.

  3. Mais estupido é alguém acreditar que os carros vão matar pessoas. Vai levar anos e inumeros testes por parte das entidades oficiais para aprovar a condução autonóma, como podem acreditar que a Mercedes já decidiu isto assim. É ridiculo.

  4. mesmo assim deve ser mais seguros que condutores bêbados ou distraídos com telemóveis ou com excesso de horas a conduzir e falta de sono etc
    essa questão apenas se vai colocar em situações extremas e quando todos os carros forem autónomos a segurança vai aumentar
    o problema vai ser conciliar na mesma estrada carros autónomos e condutores normais

RESPONDER

Clérigo ultraconservador Ebrahim Raisi vence eleições presidenciais do Irão

O clérigo ultraconservador Ebrahim Raisi venceu as eleições presidenciais do Irão com mais de 62,2% dos votos, segundo resultados oficiais parciais hoje divulgados. Em 28,6 milhões de votos contados, Raïssi obteve "mais de 17.800.000" votos, declarou …

Organização cancela Marcha do Orgulho LGBTI+ de Lisboa (e critica a Direção-Geral da Saúde)

A Comissão Organizadora da Marcha do Orgulho LGBTI+ de Lisboa anunciou hoje o cancelamento da iniciativa e criticou a Direção-Geral da Saúde (DGS), que emitira parecer desfavorável. A marcha estava prevista para hoje. “Apesar das tentativas …

Dois eurodeputados portugueses não vão a Bruxelas há um ano. Nuno Melo diz que perde 300 euros todos os dias

Os eurodeputados Nuno Melo (CDS) Cláudia Monteiro de Aguiar (PSD) não voltaram a pôr os pés no Parlamento Europeu desde que foram decretados os trabalhos à distância por causa da pandemia de covid-19. Nuno Melo …

Missão difícil em Munique. 7 campeões europeus contra 5 campeões mundiais e a história

A seleção portuguesa de futebol pode garantir hoje o apuramento para os oitavos de final do Euro2020, mas terá de vencer a poderosa e favorita Alemanha, ainda à procura dos primeiros pontos no Grupo F. A …

Especialista britânico diz que terceira vaga está a caminho do Reino Unido

Uma terceira onda de infeções por covid-19 está a caminho do Reino Unido, onde os contágios diários ultrapassam de novo os 10.000 casos, afirmou o assessor do Governo no Comité Conjunto de Vacinação e Imunização …

Equipa portuguesa faz descoberta que pode travar a doença de Alzheimer

Uma equipa de investigadores portugueses identificou um novo mecanismo associado aos neurónios envelhecidos que pode abrir uma nova via terapêutica para travar a doença de Alzheimer. Hoje em dia, há cada vez mais pessoas a viver …

“Abuso de funções”. BE acusa Centeno de estar a "condicionar" as negociações do OE

As recomendações do governador do Banco de Portugal sobre as políticas que o país deve seguir, nomeadamente a estabilidade da legislação laboral, não caíram bem à esquerda. Em declarações ao ECO, o Bloco de Esquerda não …

Aberto inquérito-crime ao atropelamento mortal com carro de Cabrita. Não há câmaras no local do acidente

A GNR já está a investigar as circunstâncias do atropelamento mortal com um carro onde seguia o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita. Mas o inquérito-crime não poderá contar com imagens das câmaras de video-vigilância …

Nuno Mendes e João Félix fora do jogo com a Alemanha

Os jogadores Nuno Mendes e João Félix vão ficar fora do jogo deste sábado frente à Alemanha devido a uma mialgia muscular. Ambos vão assistir ao encontro na bancada e devem recuperar a tempo de defrontar …

Antigo governador civil desmente Medina (que explicou sem explicar o envio de dados a embaixadas)

O último governador civil de Lisboa, o socialista António Galamba, desmente Fernando Medina, presidente da Câmara de Lisboa, no âmbito das conclusões da auditoria ao envio de dados de manifestantes para embaixadas estrangeiras. E há …