Autarca de Lampedusa apela à “greve geral” após acolher mais 370 migrantes

A ilha italiana de Lampedusa, cujo principal centro de acolhimento de imigrantes está saturado em plena época de pandemia, acolheu quase 370 novos migrantes na noite passada, o que levou o presidente da Câmara a apelar à “greve geral”.

“Vamos baixar as persianas, o Governo nacional continua a manter um silêncio assustador”, disse o o presidente da Câmara de Lampedusa, Toto Martello, numa declaração.

Durante a noite de sábado para domingo, a ilha acolheu um velho barco de pesca que transportava 367 migrantes, de acordo com as autoridades locais.

Segundo declarações do autarca à agência de notícias italiana Ansa, a embarcação, que tinha 13 mulheres e 33 menores a bordo, estava em risco de afundar devido aos ventos fortes, pelo que foi escoltada pela guarda costeira italiana e pela polícia até ao porto.

Os migrantes, cuja nacionalidade não é conhecida, foram desembarcados em pequenos grupos ao início da manhã de domingo e submetidos a verificações de temperatura, antes de serem levados para um centro de acolhimento dirigido por uma paróquia, como verificou no local um correspondente da AFP-TV.

Quando desembarcaram no porto, esperava-os uma manifestação organizada pela La Ligue, um partido de extrema-direita.

Desde sexta-feira, cerca de 30 pequenas embarcações, na sua maioria da costa tunisina, foram chegado à ilha e descarregaram um total de cerca de 500 migrantes, de acordo com a imprensa italiana.

Citando “uma situação sem precedentes”, o presidente da Câmara de Lampedusa anunciou que representantes das associações profissionais da ilha seriam convocados, na segunda-feira, para declarar uma “greve geral”.

“Se um barco de pesca deste tamanho, com centenas de pessoas, chega aqui e ninguém repara, isso significa que não há controlos no Mediterrâneo. Mas o que é que os navios militares estão a fazer? Não estamos em guerra, porque não são utilizados para intervenções de segurança no mar e para transferir migrantes?”, questionou.

O centro de acolhimento de emergência de Lampedusa já alberga 1160 migrantes, ou seja, dez vezes mais do que a sua capacidade máxima. Está “sobrecarregado, para além do que é humanamente possível de suportar”, queixou-se o autarca.

Martello denunciou também o facto de o exército estar a ter dificuldades em impedir a fuga de migrantes, apesar dos protocolos rigorosos relacionados com a pandemia de covid-19.

O presidente da câmara, que disse temer que a situação de saúde na ilha possa vir a ser afetada, advertiu: “As pessoas em perigo devem ser ajudadas, mas o acolhimento humanitário precisa de regras, porque aqui, agora, estamos em perigo“.

A Sicília registou, hoje, 34 novos casos de covid-19, quatro eram migrantes, elevando para 1114 o número de pessoas atualmente infetadas.

O presidente da região siciliana, Nello Musumeci, apelou, na sua conta do Facebook, para que o Governo realize uma reunião “humanitária e de crise sanitária”.

Lampedusa já não o pode fazer. A Sicília não pode continuar a pagar pela indiferença de Bruxelas e pelo silêncio de Roma”, apontou o presidente da região, eleito para o cargo por uma aliança entre a direita e a extrema-direita.

O responsável pela região tinha emitido um decreto, há uma semana, que previa encerrar todos os centros de acolhimento de migrantes na Sicília (dos quais Lampedusa faz parte), denunciando condições de higiene insuportáveis com a pandemia, uma medida rejeitada pelo sistema judicial italiano.

Os guardas costeiros italianos transportaram no sábado, também para Lampedusa, 49 pessoas consideradas em situação de fragilidade, principalmente mulheres e crianças, que tinham sido resgatadas no Mediterrâneo pelo Louise Michel, embarcação financiada pelo artista de rua Banksy.

Os outros 150 passageiros do navio foram todos transferidos, no sábado à noite, para o Sea-Watch 4, que agora totaliza 350 passageiros, alguns dos quais já estão a bordo há uma semana.

Segundo o relato no Twitter deste barco fretado pela ONG alemã Sea-Watch e pela organização Médicos Sem Fronteiras (MSF), os migrantes estão a ser tratados pelas suas equipas médicas para “queimaduras de combustível, desidratação, hipotermia e lesões traumáticas”.

A capitã do barco é Pia Klemp, uma ativista alemã dos direitos humanos, que ainda está a ser investigada pelo sistema judicial italiano, nomeadamente por “ajuda à imigração ilegal”.

Banksy, que mantém o mistério da sua identidade, explicou no sábado, num vídeo, que comprou o barco porque “as autoridades da União Europeia ignoram deliberadamente os pedidos de socorro de não-europeus”.

Um outro barco de migrantes, rebocado pela polícia, incendiou-se acidentalmente, no domingo, ao aproximar-se da costa da Calábria (sul de Itália), deixando quatro pessoas mortas, duas desaparecidas e cinco feridas, disse a polícia.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"Fomos enganados, geologicamente enganados." Novos segredos vulcânicos revelados

Um estudo levado a cabo por cientistas da Universidade de Queensland revelou novos detalhes sobre a composição geológica da crosta terrestre. Até agora, os cientistas pensavam que a lava arrefecida dos chamados vulcões "hot spot" era …

Os planetas formam-se em sopas orgânicas — e não há duas iguais

Uma série de novas imagens revela que os planetas formam-se em sopas orgânicas — e não há duas sopas iguais. Astrónomos mapearam os produtos químicos dentro dos berços planetários com detalhe extraordinário. Os mapas revelam a …

O Hawaii quer remover a sua "escadaria para o paraíso" - e a culpa é dos turistas

Em causa estão preocupações com a segurança e vandalismo, que têm aumentado com a explosão de popularidade da escadaria Ha‘ikū nas redes sociais. É caso para dizer que a Stairway to Heaven vai para o inferno …

Inventou o ZX Spectrum e mudou o mundo. Morreu Clive Sinclair

O empresário britânico e inventor do computador doméstico ZX Spectrum, Clive Sinclair, morreu hoje aos 81 anos na sua casa, em Londres (Reino Unido), devido a doença prolongada, informou a filha ao jornal “The Guardian”. Morreu …

Esta torre construída na Suécia não é gigante em altura, mas em sustentabilidade

Para além de ser feito de um material sustentável — fornecido por florestas locais com gestão consciente e transformado por uma serração nas proximidades, o Centro Cultural dispõe de múltiplas tecnologias que fazem dele mais …

Empresa canadiana debaixo de fogo por publicar anúncios de emprego destinados a não vacinados

Uma empresa de canoagem, sediada no Canadá, está debaixo de fogo depois de ter colocado anúncios de emprego destinados, exclusivamente, a pessoas não vacinadas contra a covid-19. "Por favor, NÃO se candidate se tiver tomado quaisquer …

Disparam ataques a jornalistas. Bruxelas insta países da UE a aumentar proteção

Os países da União Europeia (UE) foram instados por Bruxelas a tomar medidas para proteger os jornalistas, após um aumento no número de ataques a membros da imprensa. A Comissão Europeia exortou os governos a criarem …

Facebook e Google criticados por anúncios de "reversão do aborto"

O Facebook já veiculou anúncios de "reversão do aborto" 18,4 milhões de vezes desde janeiro de 2020, de acordo com um relatório do Center for Countering Digital Hate (CCDH), promovendo um procedimento "não comprovado, antiético" …

Líder militar dos EUA temeu que Trump iniciasse guerra nuclear com a China - e chegou a ligar aos chineses

As revelações aparecem em Peril, o novo livro de Bob Woodward e Robert Costa sobre os bastidores da Casa Branca. Trump já respondeu. O General Mark Milley, o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas dos EUA, …

França suspende 3.000 profissionais de saúde que recusaram vacina contra covid-19

A França suspendeu 3.000 profissionais de saúde sem remuneração por se recusarem a tomar a vacina contra a covid-19, revelou o ministro responsável pela pasta, Olivier Véran. Segundo Véran, citado esta quinta-feira pelo Guardian, "várias dezenas" …