AT&T ajudou a NSA a espiar comunicações

A Agência de Segurança Nacional (NSA) dos Estados Unidos encontrou na companhia de telecomunicações AT&T um parceiro particularmente eficaz para espiar as comunicações, segundo novas informações encontradas nos documentos do antigo consultor Edward Snowden.

De acordo com o The New York Times e o ‘site’ de jornalismo de investigação ProPublica, que continuam a descodificar dados divulgados, a norte-americana AT&T é descrita como uma empresa “extremamente cooperativa“, que demonstrou “uma grande vontade de colaborar”.

Segundo o The New York Times, não é claro se o programa descrito pelos documentos, datados entre 2003 e 2013, continua ativo hoje em dia.

Os documentos mostram que a AT&T permitiu à NSA ter acesso a milhares de ‘emails’ trocados em território norte-americano, incluindo na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova Iorque, local onde aquela companhia norte-americana é a fornecedora do acesso à Internet.

A vigilância das trocas eletrónicas da sede das Nações Unidas foi ordenada por um tribunal federal internacional, segundo os documentos.

Washington disse, entretanto, à ONU que não mais iria recolher dados sobre as suas comunicações.

As empresas de telecomunicações Verizon e MCI também colaboraram com a NSA.

A AT&T começou em 2011 a fornecer diariamente à NSA mais de um milhar de registos de telemóveis. O objetivo era obter um fluxo “operacional antes do décimo aniversário do 11 de setembro”, indicam os documentos analisados pelos média.

Depois das revelações de Edward Snowden em 2013, as autoridades afirmaram que a vigilância das comunicações dizia respeito essencialmente às linhas fixas e não de telemóveis.

Edward Snowden está na Rússia ao abrigo de um asilo temporário que lhe foi concedido a 01 de agosto de 2013 pelo prazo de um ano e prolongado por mais três anos em agosto de 2014.

Acusado de espionagem nos Estados Unidos, arrisca uma pena de prisão de até 30 anos no seu país.

Os documentos que Snowden enviou a alguns jornalistas revelavam programas de espionagem de uma dimensão até então totalmente desconhecida.

A recolha pela NSA de metadados das chamadas telefónicas, incluindo nos Estados Unidos, e sem qualquer controlo judicial, preocupou particularmente os defensores das liberdades individuais.

A Casa Branca rejeitou, no final de julho, uma petição assinada por 167.954 pessoas de perdão incondicional para o ex-consultor da NSA que desvendou as reais dimensões da rede de espionagem eletrónica dos Estados Unidos.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

EUA anunciam fim da isenção de sanções no programa nuclear civil iraniano

Os Estados Unidos (EUA) anunciaram na quarta-feira o fim das derrogações que autorizaram até agora projetos relacionados com o programa nuclear civil iraniano, acordo internacional de 2015 do qual Washington se retirou. "Hoje, anuncio o fim …

Violência doméstica, droga, bairros problemáticos. Agentes da PSP obrigados a usar coletes anti-bala

A Direção Nacional da Polícia de Segurança Pública (PSP) decidiu tornar obrigatório o uso de coletes balísticos em oito tipos de situações. De acordo com o Jornal de Notícias, os agentes da PSP vão passar a …

Benfica e FC Porto estão entre os clubes europeus com maior valor comercial

O Benfica e o FC Porto estão em 24.º e 30.º, respetivamente, na lista dos 32 clubes de futebol europeus com maior valor comercial, que é liderada pelos espanhóis do Real Madrid. O Benfica (24.º) e …

Estados Unidos podem vir a acusar Cilia Flores, mulher de Maduro, por narcotráfico

Os Estados Unidos podem vir a acusar formalmente a mulher do presidente venezuelano, Nicolás Maduro, por crimes de tráfico de droga e corrupção. A notícia foi avançada esta quarta-feira pela Reuters, que cita quatro fontes diferentes. …

PSD quer lay-off até final do ano e Estado menos "dorminhoco"

O PSD apresentou hoje um conjunto de 26 "ideias e sugestões" na área social, incluindo o prolongamento do 'lay-off' simplificado até ao final do ano, a reafetação de recursos na administração pública e um Estado …

Trump prepara ordem executiva contra redes sociais. Quer reduzir proteções legais das empresas

O Presidente norte-americano, Donald Trump, vai assinar esta quinta-feira uma ordem executiva sobre as redes sociais, anunciou a Casa Branca, dois dias depois de o Twitter ter assinalado mensagens de Donald Trump com alertas de …

Mais 13 mortes e 304 novos casos. Reabertura da economia em Lisboa questionada

Embora a região Norte continue a ser a mais afetada pela pandemia, a situação na região da Grande Lisboa tem piorado. O Governo está a estudar o adiamento de algumas medidas de reabertura da economia …

Queixas de consumidores sobre vendas online sobem 250%

A Associação de defesa de consumidores Deco recebeu 3.500 reclamações relativas a compras online entre janeiro e maio, um aumento de 250% face ao número registado em igual período do ano anterior. Paulo Fonseca, da Deco, …

Alto político russo demitido por Vladimir Putin recorre ao Supremo

Um alto responsável político russo, demitido pelo Presidente Vladimir Putin em janeiro devido a acusações de vários escândalos, contestou a decisão perante a mais alta instância judicial do país. É a primeira vez em vinte anos …

Moratória do Estado poderá ser alargada ao crédito pessoal e aos emigrantes

O Governo está a preparar uma revisão da moratória pública do crédito, que será estendida no tempo e incluirá outras categorias de financiamento, passando ainda a abranger as casas dos emigrantes e o crédito ao …