Atlas da Larousse considera Crimeia território russo

Oxlaey.com / Flickr

O embaixador da Ucrânia em França, Oleh Shamshur, declarou estar “profundamente chocado” por descobrir no Atlas Socioeconómico 2016 da casa de edição francesa Larousse um mapa que mostra “a Crimeia como fazendo parte do território russo”.

A imagem aparece no Atlas Socioeconómico 2016 criado pela Larousse e, contactada esta quarta-feira pela AFP, a editora francesa disse “não querer entrar nesta polémica”.

Oleh Shamshur, o embaixador da Ucrânia em França, apercebeu-se da situação e, por isso, decidiu mandar por correio eletrónico, uma mensagem à editora na qual diz que “apesar do asterisco estipulando que a Crimeia foi ‘unida’ (nem sequer ‘anexada’) pela Rússia, esta representação da Larousse, com efeito, legitima a violação flagrante do direito internacional pela Rússia”.

Posteriormente, a mensagem também foi colocada na conta do Facebook da embaixada para chamar a devida atenção para o caso.

O embaixador acrescentou que “este género de falsa informação joga a favor da propaganda russa, que procura lavar a agressão russa contra a Ucrânia”.

No entanto, Shamshur está “convencido de que a Larousse vai honrar a sua tradição de editora de referência e corrigir este erro vergonhoso“.

TD TUBS / Wikimedia

-

A Federação Russa anexou a Crimeia em março de 2014, depois de um referendo contestado em que 97% dos votantes escolheram a associação com a Rússia, segundo o Kremlin. Desde então, a comunidade internacional tem denunciado regularmente a anexação.

Fundada em 1851, a Larousse foi criada por Pierre-Athanase Larousse e destaca-se pelas suas publicações de referência, nomeadamente pelos seus dicionários e enciclopédias.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Estes países que anexam territórios à força jogam com o tempo para que o facto seja dado como consumado e as pessoas deixem de falar do problema. Veja-se o caso de Olivença, assunto quase tabu, quer em Portugal, quer em Espanha.

  2. Bom, em boa verdade a Crimeia pertence, de facto à Rússia, desde 1783, foi anexada à Ucrânia no tempo da URSS, já na era de Nikita Khrushchev , portanto muito recente. Por isso a Rússia tem sim, razão em querer a Crimeia “de volta”. A maioria dos habitantes da Crimeia, são, de facto, russos. Antes de pertencer à Rússia a Crimeia passou por uma série de domínios, incluindo dos Tártaros, que Stalin deportou em massa durante o seu mandato.

    Quanto ao resto da Ucrânia não, o Ocidente deveria reconhecer a Crimeia como parte da Rússia e a Rússia deveria reconhecer todo o resto da Urcânia como um estado único e não fomentar o separatismo da da sua parte Oriental ou a tentativa de invadir o país.

RESPONDER

"Pés de café" ajudam robôs a andar mais rápido (e sem tropeçar)

Uma das principais aplicações para robôs com pernas é a exploração de locais de desastre. No entanto, para atravessar os escombros, estas máquinas precisam de ter "pés" firmes. Uma equipa de investigadores da Universidade da Califórnia, …

Famalicão 2-1 FC Porto | Dragões falham reentrada

O FC Porto ficou hoje com a liderança da I Liga portuguesa de futebol em risco, ao perder em casa do Famalicão, por 2-1, na 25.ª jornada, que marca o regresso após a paragem devido …

Empresas chinesas compram soja dos EUA apesar de suspensão imposta pelo Governo

Empresas estatais chinesas terão comprado pelo menos três carregamentos de soja aos Estados Unidos (EUA), mesmo após o Governo ter levantado uma suspensão. Esta surgiu depois de Washington afirmar que terminaria com o acordo comercial …

Musk quer bombardear Marte. Pode ser só um "pretexto" para enviar armas nucleares para o Espaço

O plano de Elon Musk de bombardear Marte é apenas um pretexto para o lançamento de armas nucleares para o Espaço, disse o diretor da agência espacial russa Roscosmos, Dmitry Rogozin. Bombardear Marte para tornar o …

Quase 20 mil toneladas de combustível derramadas em rio na Rússia

https://cache-igi.cdnvideo.ru/igi/video/2020/6/2/%D0%BD%D0%BE%D1%80%D0%B8%D0%BB%D1%8C%D1%81%D0%BA.mp4 Quase 20 mil toneladas de combustível foram acidentalmente derramadas num rio no extremo norte da Rússia, levando as autoridades a declarar uma situação de "emergência" e levantando preocupações entre ambientalistas e residentes. Em comunicado, a associação …

Mais verde e mais barato. Suécia segue a Alemanha e instala a primeira turbina eólica de madeira

A Suécia instalou uma nova e interessante turbina eólica: uma torre construída em madeira. A Alemanha também já tem esta nova tecnologia. Construída a partir de materiais de fontes sustentáveis e que oferecem desempenho comparável às …

Já não mostra só as filas do supermercado. App "Posso ir?" também diz se pode ir à praia

A aplicação móvel que permite aos utilizadores consultar as filas e as afluências aos supermercados também mostra como está a praia. Agora, a aplicação "Posso ir?" vai também dizer-lhe se é ou não prudente ir dar …

Discurso xenófobo. Na Áustria, "a islamofobia tornou-se uma forma dominante de racismo"

A Áustria regista um aumento preocupante do discurso xenofóbico, em particular em relação aos muçulmanos e refugiados, alerta um relatório do Conselho da Europa. A Comissão do Conselho da Europa contra o Racismo e a Intolerância …

Um em cada quatro russos acredita que a pandemia é uma invenção

Um em cada quatro russos acredita que a pandemia de coronavírus é uma invenção, de acordo com uma pesquisa realizada pela Escola Superior de Economia de Moscou (HSE). Segundo avançou o site de notícias RBC, citado …

"Botellón" está de volta a Lisboa. Ajuntamentos sem controle podem estar a espalhar o vírus

Há cada vez mais ajuntamentos de jovens em Lisboa, nomeadamente nos bairros típicos, mas também em locais como bombas de gasolina, para o convívio e o consumo de álcool. Um tipo de comportamento que está …