/

Atentado travado: jovem queria provocar explosões

2

João Carvalho/Wikipedia

Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa

Desenvolvimentos na operação da Polícia Judiciária. Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa mantém calendário de exames.

A Polícia Judiciária (PJ) terá mesmo evitado a concretização de um atentado na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, programado para esta sexta-feira.

O jovem português, estudante, 18 anos, foi “apanhado” pela vigilância do Federal Bureau of Investigation. O FBI verificou que o suspeito estava constantemente a ver – e provavelmente a estudar – cenas de violência e avisou a PJ.

O alerta chegou na semana passada e, depois de alguns dias marcados por vigilância apertada, a polícia portuguesa teve autorização (mandado de busca) e avançou mesmo para uma busca em casa do estudante. Foi uma «operação relâmpago» da Unidade Nacional de Contraterrorismo da PJ.

Na casa do suspeito os agentes encontraram armas brancas, um plano escrito e detalhado sobre o ataque e viram ainda preparações para explosões: botijas de gás e gasolina.

“Ele tinha botijas de gás e outras coisas que eventualmente seriam para provocar explosões. Tinha em casa um acelerante, a gasolina“, revelou uma fonte da investigação, ao jornal Observador.

Esta descoberta da PJ decorreu após uma troca de informações com o FBI, que não envolveu a Interpol, a Organização Internacional de Polícia Criminal.

Entretanto, a direcção da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa decidiu não alterar o calendário dos exames – está prevista a realização de 47 exames para esta sexta-feira, o suposto dia do atentado.

Já a partir desta quinta-feira a entrada nas instalações da faculdade está proibida a partir das 20 horas. A medida vai ser aplicada aos fins-de-semana e aos feriados. Só a reitoria pode aprovar excepções.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

2 Comments

  1. Eu e Muitos nos tempos que fui estudante Eramos discretamente Discriminados por sermos Filhos de ( retornados ) por professores simpatizantes Comunistas ,na atribuiçao de notas ,Horarios ,tempos livres e nunca planeamos rebentar com a escola ! acho continua a existir uma violencia psicologica e grande pressao competitiva e em Alguns Estabelecimentos ate pressao economica ,do genero nao tens tenis ou mochila de marca tal ,em alguns casos o proprio pessoal docente tem parte da culpa pois promove esse tipo de comportamento, acho que os Estabelecimentos de Ensino, deveriam ter mais Fiscalizaçao em relaçao ao bem estar Psicologico dos Alunos ,para nao termos mais casos destes

  2. Sim é verdade, mas este é uma Florbela cheio de fúrias e frustrações interiores, nada que brincar com os amigos em jovem, jogar à bola, sair com miudas não resolvesse, fez-lhe falta umas chapadas em tenra idade para crescer.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.