Ataque nuclear norte-coreano causaria imediatamente 1,5 milhões de mortos

Um estudo avançado esta semana pela 38 North, calculou que um ataque nuclear norte-coreano contra Seul e Tóquio poderia causar a morte de mais de dois milhões de pessoas.

Segundo um estudo divulgado esta semana pelo 38 North, no caso de a Coreia do Norte decidir lançar todo o seu arsenal nuclear sobre Seul e Tóquio, capitais dos seus “inimigos de estimação”, Coreia do Sul e Japão, haveria 2,1 milhões de mortos e 7,7 milhões de feridos em resultado directo dos impactos.

De acordo com o relatório do 38 North, gabinete de análise geopolítica da Johns Hopkins School of Advanced International Studies, nos Estados Unidos, há inúmeras variáveis e diversas combinações a ter em conta na altura de fazer uma estimativa do número de vítimas de um eventual ataque nuclear norte-coreano.

Para simplificar o estudo, a equipa de analistas da 38 North realizou simulações de computador com 7 locais de impacto das 20 a 25 ogivas nucleares que se estima que a Coreia do Norte tenha capacidade de montar em mísseis balísticos e fazer detonar em território sul-coreano ou japonês.

Em qualquer das simulações, que tiveram em consideração a densidade populacional das cidades, o alcance das ogivas norte-coreanas e a sua capacidade destrutiva, um ataque nuclear norte-coreano bem sucedido seria devastador.

Uma única ogiva nuclear norte-coreana que atinja uma das duas cidades, que se encontram entre as mais densamente povoadas do mundo, provocaria milhões de vítimas – e deixaria a cidade completamente arrasada.

De acordo com o estudo, 1.5 milhões de pessoas morreriam nos primeiros minutos após o impacto, enquanto ferimentos devastadores causariam em poucas horas a morte aos que não fossem vitimados pelo impacto das ogivas.

No caso extremo de impacto de uma ogiva de 250 quilotoneladas, as cidades de Seoul e Incheon, com uma população combinada de 24 milhões de habitantes, teriam 783 mil mortos e 2,7 milhões de feridos.

Uma ogiva semelhante, detonada em Tóquio e Yokohama, cidades com uma população combinada de 37,9 milhões de habitantes, causaria de imediato 697 mil mortos e 2,4 milhões de feridos.

A Coreia do Norte lançou 98 mísseis balísticos desde 2011, entre os quais 19 este ano. Alguns dos mísseis foram testados com cargas, nomeadamente em testes da nova bomba-H norte coreana, e detonados no Oceano Pacífico.

Nem todos estes mísseis norte-coreanos, famosos por explodirem frequentemente poucos segundos após o lançamento, falharam os seus testes. E a percentagem cada vez maior de lançamentos bem sucedidos causa preocupação em todos os sul-coreanos e japoneses que não queiram apostar a vida na alegadamente duvidosa capacidade nuclear de Pyongyang.

AJB, ZAP // 38 North

PARTILHAR

19 COMENTÁRIOS

  1. Nitida propaganda ocidental para manter a pressao sobre a CN. Nao acredito que a CN ataque primeiro porque seria um suicidio. Mas que deve responder contundentemente se for atacada, ai isso deve. A pressao que deve existir é a CS e o Japao pressionarem os eua a estarem quietos, porque serao os primeiros a sofrer com as atitudes dos eua.

    • Não tenho a certeza de que os tais “ocidentais” precisem muito de fazer “nítida propaganda ocidental” disfarçada de estudos que dizem que um ataque da CN faria (só) 2 milhões de mortos. Não é a “nítida propaganda oriental”, que até é oficial, da CN, que há anos (sim, há anos, ainda o Trump andava atrás das saias das misses e o inimigo era o Obama) todos os meses lança vídeos a ameaçar que vai lançar um ataque e arrasar as cidades dos inimigos e cozê-los a todos e mandá-los para o inferno dos orientais, e tal?
      Explica lá, qual é afinal a ideia desta “nítida propaganda ocidental”?

    • Sim porque a CN é só estão ali no seu cantinho e nunca fizeram nada de mal. Alias as pessoas que escaparam da CN só falam bem do país. Pessoas que nem sabem identificar a bandeira dos USA e que preferem entrar em guerra porque entre morrer na guerra ou à fome não é muito diferente. Ao menos despacham logo o assunto, segundo eles. Estou a ser sarcastico se não deu para perceber. Não é preciso “propaganda ocidental” para as acções da CN serem altamente questionaveis e serem um perigo para humanidade.

  2. É simples, as ameaças à CN nunca pararam desde que acabou a guerra da Coreia. O problema nos dias de hoje, é a CN ser potencia nuclear, e qual o problema??? Existem duas mãos cheias de paises que são nucleares e alguem se preocupa com isso??? Alguem se preocupou quando um desses paises lançou duas bombas sobre a população civil do Japão, matando, ou melhor, assassinando no mesmo instante duzentas mil pessoas?? Quem acompanha esta situação, sabe que todos os dias alguem lança mais gasolina para a fogueira, ainda hoje foi a Australia a faze-lo, mas para quê e porquê?? Diz a Australia que é para se defender da CN, mas a CN nao pode desenvolver essas armas para melhor se defender dos outros, porque será??? A CN nao quer cometer o mesmo erro que cometeu o Saddam, tivesse este armas nucleares e ainda estaria no comando do Iraque. E isto para dizer também que o mundo nada fez contra o crime e acto terrorista cometido pelos eua no país, e ainda hoje ocupa parte do sul da siria, a proposito de quê e com autorização de quem??? Portanto se isto nao chega, nao sei o que servirá.

    • Tens um comentário cheio de falácias, mas vou focar-me numa só, a que está enfermada de uma mentira óbvia: a de que os EUA “assassinaram no mesmo instante duzentas mil pessoas”. Sabes.. é que, para começar, foi a dois tempos, camarada.
      Lição de história, em linguagem que toda a gente percebe:
      Há 77 anos, enquanto na Europa andava toda a gente aos tiros, o Japão andava a matar tudo o que mexia à sua volta: chineses, coreanos, etc. E do outro lado do oceano, os EUA estavam sossegados da vida a ver se a coisa lhes passava ao lado.
      Até que um dia o Japão, a 7 de dezembro de 1941, lembrou-se de fazer o famoso ataque surpresa à base americana de Pearl Harbour (lembras-te?), matando “no mesmo instante 2400 pessoas” e precipitando a entrada dos EUA na segunda guerra mundial.
      Após 4 anos de guerra no Pacífico, que chegou a estar a pender para o Japão, os americanos começaram a ganhar ascendente, e exigiram ao Japão que se rendesse – coisa que o imperador Hirohito, obviamente, recusou.
      Então, após mais um ultimato americano recusado pelo Japão, a 6 de agosto de 1945, há 72 anos, os americanos lançaram a infame bomba de Hiroshima, que matou 20 mil soldados e 100 mil civis, e pediram ao gentil imperador que reconsiderasse render-se.
      3 dias mais tarde, a 9 de agosto de há 72 anos, perante a recusa dos japoneses em render-se, os americanos lançaram uma bomba sobre Nagasaki, que matou mais 100 mil pessoas. Os japoneses renderam-se, e a guerra do Pacífico acabou.
      72 anos mais tarde, as duas bombas que acabaram com a II Guerra ainda são invocadas como exemplo do que “os patifes dos americanos”, que entretanto até já perderam umas guerras sem lançar bombas nucleares, são capazes de fazer.
      E meio mundo acha que qualquer louco pode ter bombas nucleares “porque os americanos patifes lançaram bombas nucleares”.
      Mas curiosamente, no meio mundo que acha que os americanos foram uns patifes por terem lançado bombas sobre os japoneses para acabar com a guerra (que acabou), nunca encontrei nenhum chinês.

      • Gostei dessa relação de números… 2400 pessoas (na grande aioria militares o que faz do ataque um ataque militar) e os 100 mil civis mais outros 100 mil civis. Parece-me bem equilibrado.
        Essa das “várias” falácias; que se resumem a apenas uma; o facto de não ter sido “no mesmo instante” credibiliza totalmente o seu contra comentário.
        Sabe? Os japoneses matarm muita gente… É verdade. Os americanos também, os ingleses também e por aí adiante. Mas o que difere dos dois ataques terroristas (porque foi mesmo isso!) ao Japão e um ataque (covarde) militar aos EUA? Para si pouco. Para mim, muito!
        O Sr Jorge Manuel tem muita razão! Não quero defender a Coreia do Norte mais o seu doido “imperador” mas os EUA, mais o seu “imperador” doido também tem muito que se lhe diga. Especialmente porque a sua falta de diplomacia (eu diria falta de tacto, pura e simplesmente) poderá colocar-nos numa Guerra Mundial que será certamente a última. Especialmente se continuar a dizer dipsrates sem pensar nas concequências. O Kim anda a brincar aos soldados. O Trump anda a brincar com o fogo. E quem se vai queimar somo todos nós!

      • O único problema é que em guerra existem tratados, que se chama Convenções de Geneve, em que é CRIME de GUERRA, atos contra civis. Os americanos MATARAM civis, foram condenados? não. Quanto à atual guerrilha que existe na Europa, provacada, pelos americanos e ingleses, no medio oriente e norte de africa, infelizmente eles não sofrem nada, que está sofrendo somos nós europeus, os EEUU só criam guerras longe deles, para poderem vender armas, senão vejam a quantidade de armas que a Siria, Coreia do Sul, etc… compraram nos ultimos tempos.

        • Concordo. Mas; infelizmente a Europa (a “união”) também está a meter o “bedelho” colocando-nos no alvo dos terroristas “maus” (porque os EUA são terroristas “bons”).

  3. Chega de legendas sensacionais sobre a guerra nuclear. Tanto falam que dá a sensação de a desejarem. Deixem de dar ideias ao diabo. falando e escrevendo todos os dias no mesmo tema. Sei que gostam de notícias ssensacionais. Mas o wue é demais, cheira a merda.

  4. Mentira obvia??? Onde está??? Você mesmo confirmou as 200.000 mortes, certo. De qualquer das formas com ultimato ou sem ultimato, coisa que os americanos gostam de fazer com razão ou sem ela, nao deixou de assassinar centenas milhar de civis, nao será isto um crime??? Mas como dá a entender perceber da coisa, deixo-lhe mais uma que para mim configura mais um crime cometido pelos vencedores, mas como as vencedores tudo se perdoa, este também nao teve castigo nem punição, já no fim da II guerra, os aliados bombardearam e arrasaram a cidade de dresden, sem que esta cidade fosse um centro industrial e sem qualquer interesse militar, foi arrasada só para mostrar o o poderio dos vencedores, as vitimas causadas foram danos colaterais, como os eua gostam de dizer. E para acabar, como é capaz de nao saber, o japãi atacou pearl harbour quase como que empurrado pelos eua, sabo como?? Impondo em 1941 um embargo se petroleo ao japão, aliás embargos e sanções são as especialidades dos eua. Esta sanção ou embargo foi o rastilho que despoletou o ataque ao hawai. Nao tivesse havido este embargo e talvez nao estivessemos a falar disto aqui.

    • Camarada, era óbvia, mas já expliquei, não vou explicar outra vez.
      Quanto às novas falácias: então os patifes dos americanos, em 1941, perante as chacinas que os japoneses andavam a fazer no Pacífico, decidiram lançar-lhes um embargo de petróleo. Patifes! Toca a largar-lhes bombas de surpresa, que foram obrigados a isso!
      E a mais deliciosa: “aliás embargos e sanções são as especialidades dos eua”. Então a especialidade dos patifes é embargos e sanções? Malandros! Pensei que resolvessem tudo à bomba.

      • A sério? Falácias? Onde? Caramba! Porque defendo tanto os EUA? Será que acha que os EUA nunca fizeram qualquer chacina (e nem me refiro a Nagazaki i Hiroshima)?
        Essa das sanções e embargos… Que piada! São mesmo a “especialidade” deles (assim como bombardear cidades de civis – agora e na altura)! São os mesmos que querem impôr sanções (lá está) ao Irão pelo desenvolvimento de armas nucleares… Vindo de quem foi o único a usá-las efectivamente. Falácias? Não está bem a ver a coisa. Que livro de História andou a ler?

  5. Os EUA acabarão por se mentalizar que a Coreia do Norte será a próxima potência nuclear. As ameaças mútuas continuarão, mas não passará disso. Nem a Coreia iniciará as hostilidades, porque ficaria ainda mais isolada e seria um verdadeiro suicídio para Kim Jong-un; nem os EUA o farão, porque iriam afetar sériamente a China e a Rússia dada a localização geográfica destes dois países. Os EUA experimentariam uma resposta muito prejudicial para si próprio e os países aliados também iriam sofrer graves consequências. O Irão seguir-se-á e nada há a fazer. As armas nucleares não são para ser utilizadas, servem para funcionar como um grande poder de dissuasão. Sejámos claros: vivemos num mundo cada vez mais perigoso, e o primeiro louco que der ordens para lançar a primeira ogiva nuclear sobre um qualquer país, haverá uma reação em cadeia que nos transportará para a idade da pedra, e o ar não será puro, certamente.

    • E o senhor acha que o Trump pensa assim (á frente) tanto? Espero que tenha razão e nada aconteça, Sr Joaquim Ferreira. Mas com o Trump nunca se sabe. Sinto-me mais “seguro” com o Kim (e as suas brincadeiras perigosas) que com o Trump e os seus comentários “quentes” irreflectidos e irresponsáveis. para dizer a verdade, temo pelo Mundo com tipos como o Kim e o Trump… Doidos com acesso ao botão que nos vai acabar a todos… E não vai ser só o ar puro.

  6. E isto seria apenas o início porque o fim seria de imediato o da Coreia do Norte a desaparecer do mapa como país, ou alguém duvidará do destino deles caso caiam em tal loucura?.

  7. Soluçáo? Uma greve geral a nível mundial para que parem de brinca aos soldadinhos. Analistas e cientistas militares afirmam que todo o arsenal nuclear (14900 ogivas nucleares) dara para destruir o nosso planeta terra. 9 vezes .(90 ogivas para cada país). Toda a humanidade tem que. Pensar, Refletir e resolver este Problema. Ass:
    O laurentina2M Oliveira

  8. Mas como pode haver energúmenos a favor da Coreia do Norte? Um regime déspota a gastar uma fortuna nas armas nucleares… Para mim são só bluff… e os cidadãos a morrer à fome?

A Terra em 4K. Empresa vai transmitir vídeos do Espaço em tempo real

A empresa Momentus assinou um novo contrato que fornecerá transporte e implementação no Espaço para a Sen, uma empresa britânica que está atualmente a construir um serviço de streaming de vídeo 4k e em tempo …

Hertz abre falência nos Estados Unidos, mas sobrevive em Portugal

O presidente executivo da Hertz Portugal afirmou esta quarta-feira que, apesar do inevitável “dano reputacional”, a falência da empresa nos EUA não afeta a sua atividade no país, onde opera de forma “independente” em regime …

Sintomas da doença de Lyme podem ser perigosamente confundidos com covid-19

Alguns dos sintomas característicos da doença de Lyme podem ser confundidos com covid-19. Isto pode trazer sérias consequências devido ao diagnóstico tardio da doença. Quando doenças semelhantes a uma gripe se desenvolvem em pessoas que passam …

Revelada a lotação máxima de várias praias portuguesas

Em contexto de pandemia de covid-19, o número de banhistas que pode entrar numa determinada praia será controlado. Foi revelada a lotação máxima das praias para as regiões do Algarve (Barlavento e Sotavento) e de …

Café na Coreia do Sul contrata um robô-barista para evitar a propagação da covid-19

O café Daejon, na Coreia do Sul, "contratou" um barista-robô para servir bebidas aos seus clientes, tentando evitar assim a propagação da pandemia de covid-19, que já matou mais de 350 mil pessoas em todo …

Incêndios: PSD aponta falta de meios aéreos e avisa que covid-19 não justifica atrasos

O PSD apontou hoje falta de meios aéreos de combate a incêndios no terreno e acusou o Governo de ter ficado "aquém" nas reformas e mudanças na floresta, avisando que a pandemia de covid-19 não …

Lançamento da SpaceX adiado devido ao mau tempo

O lançamento da SpaceX, que estava previsto para hoje, foi adiado devido às condições meteorológicas. Haverá uma nova tentativa no sábado, às 20h22 de Lisboa. O esperado era que a SpaceX lançasse esta quarta-feira dois astronautas …

"Não consigo respirar". Protestos nos EUA pela morte de homem negro às mãos da polícia

Milhares de pessoas protestaram, esta terça-feira à noite, em Minneapolis, cidade no estado norte-americano do Minnesota, contra a morte de George Floyd, um homem negro que acabou por falecer depois de um episódio com a …

Um em cada três americanos não acredita que o azeite vem das azeitonas

Um terço dos norte-americanos entrevistados numa sondagem disse não acreditar ou não ter certeza de que o azeite vem das azeitonas. O produto alimentar é usado por menos de metade das famílias do país. Uma sondagem …

A pandemia separou casais de namorados. Dinamarca abre fronteiras a quem prove estar numa relação

Esta segunda-feira, a Dinamarca diminuiu o controlo na fronteira com outros países nórdicos e com a Alemanha para que casais transfronteiriços, separados pela pandemia, se reencontrem. A partir desta segunda-feira, os casais separados pela pandemia podem …