//

Ataque com arco e flecha na Noruega com cinco mortos confirmados. Suspeito mostrava sinais de radicalização

3

Hakon Mosvold Larsen / EPA

Ataque na Noruega faz vários mortos e feridos

Polícia acredita que o suspeito terá agido sozinho, pelo que não estão a ser feitas buscas para localizar mais envolvidos. Durante a detenção, agentes também terão sido atingidos.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O cidadão dinamarquês de 37 anos que as autoridades norueguesas suspeitam ter sido o autor do ataque de ontem à noite, na cidade de Kongsberg, o qual resultou na morte de cinco pessoas e no ferimento de outras duas, apresentou sinais de radicalização num passado recente, avançou Ole Bredrup Sæverud, comandante da polícia local em conferência de imprensa. O homem, que se terá convertido recentemente ao Islão, foi detido após o ataque.

“Houve ligações anteriores deste indivíduo, que já havia sido condenado por outros crimes, a um regime de islâmico radicalizado mas apontar um motivo para o que aconteceu seria complicado… e demorará tempo”, explicou Sæverud. O responsável adiantou ainda que o suspeito — implicado anteriormente em crimes de roubo e posse de drogas — já admitiu a autoria do crime. No passado terá-lhe sido aplicada uma ordem de restrição que o impedia de se aproximar de uma família depois de ameaçar matar um dos seus membros.

As investigações centram-se agora em descobrir se o ataque teve ou não motivações terroristas.

Entre as vítimas estão quatro mulheres e um homem, todos com idades compreendidas entre os 50 e os 70 anos. Os dois feridos — um deles um polícia que não estava em serviço — estão atualmente internados em unidades de cuidados intensivos, não sendo conhecida a sua condição de saúde ou a gravidade dos ferimentos.

Os disparos terão acontecido em localizações distintas da cidade de Kongsberg, mas as mortes aconteceram sobretudo num supermercado, explicou a polícia. Os meios de comunicação locais estão a avançar que, para além do arco e flechas, o autor do ataque terá usado ainda outras armas. Durante a sua detenção, o autor envolveu-se em confrontos com a polícia, apesar de não serem conhecidos muitos detalhes relacionados com a interação para além de que também os agentes foram atingidos por disparos de flechas, escreve o The Guardian.

As mortes também terão acontecido apenas depois de o atacante se ter confrontado com a polícia e ter conseguido escapar, com as autoridades a perderem o seu rasto.

 

Øyvind Aas, porta-voz da polícia local, avançou, nas horas seguintes ao ataque, que mais detalhes seriam providenciados no decorrer dos próximos dias, quando as próprias autoridades dispuserem de mais informações sobre o que aconteceu. “Este é uma situação muito séria e muito extensa que naturalmente afeta a cidade de Kongsberg e todos os que nela vivem”, declarou. Para já, a polícia acredita que o indivíduo agiu sozinho, pelo que não estão a ser feitas buscas para encontrar outros envolvidos.

Jonas Gahr Støre, primeiro-ministro eleito que deve tomar posse hoje, classificou o ataque de “horrível”. “Isto é irreal. Mas a realidade é que cinco pessoas foram mortas, muitas estão feridas e muitas outras estão em choque“, afirmou ao canal norueguês NRK.

Kongsberg é cidade com aproximadamente 26 mil habitantes que se localiza a 66 quilómetros a sudoeste de Oslo, capital da Noruega.

  ZAP //

3 Comments

    • A religiões são todas “da paz” por isso é que o radical cristão norueguês matou um pouco mais de noruegueses em 2011…

      • Brevik matou por razões políticas, não por razões religiosas.
        O Islão é a única (repito, a única) religião que, no séc. XXI, tem fiéis que regularmente matam em nome da sua fé.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.