Atacante de Londres era britânico e foi investigado. Estado Islâmico reivindica

Andy Rain / EPA

Polícia britânico em vigilância a Whitehall após o atentado terrorista junto ao parlamento britânico, em Londres

Polícia britânico em vigilância a Whitehall após o atentado terrorista junto ao parlamento britânico, em Londres

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, revelou hoje que o autor do ataque de quarta-feira ao parlamento era de nacionalidade britânica e já tinha sido investigado pelos serviços secretos por ligações à violência extrema.

Atentado em Londres

Perante a Câmara dos Comuns, Theresa May assegurou por outro lado que as autoridades acreditam que o atacante agiu sozinho e não há razões para recear outros ataques.

Segundo a primeira-ministra britânica, o atacante, cuja identidade não foi nesta fase divulgada, é britânico, foi investigado e considerado uma figura sem relevância.

May considerou que o ataque é “um ataque contra todas as pessoas livres” e assegurou que o Reino Unido “não tem medo”.

Esta quarta-feira, o atacante atropelou várias pessoas na ponte de Westminster, embateu na grade do parlamento, abandonou a viatura e correu para o edifício, onde esfaqueou um agente da polícia antes de ser abatido pelas forças de segurança.

O atacante, o polícia esfaqueado e dois civis morreram, havendo ainda cerca de 40 pessoas feridas, entre as quais um jovem português.

Uma das vítimas mortais era casada com português

Uma das duas vítimas civis do ataque em Londres, Aysha Frade, professora de espanhol residente na capital londrina, ia buscar as filhas à escola quando foi atropelada pelo atacante na ponte de Westminster.

Filha de um cipriota e de uma espanhola que se conheceram no Reino Unido, Aysha Frade era casada com um português, João Frade, natural de Braga. O casal tem duas filhas, de 8 e 11 anos. De acordo com fonte da Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas, João Frade tem nacionalidade britânica.

Aysha Frade / Facebook

Aysha Frade

Professora num colégio da zona de Westminster, Aysha Frade ia buscar as filhas e estava a caminho de casa após o trabalho quando foi atropelada

Segundo uma fonte do ministério dos Negócios Estrangeiros espanhol, em Madrid, Aysha Frade, perdeu a nacionalidade espanhola há já “alguns anos”, mas a sua mãe e duas irmãs vivem no concelho de Betanzos, na Galiza.

Aysha, que era professora de espanhol no colégio DLD, em Londres, tinha passaporte britânico, pelo que não foi inicialmente identificada como uma vítima pelas autoridades espanholas.

Há 8 detidos relacionados com o ataque

A polícia britânica realizou esta madrugada uma operação em Birmingham e Londres relacionada com o ataque de Westminster, na sequência da qual foram detidas 8 pessoas.

Segundo o comandante da unidade antiterrorista da polícia londrina, Mark Rowley, as buscas decorreram em seis locais, envolveram centenas de agentes e resultaram em 8 detenções.

Mark Rowley adiantou ainda que até ao momento, não foram encontrados indícios que apontem para “novas ameaças terroristas”.

“Continuamos convencidos de que o atacante agiu sozinho esta quarta-feira, e que foi inspirado pelo terrorismo internacional“, sublinhou.

Segundo Rowley, a polícia está a concentrar a investigação na “motivação e preparação” do suspeito e de possíveis “associados”, estando a ser interrogadas centenas de testemunhas e analisadas imagens de câmaras de segurança.

Segundo o jornal The Guardian, o Estado Islâmico reivindicou a responsabilidade do atentado, através de uma nota da agência noticiosa Amaq, habitualmente usada pela organização terrorista para difundir propaganda.

Presidente da Turquia condena atentado em Londres

Um dia depois de ter ameaçado que nenhum europeu andará em segurança, o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, condenou hoje o ataque terrorista de Westminster, numa mensagem difundida através do Twitter, afirmando que o Reino Unido é um aliado na luta contra o terrorismo.

“Demonstramos solidariedade para com o Reino Unido, aliado e amigo contra o terrorismo: a maior ameaça contra a paz e a segurança global”, afirma Erdogan na mensagem divulgada hoje.

Na quarta-feira, horas antes do atentado de Londres, Erdogan dizia a um grupo de jornalistas em Ancara que os cidadãos europeus “não vão poder sair às ruas em paz” criticando o “comportamento da Europa” em relação aos membros do governo da Turquia impedidos de participar em comícios a favor da revisão constitucional turca.

Na mensagem difundida esta quinta-feira, o presidente turco afirma que a Turquia “partilha a dor do Reino Unido“, referindo-se ao atentado ocorrido em frente ao parlamento britânico.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Mais um memorial que vai ser mandado construir em Londres pelos políticos em memória das vítimas e se no entanto nada pensarem mudar em relação a certas religiões e raças daqui a algum tempo teremos a Europa plena desses monumentos.

  2. Chamem-lhe “britânico”… Isto do politicamente correcto já mete nojo. Mas se fosse um português diziam logo que era português. Os ingleses só têm medo é dos mouros.

RESPONDER

Há uma forma de reduzir erros na computação quântica (e já sabemos qual é)

Na computação quântica, assim como no trabalho em equipa, um pouco de diversidade pode ajudar a melhorar o resultado. Esta pode mesmo ser a chave para pôr fim aos erros na computação quântica. Ao contrário dos …

Coimbrões 0-5 FC Porto | Dragões goleiam e seguem em frente na Taça

O FC Porto venceu hoje o Coimbrões, por 5-0, em jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal que os «dragões» resolveram com três golos nos 12 minutos iniciais. Aproveitando a inexperiência e nervosismo da formação …

Produção de filmes em Hollywood é um inimigo silencioso do ambiente

Hollywood é casa para a maioria dos grandes filmes produzidos que estreiam nas salas de cinema espalhadas por todo o mundo. Contudo, consegue ser bastante prejudicial para o meio ambiente e, mais do que nunca, …

O escorbuto era uma doença comum entre piratas, mas pode estar de regresso

O número de casos de escorbuto no Reino Unido mais do que duplicou nos últimos anos. A desnutrição é um dos principais responsáveis pelo regresso desta doença. O escorbuto está em ascensão no Reino Unido e …

Dois veleiros robotizados vão medir alterações climáticas no Atlântico

Dois veleiros de navegação robotizada vão medir, durante os próximos quatro meses, a pegada das mudanças climáticas no oceano Atlântico e irão passar pela Madeira e Cabo Verde. A Plataforma Oceânica das Canárias (PLOCAN) libertou esta …

A educação científica está sob ataque legislativo nos Estados Unidos

São inúmeros os professores de ciências que trabalham diariamente nas escolas públicas dos Estados Unidos para garantir que os alunos estão equipados com o conhecimento teórico e prático necessário para enfrentar o futuro. No entanto, …

João Félix saiu lesionado com gravidade no jogo contra o Valência

João Félix, avançado português do Atlético de Madrid, saiu este sábado lesionado com "forte torção no tornozelo direito", ao minuto 78 do jogo contra o Valência, da nona jornada da Liga espanhola de futebol, disputado …

As traças ficaram mais escuras por causa da Revolução Industrial? Cientistas já sabem a resposta

No virar do século XIX, na Grã-Bretanha, traças de todo o país começaram a ficar gradualmente mais escuras em resposta à forte poluição provocada pela Revolução Industrial. A Revolução Industrial foi um período de grandes transformações …

Mais de mil médicos foram alvo de processos disciplinares. 45 foram condenados, nenhum foi expulso

Mais de 1.070 processos disciplinares a médicos foram abertos no ano passado pelos conselhos disciplinares da Ordem, tendo sido condenados 45, segundo dados este sábado divulgados. Segundo os dados da Ordem dos Médicos, os conselhos disciplinares …

Publicar no Instagram rende mais a Ronaldo do que jogar na Juve

As publicações pagas no Instagram rendem mais a Cristiano Ronaldo do que jogar na Juventus, revela um estudo do Buzz Bingo. O internacional português foi a personalidade mais bem paga neste rede social em 2018. De …