Assessora inventou massacre para justificar medidas de Trump (e a internet não perdoa)

Depois de criar a famosa teoria dos “factos alternativos”, a assessora de Donald Trump, Kellyanne Conway, inventou um massacre que nunca existiu para explicar a política do novo presidente dos EUA contra a entrada de muçulmanos no país.

Após ter defendido Trump com o argumento dos “factos alternativos“, a propósito da quantidade de pessoas na tomada de posse do novo presidente norte-americano, Kellyanne Conway cometeu uma gaffe desastrosa na justificação da directiva que suspende o programa de acolhimento de refugiados.

A directiva de Trump impede a entrada nos EUA a cidadãos de sete países de maioria muçulmana – Irão, Iraque, Sudão, Síria, Somália, Iémene e Líbia.

Kellyanne Conway / Twitter

Donald Trump e a assessora Kellyanne Conway.

Donald Trump e Kellyanne Conway.

Durante uma entrevista à estação de televisão MSNBC, a conselheira de Trump comparou a actual política da Casa Branca com a de Barack Obama, notando que, em 2011, também o anterior presidente “impôs um veto de seis meses ao programa de refugiados iraquianos”.

Segundo Kellyanne Conway, o veto de Obama ocorreu depois de dois iraquianos terem vindo para o país, se terem radicalizado e terem sido os mentores do famigerado massacre de Bowling Green“.

“Nunca ninguém ouviu falar deste massacre porque nunca foi coberto pela imprensa”, diz a assessora de Donald Trump.

Ora a realidade é que o “massacre de Bowling Green” nunca aconteceu, sendo a versão “alternativa” da assessora de Trump sobre os factos que realmente tiveram lugar.

Em 2011, dois refugiados iraquianos, que estavam instalados em Bowling Green, no Kentuky, foram detidos depois de tentarem enviar armas, dinheiro e explosivos à rede terrorista Al Qaeda.

Estes dois homens, que ainda estão a cumprir penas de prisão, admitiram, na altura, ter usado explosivos contra forças americanas no Iraque, quando ainda viviam no seu país, mas não cometeram qualquer acto terrorista nos EUA.

Depois deste caso, Barack Obama determinou uma supervisão mais apertada à concessão de vistos a cidadãos provenientes do Iraque, mas não aplicou qualquer proibição.

Conway admite erro, mas não escapa ao gozo do Twitter

Depois da onda de críticas que caíram sobre si, Kellyanne Conway admitiu o erro e veio dizer, no Twitter, que pretendia falar em “terroristas de Bowling Green” e não em massacre.

A assessora de Trump também aproveitou para lançar farpas aos jornalistas, pela forma como a criticaram, acusando-os de não fazerem jornalismo e notando que “os erros honestos abundam”.

Nas redes sociais, a conselheira presidencial não foi poupada e se há quem fale em “massacre alternativo”, outros sublinham que os “bons americanos” devem perguntar-se onde é que estavam aquando do trágico atentado.

A filha de Hillary Clinton, a candidata presidencial derrotada por Trump, também veio criticar Kellyanne Conway. “Por favor, não invente factos”, pede Chelsea Clinton fazendo também referência à tentativa de ataque terrorista verificada no Museu do Louvre, em Paris.

E a Amnistia Internacional avisa a conselheira do presidente norte-americano que não pode “reescrever a história para fomentar o ódio”.

Mas Kellyanne Conway não se deixa ficar, e aconselha os que andam a brincar com a situação a informarem-se melhor sobre a ameaça terrorista.

SV, ZAP //

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. Tem mesmo cara de louca e parece mesmo que foi mascarada!!!
    Com bichos como esta tonta na administração americana, o mundo tem toda a razão para estar muito preocupado!!

  2. O Povo Americano escolheu o seu presidente.

    Os EUA não são propriedade do mundo, se China, Japão, Angola, Africa do Sul, Pakistão, India, tem as suas regras, porque o EUA não pode ter as suas?

    Todos os espaços designados pela raça branca tem de ser liberalizados e todos os outros protegidos?

    Se pais chineses não querem que os filhos se misturem com brancos é protecção cultural
    Se os mesmos pais são brancos é racismo.

    Porque não falam do que acontece noutras partes do mundo, o genocídio branco na africa do sul por ex

    Façam regras em vossas casas que é onde mais se precisa.

    • Porque os outros são os outros e os EUA são os EUA!!
      Não sei se consegues ver a diferença, mas, sem perceberes isso, não vais conseguir compreender o problema…
      Comparar os EUA com a China, Japão, Angola, Africa do Sul, Pakistão, India, etc, só mesmo para que não tem noção!…
      Que se saiba, nenhum desses países é exemplo de liberdade (alguns nem sequer são democracias)!…
      E, mais importante, nenhum desses é a maior economia e potência mundial (com bases militares um pouco por todo o mundo)…
      Percebido?

    • Porque, pensava eu até ver estas coisas, os europeus estão num plano social mais avançado mas isto é a minha opinião

  3. Verdade mesmo é que a senhora é criativa, lá isso é verdade. Tem aliás tanto de criativo como de ridiculo, nem percebendo a borrada que vai dizendo ou, se calhar, até percebendo mas querendo fazer os outros de parvos.

  4. Devem pensar que o Trump está muito preocupado com as manifestações, deve ser para o lado que ele dorme melhor, pior que ele são os assessores que vendo o amadorismo do Chefe são incapazes de o alertar de tal facto e o facto que das poucas mulheres que ele foi nomear foi buscar as + burras , mas também não foi o único a fazer esta escolha, no passado houve muito mais e também homens, isto tanto no EU ou na Europa.

RESPONDER

EUA "golearam" Europa mas a Europa "humilhou" o Mundo

Vitória clara dos americanos no golfe, mas vitória ainda mais "gorda" dos europeus no ténis. Quem é europeu e gosta de várias modalidades desportivas, teve muito para ver neste fim-de-semana. E terminou com emoções completamente distintas: …

Governo reforça apoios ao setor do turismo com nova linha de crédito

Nova linha de crédito terá 150 milhões de euros destinados às pequenas e médias empresas, tendo como objetivo incrementar a retoma económica. O ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital anunciou hoje, em Coimbra, …

Nova Iorque quer usar guarda nacional para substituir trabalhadores de saúde não vacinados

A governadora de Nova Iorque, Kathy Hochul, está a considerar usar a guarda nacional e funcionários médicos de fora do estado para suprir a falta de pessoal de saúde, já que dezenas de milhares provavelmente …

O PSD saiu vitorioso ou derrotado das autárquicas? Depende a quem perguntar no partido

Resultado conquistado por Carlos Moedas em Lisboa está a ser visto como um autêntico balde de água fria para os possíveis adversários de Rui Rio na corrida à liderança do PSD. Uma semana antes das eleições …

Bruno Fernandes falhou grande penalidade - e Cristiano deve substituí-lo

Médio do Manchester United desperdiçou a oportunidade de dar um ponto à sua equipa, contra o Aston Villa. De repente, o ambiente em Old Trafford mudou. O Manchester United venceu três jogos e empatou um, nos …

A Islândia estava prestes a ter um parlamento de maioria feminina - até à recontagem dos votos

A recontagem dos votos das legislativas de sábado fez com que o número de mulheres passasse de 33 para 30. Mesmo assim, a Islândia mantém-se como um dos países do mundo com maior representação parlamentar …

É mesmo possível reconhecer um ditador pelas suas características faciais

Os líderes democraticamente eleitos tendem a ter rostos mais atraentes e simpáticos do que os líderes autoritários, conclui um polémico estudo. É comum as pessoas formarem juízos de valor baseados na aparência de um rosto. No …

Moedas já fala como presidente. "Temos que deixar a política da fricção e apostar na construção de soluções, de resultados"

Carlos Moedas, que se vê como um presidente inclusivo", recusa uma política de "fricção", nomeadamente na oposição ao poder nacional e promete concentrar-se nos "resultados e nas pessoas" para melhorar a vida dos lisboetas. Carlos Moedas, …

Responsabilidade é a característica mais importante para alcançar bons resultados escolares

Cerca de 300 estudantes do concelho de Sintra participaram no estudo internacional que teve como objetivo correlacionar o desempenho escolar com as competências sociais e emocionais dos mesmos. A responsabilidade é uma das características mais importantes …

CCB condenado por violar direitos laborais de técnicos de espetáculos

O Centro Cultural de Belém (CCB) foi condenado em tribunal por violação dos direitos laborais de 12 técnicos de espetáculos. Segundo o jornal Público, os juízes do Tribunal da Relação de Lisboa deram razão a 12 …