Assassino em fuga durante 37 anos tornou-se escritor de romances policiais de sucesso

O antigo militante comunista italiano Cesare Battisti, procurado por quatro homicídios durante os anos 1970 e capturado no sábado na Bolívia, chegou esta segunda-feira a Roma.

Segundo as autoridades, o fugitivo de 64 anos foi extraditado depois de ter sido detido na cidade de Santa Cruz de La Sierra numa operação policial internacional.

Após uma fuga da prisão em Itália, Battisti viveu vários anos no Brasil mas desapareceu novamente depois de um mandado de prisão ter sido emitido no mês passado.

O ministro italiano do Interior, Matteo Salvini, confirmou que Battisti foi entregue às autoridades italianas e que um avião fretado tinha partido da Bolívia. “O avião com Cesare Battisti acabou de descolar em direção a Itália. Estou orgulhoso e comovido”, escreveu no Twitter.

Battisti foi preso por uma equipa especial da Interpol no sábado, por volta das 17h00 locais (21h em Lisboa) numa rua de Santa Cruz de La Sierra. Estava sozinho e usava óculos escuros e uma barba falsa, de acordo com o jornal italiano Corriere della Sera. Battisti não resistiu nem tentou escapar, segundo as autoridades.

O avião tinha descolado de Vira Viru, em Santa Cruz de La Sierra, a 850 quilómetros da capital da Bolívia, La Paz. Matteo Salvini estava à espera de Cesare Battisti no aeroporto e transmitiu em direto, através das redes sociais, a chegada a Roma.

Logo que aterrou, Cesare Battisti foi levado para a prisão de Rebibbia, onde ficará preso no circuito de alta segurança reservado a terroristas. Nos primeiros seis meses ficará em isolamento diurno.

Fugitivo tornou-se escritor de sucesso

Em 1979, Battisti foi condenado por pertencer a um grupo de extrema-esquerda ilegalizado em Itália, os Proletários Armados pelo Comunismo. Dois anos depois, escapou da prisão.

Mais tarde, viria a ser condenado na sua ausência por responsabilidade direta ou indireta em quatro homicídios. Em 1993, foi condenado à prisão perpétua pelos assassinatos, entre 1977 e 1979, de quatro pessoas: dois polícias, um açougueiro e um joalheiro. Em dois deles, foi condenado como autor do homicídio. Nos outros, como organizador.

Battisti admite ter feito parte dos PAC mas nega responsabilidade nos homicídios. Depois de se evadir da prisão italiana, fugiu para o México. A partir de 1990, viveu em França, onde o então Presidente François Mitterrand recusou a extradição. Em França, tornou-se um escritor famoso e publicou romances policiais nos quais analisava a sua experiência na luta armada.

O italiano chegou ao Brasil em 2004. Em novembro de 2009, o plenário do Supremo Tribunal Federal autorizou a extradição pedida por Itália. No entanto, no último dia do seu mandato, a 31 de dezembro de 2010, o então Presidente Lula da Silva negou a extradição e autorizou Battisti a permanecer no Brasil.

No mês passado, voltou a desaparecer depois de um mandado de prisão ter sido emitido.

Segundo o El País, Cesare Battisti conta que passou a sua vida a trabalhar como escritor e jornalista e que não é “o monstro” que o Governo italiano descreve.

ZAP // BBC

PARTILHAR

RESPONDER

A guerra contra o plástico está a distrair-nos da poluição invisível

O atual foco na poluição de plástico está a fazer com que as pessoas descurem o tipo de poluição que não é possível ver, alerta uma equipa de investigadores. O plástico é um material incrivelmente útil …

A pandemia veio interromper as touradas no Peru. Mas há quem não esteja muito satisfeito com isso

Em poucos meses a pandemia do novo coronavírus conseguiu um feito há muito desejado por ativistas de todo o mundo: interrompeu as touradas. O cancelamento dos espetáculos - criticados pela sua violência para com os …

Dezenas de sites franceses com propaganda islâmica após pirataria informática

Várias dezenas de pequenos websites franceses foram afetados por uma onda de pirataria informática, publicando mensagens de propaganda islâmica, indica hoje a agência noticiosa France-Press (AFP). Mensagens como “Vitória para Maomé, vitória para o Islão e …

Jogos Olímpicos em 2021 vão mostrar que "humanidade derrotou o vírus"

O primeiro-ministro japonês, Yoshihide Suga, disse esta segunda-feira que o país está "determinado" em organizar os Jogos Olímpicos no verão de 2021 e declarou que o evento servirá "como prova de que a humanidade derrotou …

Herdeiro da Samsung assume as rédeas da empresa depois da morte do pai

Lee Jae-Yong, filho do presidente da Samsung, assumiu a liderança da empresa depois do seu pai ter falecido este domingo. O herdeiro assume as rédeas numa altura em que a gigante da tecnologia procura evoluir. Sob …

Vídeos de suicídios, abortos ou abusos sexuais. Ex-moderadora do YouTube descreve pesadelo (e processa plataforma)

Uma ex-moderadora do YouTube apresentou uma queixa contra a plataforma na segunda-feira, acusando-a de não proteger os funcionários que são sujeitos a uma análise e remoção de vídeos violentos publicados na página. O processo contra o …

Resultados nos Açores levam PS a pensar em eleições antecipadas

O PS voltou a ganhar as eleições regionais dos Açores, obtendo 39,13% dos votos, o que não garante a maioria absoluta. Os resultados levam o partido a pensar já em eleições antecipadas. "[O governo regional] está …

"Ainda não sei bem o que fiz". João Almeida e Rúben Guerreiro de volta a Portugal

João Almeida e Rúben Guerreiro foram duas das maiores figuras desta edição do Giro, a volta a Itália em bicicleta. Os dois ciclistas aterraram esta segunda-feira, em Lisboa, e parece que ainda não perceberam a …

Autarca de Pedrógão Grande critica "péssima investigação" sobre reconstrução de casas

O presidente da Câmara de Pedrógão Grande acusou o Ministério Público e a Polícia Judiciária de terem feito uma "péssima investigação" no processo sobre a reconstrução das casas, cujo julgamento se iniciou esta segunda-feira. "[As acusações] …

Novo Banco e TAP são "riscos não negligenciáveis" para o défice

A TAP e o Novo Banco podem ter um efeito orçamental maior que o estimado pelo Governo em 2021, constituindo "riscos não negligenciáveis" para o défice, segundo uma avaliação do Conselho das Finanças Públicas (CFP) …