As prostitutas evitaram uma epidemia de Sida na Índia

Os prognósticos feitos em 2002 levaram para o terreno um projeto financiado pela Fundação Bill e Melinda Gates. Atualmente a prevalência do VIH na Índia é inferior à dos EUA.

Quando, em 2002, um relatório previa que, em 2010, haveria 20 a 25 milhões de pessoas com o vírus da Sida soaram os alarmes. O documento alegava que haveria mil pessoas infetadas por dia e que dois milhões de crianças seriam órfãs devido à Sida. A calamidade faria da Índia a capital mundial da doença.

Mas isso não aconteceu. O ano de 2010 já passou e o país evitou esse desastre. O que não se sabia é que esta gigantesca vitória na saúde pública se deveu às prostitutas.

A história é contada agora em livro por Ashok Alexander, 64 anos, o homem que, durante anos, esteve nas linhas da frente de um dos maiores projetos mundiais de luta e prevenção da Sida, de acordo com o The Guardian.

Alexander, filho do principal conselheiro de Indira Ghandi, deixou o cargo de CEO numa multinacional para se juntar ao programa da Fundação Bill e Melinda Gates dedicado à prevenção da Sida. Avahan, o nome da campanha, começou para ir para o terreno ver como eram as relações sexuais na Índia, como trabalhavam as prostitutas, onde viviam, as suas preocupações e escolhas.

A viagem começou com um passeio noturno por um parque na cidade de Vizag, no sul do país. O número de casais a ter relações sexuais, na relva ou por detrás de arbustos, levou uma pessoa de uma ONG a dizer-lhe: “Cuidado para não pisar as pessoas.” Os bordéis representavam apenas 7% da escolha para os serviços sexuais. A rua, os parques, as esquinas ou as paragens de autocarro eram os locais de eleição.

Alexander tomou consciência que a dispersão das prostitutas era um problema para o desenvolvimento do programa. Quando as mulheres estão nas bermas das auto-estradas, entram num camião, depois atravessam a via para o outro lado e entram noutro camião é difícil conter uma epidemia.

Assim, os dinamizadores do Avahan precisavam de reunir muita informação sobre as prostitutas e só elas a poderiam dar – e aceitaram.

Começaram por abrir centros onde as mulheres, homossexuais ou transgéneros poderiam ir para descansar, tomar um banho quente ou conversar. Também podiam ser vistas por um médico, de forma gratuita, para rastrear doenças sexualmente transmissíveis. Fez toda a diferença.

Desta forma conseguiu-se juntar num mesmo local várias mulheres e dar-lhes informação e apoio. Os centros multiplicaram-se – em dois anos estavam em 550 cidades e, ao terceiro, já eram o maior programa mundial de prevenção da Sida financiado por um entidade privada.

No pico da sua atividade, o Avahan atendia 270 mil prostitutas em 672 cidades, distribuindo 13 milhões de preservativos por mês. Custou cerca de 330 milhões de euros e desempenhou um papel essencial na contenção do número de casos.

Atualmente, a Índia tem 2,1 milhões de pessoas infetadas com o vírus da Sida e a prevalência da doença é inferior à dos EUA.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Freira e Diocese de Fátima disputam imóveis de 5 milhões de euros

É uma "guerra" que corre pelos tribunais há 11 anos e que envolve um património imobiliário avaliado em 5 milhões de euros. Podia ser mais uma história comum de desaguisados na justiça, não fosse o …

Fim das taxas moderadoras custa mais de cem milhões de euros por ano

O diploma aprovado, na última semana, no Parlamento para acabar com a maioria das taxas moderadoras vai custar ao Estado mais de cem milhões de euros por ano. O projeto de lei do Bloco do Esquerda …

Tancos. Detetada discrepância na listagem de lança-granadas

O CDS alega diferenças entre as listas comunicadas pelo Exército e entregues pela Polícia Judiciária Militar ao Ministério Público e quer alterar relatório final sobre Tancos. O CDS alegou existir uma diferença de 80 lança-granadas …

Rio defende inocência de Álvaro Amaro e critica julgamentos na praça pública

O presidente do PSD defendeu esta segunda-feira, em Viana do Castelo, o respeito pelo princípio de presunção de inocência para todos os portugueses e criticou julgamentos "na praça pública", referindo-se ao processo que envolve o …

Campanha para ajudar Miguel Duarte já angariou mais de 30 mil euros

A campanha de crowdfunding para ajudar Miguel Duarte, acusado pela justiça italiana de auxílio à imigração ilegal, já angariou quase 30 mil euros. Para surpresa de Miguel Duarte, o objetivo inicial da campanha de crowdfunding lançada no …

Misteriosas ilhas artificiais na Escócia são mais antigas que Stonehenge

Arqueólogos da Universidade de Southampton, que trabalharam com colegas da Universidade de Reading e com o arqueólogo local Chris Murray, descobriram que alguns "crannogs" escoceses datam do período neolítico - muito mais antigos do que …

Greves da Soflusa e Transtejo desconvocadas

A secretária-geral e responsável pela comunicação da Soflusa, Margarida Perdigão, confirmou esta segunda-feira que as greves da empresa de transportes foram desconvocadas. As greves tinham início marcado para terça-feira. Os sindicatos assinaram um protocolo que vai …

ONG pede investigação sobre a morte do ex-presidente do Egito Mohamed Morsi

A organização não-governamental Human Rights Watch pediu uma investigação sobre o acesso à assistência médica e aos alegados maus tratos sofridos ao longo dos anos por parte do ex-presidente do Egito Mohamed Morsi, que morreu …

Os golfinhos formam amizades porque partilham os mesmos interesses

No que diz respeito a criar laços de amizade, parece que os golfinhos são mais parecidos connosco do que imaginávamos. O comportamento homófilo desempenha um papel central na formação das amizades humanas, uma vez que os …

Neozelandês que partilhou vídeo do massacre de Christchurch condenado a 21 anos de prisão

Um neozelandês foi esta terça-feira condenado a 21 meses de prisão por ter partilhado o vídeo que o alegado autor do ataque em março contra duas mesquitas de Christchurch, que fez 51 mortos, transmitiu em …