As prostitutas evitaram uma epidemia de Sida na Índia

Os prognósticos feitos em 2002 levaram para o terreno um projeto financiado pela Fundação Bill e Melinda Gates. Atualmente a prevalência do VIH na Índia é inferior à dos EUA.

Quando, em 2002, um relatório previa que, em 2010, haveria 20 a 25 milhões de pessoas com o vírus da Sida soaram os alarmes. O documento alegava que haveria mil pessoas infetadas por dia e que dois milhões de crianças seriam órfãs devido à Sida. A calamidade faria da Índia a capital mundial da doença.

Mas isso não aconteceu. O ano de 2010 já passou e o país evitou esse desastre. O que não se sabia é que esta gigantesca vitória na saúde pública se deveu às prostitutas.

A história é contada agora em livro por Ashok Alexander, 64 anos, o homem que, durante anos, esteve nas linhas da frente de um dos maiores projetos mundiais de luta e prevenção da Sida, de acordo com o The Guardian.

Alexander, filho do principal conselheiro de Indira Ghandi, deixou o cargo de CEO numa multinacional para se juntar ao programa da Fundação Bill e Melinda Gates dedicado à prevenção da Sida. Avahan, o nome da campanha, começou para ir para o terreno ver como eram as relações sexuais na Índia, como trabalhavam as prostitutas, onde viviam, as suas preocupações e escolhas.

A viagem começou com um passeio noturno por um parque na cidade de Vizag, no sul do país. O número de casais a ter relações sexuais, na relva ou por detrás de arbustos, levou uma pessoa de uma ONG a dizer-lhe: “Cuidado para não pisar as pessoas.” Os bordéis representavam apenas 7% da escolha para os serviços sexuais. A rua, os parques, as esquinas ou as paragens de autocarro eram os locais de eleição.

Alexander tomou consciência que a dispersão das prostitutas era um problema para o desenvolvimento do programa. Quando as mulheres estão nas bermas das auto-estradas, entram num camião, depois atravessam a via para o outro lado e entram noutro camião é difícil conter uma epidemia.

Assim, os dinamizadores do Avahan precisavam de reunir muita informação sobre as prostitutas e só elas a poderiam dar – e aceitaram.

Começaram por abrir centros onde as mulheres, homossexuais ou transgéneros poderiam ir para descansar, tomar um banho quente ou conversar. Também podiam ser vistas por um médico, de forma gratuita, para rastrear doenças sexualmente transmissíveis. Fez toda a diferença.

Desta forma conseguiu-se juntar num mesmo local várias mulheres e dar-lhes informação e apoio. Os centros multiplicaram-se – em dois anos estavam em 550 cidades e, ao terceiro, já eram o maior programa mundial de prevenção da Sida financiado por um entidade privada.

No pico da sua atividade, o Avahan atendia 270 mil prostitutas em 672 cidades, distribuindo 13 milhões de preservativos por mês. Custou cerca de 330 milhões de euros e desempenhou um papel essencial na contenção do número de casos.

Atualmente, a Índia tem 2,1 milhões de pessoas infetadas com o vírus da Sida e a prevalência da doença é inferior à dos EUA.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Há uma nova ameaça nas salas de aula e chama-se Fortnite

O jogo online mais popular do mundo, com mais de 200 milhões de utilizadores registados, encanta crianças cada vez mais novas. Numa escola primária do Montijo, as aulas passaram a decorrer de forma diferente por …

Empresa portuguesa quer produzir alface em câmaras frigoríficas (e podem ser levadas para Marte)

A empresa Grow to Green promete que vai produzir alimentos indoor. É possível gastar menos 98% de água na produção de alface, o que permite cultivá-lo diretamente no supermercado, no deserto ou, quem sabe um …

May rejeita novo referendo, apresenta Plano B do Brexit e pede ajuda à oposição

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, rejeitou esta segunda-feira convocar um segundo referendo sobre o Brexit e afirmou que espera voltar a debater com a União Europeia o controverso plano de salvaguarda elaborado para …

Porto vende 35 mil francesinhas por dia (e os turistas adoram)

O Porto vende pelo menos 35 mil francesinhas por dia nos mais de 700 cafés e restaurantes da cidade, o que significa que por mês há cerca de um milhão daquelas sanduíches especiais a serem …

China limita número de alpinistas autorizados a escalar Everest

O número total de alpinistas que tentam alcançar o topo do Everest, a 8.850 metros de altitude, a partir do norte, serão limitados a menos de 300, e a temporada de escalada será restringida à …

Rede francesa de solidariedade acolhe brasileiros que queiram fugir de Bolsonaro

Solidarité Brésil é o nome da iniciativa, lançada esta sexta-feira, em Paris, que tem como objetivo ajudar estudantes, artistas ou intelectuais que se sintam ameaçados no Brasil de Jair Bolsonaro. Podem ser estudantes, investigadores, artistas, professores, …

Todos os dias cinco portugueses tornam-se britânicos

Todos os dias, em média, cinco emigrantes portugueses tornam-se britânicos. Só entre janeiro de 2017 e setembro de 2018, 2.655 emigrantes no Reino Unido conseguiram obter cidadania britânica, número que supera o total de autorizações …

O maior encontro religioso do mundo leva 150 milhões de pessoas à Índia

Até 04 de março, são esperados na cidade indiana Allahabad cerca de 150 milhões de peregrinos, que buscam proteção e purificação nas águas que cruzam os rios sagrados Ganges, Yamuna e Saraswati, durante aquele que é …

Ciclistas indignados com anúncio que mostra bicicleta a ser abalroada

Um anúncio de publicidade do Continente em que um ciclista é abalroado por um automóvel está a gerar indignação. A Federação Portuguesa de Ciclismo já pediu a retirada do anúncio e apresentou queixa à Entidade …

Hoje, Wall Street parou. É dia de Martin Luther King Jr

Desde 1986 que se realiza, nos EUA, na terceira segunda-feira de janeiro, o dia de Martin Luther King Jr., um feriado federal. A bolsa de Nova York estará encerrada, assim como a maior parte das …