/

“Vão tomar banho!” Artistas que vão à Festa do Avante respondem às críticas com outras guerras

41

José Sena Goulão / Lusa

Preparativos para a abertura da Festa do Avante

Alguns dos artistas que integram o cartaz musical da Festa do Avante reagem às críticas de que têm sido alvo por participarem no evento organizado pelo PCP devido à posição deste quanto à guerra na Ucrânia.

Foi o jornalista José Milhazes o primeiro a manifestar “estranheza” com a participação de “artistas como Carminho ou Paulo Bragança” na Festa do Avante que se vai realizar de 2 a 4 de Setembro na Quinta da Atalaia, no Seixal, em Setúbal.

Em declarações na SIC, onde comenta, habitualmente, a guerra na Ucrânia, Milhazes considerou “estranho” que participem numa “festa de um partido deste tipo”, apontando que o “PCP recusa-se a condenar a carnificina que está a ter lugar” e a “política criminosa de Putin”.

Milhazes referiu-se, em particular, à cantora Bia Ferreira, realçando que é “uma das mais destacadas vozes brasileiras de afirmação da comunidade LGBTQ+” e lamentando que venha “a uma festa de um partido que apoia regimes que perseguem, prendem e matam todas estas minorias sexuais”.

O jornalista ainda aconselhava os artistas a pensarem bem, apontando que “estão a participar numa festa que não é só musical, é política”.

“Onde estão quando fome grita por socorro no Iémen?”

Depois das críticas de José Milhazes, outras vozes vieram a público criticar os artistas que, agora, se defendem.

Dino D’Santiago, uma das vozes mais influentes da música portuguesa actual, usou o seu perfil do Instagram para referir que tem recebido “mensagens de algumas pessoas contra a [sua] participação na Festa do Avante”, inclusive responsabilizando-o pelo “sangue ucraniano derramado nesta guerra”.

“Sim. Sou responsável pelo sangue derramado nesta e em todas as guerras, em ambos os lados da trincheira! Porque sou um filho do século XX! O século mais assassino da história da Humanidade! Nas NOSSAS mãos carregamos o sangue de mais de 100 milhões de seres humanos, mortos em nome do poder, religião ou genocídio”, escreve o cantor.

Sobre a guerra na Ucrânia, Dino D’Santiago refere que “parece que despertou finalmente a compaixão do privilegiado eurocêntrico que hoje prova o sabor do seu próprio veneno ‘ocidental'”.

“Onde estão quando a fome grita por socorro às crianças no Iémen, onde estão quando o assunto são os 5,5 milhões de seres refugiados da República Democrática do Congo, ou dos 1,75 milhões que fogem de Burkina Faso, somando aos outros milhões de pessoas refugiadas vindas dos Camarões, Sudão do Sul, Chade, Mali, Sudão, Nigéria, Burundi e Etiópia?”, questiona ainda o cantor.

“Sou e serei sempre pela PAZ em qualquer canto deste Globo! E para esta guerra da humanidade carrego a única arma que herdei dos meus pais… AMOR! E enquanto tiver munições viajarei por todos os lugares onde sou bem-vindo”, conclui o músico.

“Guerra? Isso vi eu em Angola”

O fadista Paulo Bragança também se pronuncia, considerando que são críticas “cruéis”, conforme declarações à TSF.

“Guerra? Isso vi eu”, nota o cantor referindo-se ao conflito em Angola. “Vi homens e mulheres nus para serem fuzilados ou passar oito dias fechado num sítio para não levar com uma bala na cabeça. Pois muito bem, vão tomar banho”, aponta Paulo Bragança.

Já em declarações ao podcast “Posto Emissor” da revista Blitz, o fadista fala da “onda de hate por causa do Avante” e diz que é “um homem da paz” e que vai “pela paz”. “Vou trabalhar e mais nada”, aponta ainda.

“Vou para denunciar os estragos que o povo português deixou no Brasil

Bia Ferreira também já reagiu, frisando que não se nega “a tocar” porque a sua “arte não vai ser calada nem denunciada“, conforme declarações divulgadas pelo Expresso.

“Qualquer palco que me convide para fazer a minha arte, eu subo, porque sou uma mulher, preta e brasileira, que não tem tantas oportunidades assim para fazer a arte política e revolucionária” que apresenta, sustenta ainda a artista.

“Eu vou para denunciar os estragos que o povo português deixou aqui no Brasil. Se só as mortes na Ucrânia incomodam vocês, porque é um europeu branco morrendo, eu queria falar que a cada 23 minutos morre um preto aqui no Brasil. E é isso que eu vou fazer à Festa do Avante: denunciar o estrago que ficou aqui”, salienta ainda.

Já numa publicação no Instagram, Bia Ferreira destaca que “o incómodo de alguns” se deve ao “desconforto” de a “ouvir falar” que vem do Brasil e que “os seus antepassados escravizaram e mataram, exploraram e exploram até hoje a [sua] gente”.

“Quanto à guerra entre Rússia e Ucrânia, eu nunca fui a nenhum desses países, mas aqui no Brasil eu vivo na guerra desde que nasci, e nunca vi essas mesmas pessoas preocupadas com as nossas mortes”, acrescenta, notando que há “helicópteros sendo usados de base de tiro para matar civis na favela”.

“O número de mortes de civis e de policiais no Brasil é maior que o número de mortes na Ucrânia ou na Rússia”, acrescenta.

Mas o Brasil é “um país que mata mais que a Rússia, mas não é interessante noticiar”, considera ainda.

  ZAP //

41 Comments

  1. Esta Bia Ferreira poderia bem passar sem a estafada demagogia dos “estragos que o povo português deixou no Brasil”.
    Depois de mais de 500 anos, ainda não tiveram tempo de se recompor ? Ao cabo de todo este tempo, poderiam pelo menos tentado perceber que quase todos os males que nos culpam, devem ser atribuídos a ELES PRÒPRIOS. Ao enriquecimento quase sempre ilícito, escandaloso e imoral de minorias nacionais, elites, oligarquias, feudos, coronelismos, etc que os brasileiros têm criado, mantido, ou tolerado, e que têm sido mais injustas e tiranas que a colonização portuguesa alguma vez foi.

    • Depois de mais de 500 anos???
      O Brasil é independente há (apenas) 200 anos, precisamente, e a presença portuguesa/europeia no Brasil continuou (e continua) desde então.
      Confesso que também já me farta esta ladainha do “legado português” no Brasil, mas é ir às comunidades pobres por lá, e ver quantos negros ou mestiços há, em comparação com o número de brancos.
      Quanto aos ” feudos e coronelismos” que refere, esses são realmente legados portugueses no Brasil, que infelizmente teimam em perdurar!

      • Tem razão Erva. Os feudos, coronelismos e outras desgraças, podem ter sido legados portugueses, mas não entendo porque perduram, há centenas de anos.
        Talvez haja alguma explicação, ou várias, para essas desgraças, mas não compro o argumento dos brasileiros pretensamente mais “esclarecidos” que se acomodam na desculpa da colonização, e em regra, largam a baforada que me fartei de ouvir por lá “JÁ NO TEMPO DO IMPÉRIO ERA ASSIM…”
        E sendo assim…, a culpa continua a ser nossa, como declara a sra. Bia Ferreira, e eles sentem-se livres de responsabilidades e pecados passados, presentes, e futuros.

  2. Os catores do Avante, será
    que alguem sabe o que já fizeram em tremos solidários? Perguntem-lhes e ficarão supreendidos pela AUSÊNCIA de OBRA. Desde quando Paulo Bragança viu gente nua em Angola para ser fuzilada, só se no ventre da sua própria mãe. Será que se recorda de quando deixou Angola e que idade tinha?
    Os brasileiros, por outro lado, devem odiar Bia Ferreira, pelo atestado de incompetência e inoperacionalidade que lhes passa. A independencia do Brasil foi há 200 anos mas a culpa do estado do país ainda e dos portugueses.
    Falam do Iéme, da Palestina África e pergunto o que fizeram para ajudar esses povos e já
    agora o que fez a Russia? Deixem de se justificar hipocritamente a sua inercia de valores face à guerra na Ucrânia, à invasão russa, ás pretensoes expansionista de Putin, um anão de botox com laivos hitlerianos e de um partido homofóbico e totalitário como o PCP.

    • Tremos … Catores … Iéme … inercia …

      À mulher de César não basta ser séria, também deve parecê-lo !

  3. Quem critica esses artistas, fez o quê, para menorizar os estragos desta guerra, mais precisamente???
    Fazem os ditos artistas muito bem em ir tocar à festa do Avante.
    Se eu fosse artista, tanto me fazia tocar no Avante ou tocar num comício do chega. Trabalho é trabalho!

    • É fácil de responder à sua pergunta: Vão para a SIC e para o Expresso lançar boatos e dizer dichotes ordinários. É o que fazem para menorizar os estragos desta guerra. E já agora que anda tudo a defender uma suposta “liberdade” de expressão, eu aproveito e digo: “Abrunhosa, go f*ck yourself!”

    • És mesmo muito limitado. Uma vergonha. É por essa ordem de ideias que o mundo chegou ao atual estado. Decididamente faltam pessoas com coluna vertebral. O dinheiro não é tudo.

    • Hipócrisia levada ao limite. Não conseguem dormir por causa da guerra na Ucrania ? Imaginem algo pior, imaginem todos os judeus mortos por Hitler, os milhões mortos em câmaras de gás, fuzilados, imaginem os milhões de soldados mortos na 2.ª guerra mundial, Vão certamente dormir muito mais descansados pois esta carnificida que acontece na Ucrânia não é nada comparado com isso. Que idiota propaganda este tipo de raciocinio ? e quem tipo de idiota o replica e defende ?

    • Olhe que não Sr Doutor … Olhe que não.! Devo dizer-lhe que nunca votei pcp mas, tendo-se mostrado como sendo o único partido com uma espinha dorsal direita, considero dar-lhes o meu voto no futuro. Repare, não é que isso faça a mínima diferença mas ao menos não voto em Costas, Venturas ou Montenegros … Deus me livre e guarde de tal!

  4. Vão porque lhes pagam. E as oportunidades não devem ser assim tantas que possam recusar.
    Não critico porque provavelmente, no lugar deles, faria o mesmo. Mas não arranjem desculpas e assumam a verdade.

    • E qual a racionalidade que pode explicar que um artista tenha que dar explicações por trabalhar, honestamente, pelo seu sustento? Note: não foram os artistas a explicar porque atuariam na Festa, fizeram-no porque grupos neo-fascistas, com eco no lixo da comunicação, o exigiram. Não tinha qualquer ideia de ir à Festa, irei, como manifestação anti-fascista.

        • A semântica também se aplica ao Português, logo não é “quem” e sim o “quê”. E a propósito, não me parece que possa ser considerado “iluminati” o grupo que integra aqueles que parecem não esquecer, nem perdoar, que tenha sido a Rússia a destruir a paranóia do Adolfo H. O “anti-comunismo” não passa de treta para esconder esta realidade nada “iluminati”.

      • Por essa ordem de ideias os artistas até podiam dar um concerto para o Putin enquanto este matava 100 ucranianos em simultâneo. Olhe, tenha juízo! O dinheiro não justifica tudo. Há e devem sobrepôr-se valores. Tenha vergonha!

  5. Lixo. Parece incrível como certos artistas são pela guerra. Mas como em tudo na vida, ha sempre que apoie a morte e a destruição, já no tempo do hitler havia.
    A diferença é que hoje 8o anos depois, temos outros meios tecnológicos e conseguimos ver a realidade.

  6. Tanta Gente incomodada por causa da Festa do Avante , esquecem que foram os Comunistas a Sofrer no Corpo para hoje haver liberdade de Expressão, se não fossem os comunistas os que Hoje Falam nem sequer podiam dizer uma Palavra. Tanto Hipócrita preocupado com a Guerra da Ucrania mas nunca vi esta tgente Preocupada com as carnificinias provocadas pelos EUA . Só agora acordaram para a Vida?

    • A revolução de Abril foi dos portugueses não foi do PCP

      O PCP participou na revolução porque queria derrubar o regime fascista e colocar o seu proprio regime comunista no poder
      Se não fosse Novembro de 1975 estariamos agora com uma excelente liberdade de expressão

    • Os comunistas nada fizeram para bem do povo, queria criar a sua propria ditadura. Felizmente outros partidos lutaram pela nossa verdadeira liberdade . Não hà um pais com regime comunista no mundo que seja ou tenha sido democratico e onde as pessoas se pudessem exprimir em liberdade.

      • “Não hà um pais com regime comunista no mundo que seja ou tenha sido democratico”

        Uruguai, com Pepe Mujica!

  7. Vão desculpar, mas:
    1 – Ando mesmo mal informado. Diz-se a dada altura: “Dino D’Santiago, uma das vozes mais influentes da música portuguesa actual […]”. Quem é este Senhor? Nunca ouvi falar de tal personagem;
    2 – A Senhora Brasileira vem a Portugal para “ […] denunciar os estragos que o povo português deixou aqui no Brasil. Se só as mortes na Ucrânia incomodam vocês, porque é um europeu branco morrendo, eu queria falar que a cada 23 minutos morre um preto aqui no Brasil. E é isso que eu vou fazer à Festa do Avante: denunciar o estrago que ficou aqui”. Penso que o Brasil é independente desde 1822 e, ainda não tiveram tempo para resolver esta questão? Com tanto petróleo, gás, ouro, e outros recursos? O Brasil é aliás interessante. Tem 96 vezes a área de Portugal, 22 vezes a população de Portugal e, depois, têm apenas 4,5 vezes o PIB português? Ainda é o legado? Se me agarrasse ao legado que me deixaram e me justificasse permanentemente com isso, teria ficado no mesmo lugar… A questão que os Brasileiros (mesmo admitindo o tal “legado”) devem colocar a si próprios é: vou continuar a lamentar-me ou vou fazer alguma coisa para mudar isso?

  8. Pois, parece-me que grande parte da humanidade caminha a passos largos para a loucura, se é que não está já lá.

    Então agora uma asneira no passado justifica outra asneira no presente?
    Então agora quem no passado não foi perfeito, não pode no presente tentar fazer melhor?
    Então por ter havido erros no passado agora não podemos tentar corrigir os do presente?
    Então agora quem não se dedica a tentar resolver TODOS os problemas e erros do mundo, não tem direito a tentar resolver alguns desses mesmos problemas e erros?

    Estimem as pessoas sãs e humanas que conheçam, pois parece que isso é um bem cada vez mais raro…

  9. Artistas sem qualidade, devem estar a morrer de fome para aceitarem participar nesta festa organizada pelo PCP, Não têm principios. Mas pelo cartaz vê-se bem que apenas pessoal de 2.º ou 3.º plano lá vão. Nenhum artista conceituado com com espinha dorsal lá iria. Honra seja feita a Pedro Abrunhosa que colocou os artista a defender uma causa justa. Não se viu o PCP tão defensor da democracia e das liberdades em Portugal condenar o que os seus “patrões ” da embaixada da Russia disseram. Aliás a defesa feroz da liberdade só é feita em paises onde existe liberdade pelo PCP, porque nos paises onde ela não existe eles são acérrimos defensores de regimes ditadoriais .

  10. O PCP é um satélite russo estragado. Qualquer dia desintegrasse. É so só ma questão de tempo. Os artistas se forem pelo caché ainda vá! Se forem pela politica comunista, estão caducos.

  11. A Festa do Avante foi e é preciosa para a cultura Portuguesa.
    Mas tem piada imaginar o que aconteceria se se realizasse em Moscovo…

  12. O que estes artistas de trazer por casa fazem e dizem para justificar a sua incoerência. Como estes pseudo defensores da paz, igualdade e justiça social adoram a burguesia e vivem no “mundo opressor e ocidental” que tanto dizem odiar. Hipocrisia pura!

  13. Antes de mais, nota 20 ao José Milhazes, que soube pôr o dedo na ferida.

    Dava para escrever um autêntico tratado sobre esta perfeita bosta que é a festa do Avante, mas para abreviar:

    1. PCP: Deveria ter deixado de existir em Portugal, ontem.

    2. Festa do Avante: Verificando-se o acontecimento descrito em 1., estava resolvido.

    3. Artistas que vão à festa do Avante: Seguiram a mesma linha de argumentação do PCP. Desviaram a atenção da invasão Russa da Ucrânia com argumentos demagógicos e hipócritas que os apoiantes acéfalos do partido, engolem às colheradas. Percebe-se a sua presença na dita ‘festa’.

  14. Resposta especial à Sra. Bia Ferreira e à eterna desculpa pela incompetência Brasileira: «…denunciar os estragos que o povo português deixou aqui no Brasil…»

    O Canadá declarou a independência em 1867 e tem um território mais pobre, menos fértil que o Brasil. O que explica a diferença entre os dois países? A culpa é dos Portugueses?

    Tiveram 200 anos para corrigir os ditos ‘estragos’. Porque não o fizeram? Não sabem? Eu ajudo: Incompetência. Ignorância. Desonestidade. A mentalidade de procurar atalhos. A procura incessante do ‘desenrasque’. Do fazer apenas o suficiente em vez de fazer BEM.

  15. J. Galvao, Tanto ” ODIO ” então fofinhos estão a preparar se para outra guerra, é que esta esta quase resolvida e com a ajuda dos fofinhos americanos e alguns ocidentais a Ucrânia la vai sendo / ficando destruída com as suas propiás monições, um dos maiores hospitais daquele pais, nao tem um gerador ? e anda um português a fazer um peditório para o comprar antes de vir embora ( antes de acabar as suas ferias) , noutro local daquele pais houve uma festa na praça e ao lado 20 Km morriam soldados , civis, crianças , idosos, e eram destruídas estruturas pelos próprios ucranianos , enfim era mais uma festa!!!, vão todos a festa e o tal Milhazes também deveria ir para para conhecer a LIBERDADE de quem quer trabalhar, cantar, conviver, socializar-se, e depois saber do que procura falar e deixar se de coisas anedóticas, e procurar tratar se da sua sede na boca sede na boca e no odio que transpira, ainda bem que hoje é o ultimo dia que vai praguejar e assim iremos ter umas ferias com mais PAZ, Fofinhos umas boas ferias para todos, peçam a PAZ.

  16. Espanta-me sempre que esta “habilidade” resulte. Fala-se da ausência de condenação dos actos Russos na Guerra da Ucrânia, e eles respondem que “ah e tal e então as outras guerras?”.
    Ou seja, respondem mudando de assunto. Porque o assunto inicial não lhes agrada, claro está.
    Não, senhores, não é “e as outras guerras”. É “os actos Russos NESTA guerra”. Nada a dizer dos actos Russos NESTA guerra??

  17. Milhazes jornalista!? Se tirou algum curso à pressão esqueceu-se da deontologia que como sabemos é obrigatória em todas as profissões sérias. Mas, Avante que a Festa está a chegar para bem da política honesta e séria, da cultura, ciência e desporto para todos, sejam comunistas ou não, uma Festa que sempre é construida com dedicação e imensa alegria, plena de juventude, e que continuará a ser um local de convívio e Paz entre aqueles que sempre se encontram para transformar o mundo, luta de ontem, de hoje e do futuro, até a utopia ser uma realidade.

  18. O problema é que não é utopia, mas distopia. O comunismo só é possível com polícia política, campos de concentração, sistema autoritário de partido único, deportações em massa, Etc.
    Só a democracia de tipo ocidental pode garantir liberdade e democracia.

    • J. Galvao, este artista morto esta mesmo morto sem conhecimento de cultura e nem de guerra , o fato de ocorrer eventos casuísticos ou agendados nao tem que serem necessariamente coniventes com o teu pensamento , hoje graças a liberdade podes ter esse pensamento, mas nao o deves prejudicar se nao tiveres implícita a democracia que permite a que todos falar, escrever , cantar, dialogar, ou ate teatral. do que bem entenderem mas sem ofensa, vamos la fofinho artistamorto sorri e sé FLIZ.

  19. O pessoal destila ódios por tomadas de posição, ainda por cima distorcem o que dizem os outros.
    Quem não gosta, não coma. Mas claro, pode opinar e em público. Só não adulterem os depoimentos dos outros.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.