/

Aplicação reproduz efeitos das drogas usando apenas o telemóvel

Uma nova aplicação promete reproduzir efeitos semelhantes aos das drogas usando apenas o smartphone. A app utiliza a lanterna do telemóvel para colocar o utilizador num estado de meditação psicadélica.

Se alguma vez teve curiosidade de experimentar os efeitos das drogas, sem as potenciais consequências nocivas de o fazer, finalmente tem uma solução para esse problema. Ou pelo menos é o que promete uma nova aplicação para smartphones chamada Lumenate.

A Lumenate diz conseguir alterar os ritmos do cérebro com a lanterna do telemóvel, colocando os utilizadores num estado entre meditação psicadélica alta e profunda. Ao contrário do LSD, cujos efeitos podem persistir durante sete horas, a ‘moca’ da Lumenate pode ser desligada com um simples mover de dedo.

Usar luz oscilante para alterar o estado de consciência não é propriamente algo novo, realça a VICE. Diz-se que o profeta Nostradamus, por exemplo, teve as suas visões enquanto olhava para o sol.

A Dreamachine, que pode ser traduzida por “máquina dos sonhos”, é um dispositivo de luz, criado pelo artista Brion Gysin e o cientista Ian Sommerville em 1962, que produz um estímulo visual. A máquina de sonhos deve ser “vista” com os olhos fechados, já que a luz estimula o nervo ótico e altera as oscilações elétricas do cérebro, induzindo a pessoa num estado de alucinação hipnagógica.

Seguindo os mesmos princípios da Dreamachine, a Lumenate oferece uma experiência semelhante para o mero utilizador de smartphone.

A aplicação foi lançada dia 2 de março, já conta com mais de 25 mil downloads e tem o apoio da atriz Rosamund Pike, que experimentou-a durante a sua fase beta e ficou fã desde então, tornado-se até diretora criativa da app.

“Num nível básico, conforme a luz pisca, o cérebro também pisca em sincronia, enviando um sinal de que algo está a mudar. Gradualmente essa sincronização com a luz espalha-se pelo cérebro e permite que você a envie para o estado desejado”, explicou Tom Galea, um dos criadores da aplicação.

O investigador Ben Sessa e membros da equipa de investigação psicadélica do Imperial College de Londres deram testemunhos positivos sobre o Lumenate e sobre o seu potencial para uso terapêutico.

“Nós vemos-nos sentados num espaço entre o mundo do bem-estar, o mundo da meditação e o espaço psicadélico do renascimento. Não estamos a dizer que a Lumenate responderá a todos os seus problemas ou perguntas, mas pode ser um instrumento dentro de um kit de ferramentas de bem-estar”, acrescentou Galea.

A aplicação está disponível para App Store, para iPhones, e na Google Play, para Androids.

  Daniel Costa, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.