Apagão de 15 minutos e greve às aulas à distância. Professores protestam contra “desgoverno na educação”

António Cotrim / Lusa

O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues.

Um grupo de professores está a apelar a um “apagão” de 15 minutos diários durante as aulas à distância como forma de protesto contra o Governo devido a reivindicações antigas e às condições de trabalho actuais. Entretanto, um dos Sindicatos da classe convocou uma greve ao ensino online.

Com a segunda fase de ensino à distância forçada pela pandemia, os professores aproveitam o momento para fazerem velhas reivindicações e também para se queixarem das condições de trabalho actuais.

Um grupo de docentes, que se define como um movimento “livre e individual”, está a apelar a um “apagão” às aulas à distância nestas quinta-feira e sexta-feira, 18 e 19 de Fevereiro, solicitando aos professores que desliguem os seus computadores às 9:15 horas, “durante um período de 15 minutos”.

A ideia é “suspender, nesse período, a colaboração com o disfarce de falta de preparação que tem impedido a opinião pública de perceber que o ministro Brandão mente ao dizer que tudo corre bem e tudo estava preparado” para as aulas à distância, defende este grupo de professores num manifesto a que o Diário de Notícias (DN) teve acesso.

O grupo apela também a outros “profissionais de educação, que estão em sua casa a usar, sem compensação, o seu próprio equipamento e condições técnicas para realizar ensino à distância” que adiram a este protesto simbólico.

O “apagão” deverá passar, na próxima semana, a “dois períodos diários de desligamento de 15 minutos, em horas diferentes”. Na semana seguinte, está a ser ponderada a possibilidade de “passar a três períodos e, assim sucessivamente”, explica-se no manifesto.

“Revelar a grande ilusão que é o ensino à distância”

Os docentes prometem continuar o protesto até “o Governo perceber que tem de respeitar e agradecer aos professores a sua boa vontade e colaboração, que tem ajudado a que não se perceba, em nome dos alunos, o desgoverno na educação”.

Além das queixas contra as actuais condições de trabalho, estes professores reportam-se para batalhas antigas, notando as “questões de salário e de respeito pela carreira”, os “horários, aposentação, concursos, tratamento dos contratados, avaliação, falta de recursos para os alunos e más condições de trabalho para os assistentes operacionais”, bem como a “imagem pública da classe e sua degradação pelas mentiras junto da opinião pública”, como outros motivos para o protesto.

Um dos subscritores do manifesto, Luís Sottomaior Braga, explica ao DN que o protesto é “um passo necessário para revelar a grande ilusão que é o ensino à distância“.

“Num processo desses, os recursos tecnológicos são essenciais e, na verdade, apesar de todas as ilusões que são passadas para a opinião pública, os donos do equipamento são os professores. O governo não fez, e teve tempo, o essencial“, critica este docente.

Entretanto, o Sindicato de Todos os Professores (STOP) convocou uma greve às aulas à distância também devido ao desagrado com o Ministério da Educação.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

FC Porto 1-0 Guimarães | Dragão já vê Sporting no horizonte

O Porto venceu no fecho da 28ª jornada da Liga NOS pela margem mínima, na recepção ao Vitória SC, e conseguiu o principal objectivo, que passava por somar os três pontos e reduzir para quatro …

Italiano faltou ao trabalho durante 15 anos, mas ganhou quase 600 mil euros

Um funcionário de um hospital no sul de Itália recebeu o salário durante 15 anos, apesar de nunca ter aparecido para trabalhar. De acordo com a polícia italiana, citada pela cadeia televisiva CNN, Salvatore Scumace está …

Google ficou sem o domínio na Argentina (e Nicolás achou que ia ser o novo dono)

Na última quarta-feira, um jovem argentino achou que ia ficar rico à custa da distração da Google no seu país. Acabou por não acontecer e tudo ficou resolvido. "Que pague a dívida externa", "que compre vacinas", …

Lola, a robô humanóide, dá "passos de bebé" (e equilibra-se com as mãos)

Uma equipa de cientistas está a ensinar a robô humanóide Lola a dar "passos de bebé", equilibrando-se com as suas mãos em vários pontos de contacto. Há muito tempo que os investigadores estudam a locomoção de …

Presidente da República veta decreto sobre inseminação post mortem

O Presidente da República vetou, esta quinta-feira, o decreto do Parlamento sobre inseminação post mortem, considerando que suscita dúvidas no plano do direito sucessório e questionando a sua aplicação retroativa. Na mensagem dirigida à Assembleia da …

Primeiro-ministro francês está a receber centenas de peças de lingerie no correio

O primeiro-ministro francês tem estado a receber roupa interior feminina na sua caixa de correio. Foi a forma encontrada pelas lojas de lingerie para protestarem contra as restrições da pandemia que as obrigam a estar …

Inteligência artificial "identifica" autores dos Manuscritos do Mar Morto

Investigadores da Universidade de Groningen, nos Países Baixos, recorreram à inteligência artificial para concluir que os Manuscritos do Mar Morto foram redigidos por vários escribas, o que abre uma "nova janela" para o estudo do …

Inteligência Artificial vai ajudar a identificar fontes de poluição no Bangladesh

A produção de tijolos é uma fonte de poluição que ameaça a saúde da população e do planeta, mas regular esta indústria pode ser uma tarefa difícil para as autoridades. Para resolver o problema, uma …

Portimonense 1-5 Benfica | "Águia" arrasa em solo algarvio

O Benfica regressou aos triunfos depois de ter vencido o Portimonense por 5-1, numa partida relativa à 28.ª jornada da Liga NOS, após o desaire registado na recepção ao Gil Vicente.  Porém, não foi um duelo …

Vigaristas burlaram mulher de 90 anos em 32 milhões de dólares

Uma mulher de Hong Kong, de 90 anos, foi defraudada em 32 milhões de dólares por burlões que se fizeram passar por agentes policiais chineses, via chamada telefónica. A Agence France-Presse (AFP) escreve que um jovem …