António Domingues diz que já “não tinha condições” para gerir CGD

João Relvas / Lusa

António Domingues, o novo presidente da Caixa Geral de Depósitos

António Domingues, o presidente demissionário da Caixa Geral de Depósitos

O ex-presidente da Caixa Geral de Depósitos disse esta quarta-feira que decidiu demitir-se porque a maior parte da sua equipa o fez e entendeu não ter condições para gerir o banco, depois do debate que se gerou.

“O que fez com que me tivesse demitido? Muito simples, eu ia ficar sem equipa. Dos onze membros do Conselho de Administração demitiram-se sete, e se considerar o Conselho Fiscal em quinze demitiram-se nove. Eu sem equipa teria dificuldade em gerir a Caixa”, afirmou António Domingues, na audição que decorreu hoje na Comissão parlamentar de Orçamento e Finanças.

O presidente demissionário disse ainda que poderiam questioná-lo porque não escolheu uma nova equipa, continuando à frente da instituição, respondendo então que a forma como o debate em torno da CGD e da sua equipa foi conduzido não lhe dava condições para se manter no cargo.

“Uma das primeiras responsabilidades do gestor de uma empresa é saber se tem condições para a gerir e eu, no meu melhor juízo, entendi que não tinha condições para o fazer“.

O gestor afirmou que teria gostado de continuar como presidente da CGD, já que foi uma “experiência muito rica”, mas acrescentou que perante as mudanças de posição do acionista Estado também tinha direito de ele alterar o seu posicionamento.

“Quando me perguntaram se eu estava zangado eu disse, como se recorda, ‘pelo amor de deus’, porque o acionista tem direito de tomar decisões e de mudar de opinião. Respeito isso, mas eu tenho direito de me bater pela minha opinião, os meus objetivos e as minhas responsabilidades”, sublinhou.

Questionado ainda sobre a polémica da entrega das declarações de rendimentos e património, o ex-presidente mostrou-se contra essa posição.

“Quando se trabalha num banco, seja ele qual for, são publicados todos os anos nos relatórios os rendimentos e os meus, quem quiser vê-los, estão no BPI. O que faço com os meus rendimentos e o meu património já é da minha esfera pessoal, não vejo que haja ou houvesse necessidade de regras específicas para a Caixa para controlar a minha vida pessoal”, explicou.

Além disso, o gestor frisou ser difícil “atrair profissionais com experiência” quando têm, como consequência, “os seus patrimónios pessoais publicados nos tabloides”.

Saída de 2.200 trabalhadores até 2020

Para diminuir gastos, Domingues disse que o plano estratégico desenhado para a CGD prevê uma redução de custos ao longo de cinco anos, desde logo com a saída de trabalhadores.

“Estimamos que a Caixa precisa de reduzir 2.200 pessoas”, afirmou o presidente do banco público nos últimos quatro meses de 2016, entre final de agosto e final de dezembro, referindo que o previsto é que 25% desses funcionários saiam por reformas naturais e os restantes em pré-reformas.

Para Domingues, este plano de redução de pessoal já foi falado com as estruturas do banco e “é exequível” e garantiu que não poria em causa os clientes, uma vez que estes recorrem cada vez mais aos meios digitais.

Além disso, o presidente demissionário, que agora vai ser substituído por Paulo Macedo, adiantou que a reestruturação em curso deve permitir alcançar um lucro de 200 milhões de euros ainda este ano e de 700 milhões em 2020.

Domingues realçou que estas projeções são feitas tendo por base um “cenário conservador”, em que se estendam até 2019 as taxas de juro a 0%.

“Gerir não é gerir para os dias de sol, mas para os riscos que existem”, alertou.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"DeepNude". Inteligência Artificial "tirou a roupa" a mulheres nas redes sociais

A empresa de informação Sensity alertou que mais de 100 mil imagens foram carregadas para um canal de Telegram onde um bot "tirou a roupa" de mulheres. A empresa de segurança Sensity revelou recentemente que existe …

Poluição atmosférica "custa" a cada citadino europeu 1.276 euros por ano

A poluição atmosférica "custa" 1.276 euros por ano a cada cidadão europeu residente em cidades, de acordo com um estudo da Aliança Europeia de Saúde Pública (EPHA) divulgado esta quarta-feira. O estudo chegou ao valor médio …

"Emergência arqueológica". O degelo dos Alpes está a "libertar" artefactos escondidos há milhares de anos

As alterações climáticas podem estar a ajudar os arqueólogos a encontrar artefactos escondidos nos glaciares do Alpes há milhares de anos. O derretimento dos glaciares dos Alpes está a "liberta" objetos que permaneceram congelados no tempo …

Thermite RS3 é o primeiro robô de combate a incêndios dos EUA (e está pronto a entrar ao serviço)

O Corpo de Bombeiros de Los Angeles, nos Estados Unidos, deu as boas-vindas ao mais recente membro da equipa: um bombeiro robótico. O Thermite RS3 é um rover de controlo remoto capaz de bombear milhares de …

Inventor dinamarquês que matou jornalista no seu submarino escapou da prisão (mas já foi apanhado)

O inventor dinamarquês Peter Madsen, condenado a prisão perpétua por torturar e assassinar a jornalista sueca Kim Wall, fugiu da prisão esta terça-feira.  As autoridades dinamarquesas capturaram-no minutos depois. Peter Madsen, o dinamarquês condenado a prisão …

Molécula descoberta por menina de 14 anos pode levar a uma cura para a covid-19

A jovem norte-americana de 14 anos, Anika Chebrolu, descobriu uma molécula que pode levar a uma potencial cura para a covid-19. Enquanto cientistas dos quatro cantos do mundo trabalham no desenvolvimento de uma vacina para a …

Cerca de 1.300 reclusos fogem de prisão no Congo após ataque do Estado Islâmico

Cerca de 1.300 reclusos escaparam de uma prisão na República Democrática do Congo na manhã de terça-feira, após um ataque reivindicado pelo Estado Islâmico, informou a Organização das Nações Unidas (ONU). Embora as autoridades locais tenham …

Amesterdão vai usar flores para impedir que os ciclistas estacionem bicicletas nas pontes

A cidade conhecida pelo uso de bicicletas, vai agora tomar uma medida em relação ao estacionamento destas nas pontes. Tudo para proteger as vistas para os seus famosos canais. Amesterdão orgulha-se de ser uma das cidades …

Morreu voluntário envolvido no ensaio da vacina de Oxford. Tinha 28 anos e era médico recém-formado

As autoridades de saúde brasileiras divulgaram esta quarta-feira a morte de um voluntário dos testes da vacina contra a covid-19, desenvolvida pelo laboratório AstraZeneca e pela Universidade de Oxford. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), …

Milo, o "comunicador de ação" que permite conversar em grupo durante atividades ao ar livre

Chegou o Milo, o novo aparelho que vai revolucionar as aventuras em grupo. Este pequeno dispositivo permite-lhe conversar com o seu grupo à distancia sem precisar de levar o smartphone para o meio da montanha, …