Meco. Antigo dux recorda que o grupo levou com “uma onda“ e diz que ainda tentou salvar colega

Rui Minderico / Lusa

Mais de sete anos depois da tragédia do Meco, o caso chega esta terça-feira a tribunal para o julgamento do processo em que as famílias dos seis jovens que morreram durante a praxe pedem indemnizações no valor global de 1,3 milhões de euros.

João Gouveia, o “dux” (líder da praxe), foi o único sobrevivente daquela noite de 13 de dezembro de 2013 e conta agora ao tribunal o que aconteceu.

Segundo o Observador, João Gouveia recorda que o grupo que estava apenas sentado na praia e já tinha até decidido ir embora porque estava frio – um deles já estava até de pé -, quando foram levados por uma onda.



“Do que me recordo, fui empurrado para a zona de rebentação. Lembro-me de não ter pé, de levarmos com mais ondas, em jeito de máquina de lavar. Quando fui levado, a primeira vez que vim de vir ao de cima, recordo-me de ver alguns deles. Depois, das outras vezes, não”, descreveu.

O líder do grupo contou que conseguiu sair do mar e que o facto de ter feito bodyboard facilitou. “Consegui livrar-me da capa”, revelou, acrescentando que ainda tentou “agarrar a mão da Carina”, uma das jovens que morreu.

O dux relembra que assim que saiu do mar a primeira coisa que fez foi chamar o 112, contando que quando a polícia marítima chegou à praia, estava “deitado” na areia e foi prontamente socorrido.

Questionado pela juíza, revela que o “plano” nem sequer era ir à praia, mas ir “dar uma volta”.

Em resposta aos advogados que estão a representar a Universidade Lusófona, o antigo dux afirmou que que qualquer uma das pessoas que esteve naquele fim de semana, era livre de sair quando quisesse.

João Gouveia negou ainda que os estudantes tinham pedras amarradas nos tornozelos, durante a atividade de praxe feita no dia anterior num descampado. Acrescento ainda que na mesma noite “ingerimos álcool. Todos. Nada por aí adiante“.

O inquérito às circunstâncias da morte dos seis jovens foi arquivado em julho de 2014 e reaberto em outubro do mesmo ano, quando o dux foi constituído arguido.

Em março de 2015, o Tribunal de Instrução Criminal de Setúbal decidiu não enviar o processo-crime para julgamento e o Tribunal da Relação de Évora, após recurso da defesa, manteve a decisão, sublinhando que as vítimas eram adultas e não haviam sido privadas da sua liberdade durante a praxe, pelo que não havia responsabilidade criminal sobre João Gouveia.

Em 2016, as famílias dos seis jovens interpuseram seis ações cíveis contra o dux e a COFAC. Em cada uma das seis petições iniciais (PI) é pedida uma indemnização de cerca de 225 mil euros, o que perfaz um valor global que ronda um milhão e 350 mil euros.

Em janeiro do ano passado, o TEDH condenou o Estado português a pagar 13 mil euros de indemnização à família e apontou falhas à investigação.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Marinha dos EUA está a desenvolver drones para matar ovos em ninhos de pássaros selvagens

A Marinha norte-americana e a empresa Hitron Technologies uniram esforços para desenvolver um drone autónomo projetado especificamente para procurar e destruir o maior inimigo da Marinha: os pássaros. Os drones, que estão já a ser testados …

Cientistas criam hologramas que se movem pelo ar

Uma equipa de cientistas da Universidade Brigham Young, nos Estados Unidos, conseguiu desenvolver um holograma que projeta imagens em movimento. Se é fã de Star Treck, ficará impressionado com a mais recente inovação. Um grupo de …

Gangue detido por falsificar a especiaria mais cara do mundo

As autoridades espanholas detiveram um gangue que fazia milhões de euros por ano a falsificar a especiaria mais cara do mundo: o açafrão. Os 17 membros da quadrilha foram detidos na região de Castela-Mancha. Os criminosos …

Santuário medieval recebe escultura em pedra que usa máscara contra a covid-19

Uma catedral histórica do Reino Unido renovou um santuário do século XIV, acrescentando um detalhe que coloca em evidência o momento pandémico que o mundo vive. Agora, a nova escultura está a usar uma máscara …

Aos 10 anos, Adewumi chegou à elite mundial do xadrez (e fugiu ao Boko Haram)

Tanitoluwa Adewumi foi perseguido pelo Boko Haram, fugiu da Nigéria e foi sem-abrigo nos Estados Unidos. Agora, com apenas 10 anos, chegou à elite mundial do xadrez. Grande Mestre é um dos títulos vitalícios concedidos pela …

Hegemonia económica da China cada vez mais longe. Queda demográfica coloca Pequim sob pressão

O objetivo do país é tornar-se na maior potência económica do mundo nos próximos anos, mas a corrida pela hegemonia - disputada com os EUA - pode não ser uma meta fácil de alcançar. O …

Miss Universo 2021. Concorrente da Singapura usa roupa com o slogan "Stop Asian Hate"

Bernadette Belle Ong, uma concorrente do Miss Universo 2021, vestiu uma roupa com as cores de Singapura que continha as palavras Stop Asian Hate ("parem com o ódio contra os asiáticos"). Bernadette Belle Ong aproveitou o …

A Índia está a tornar quase impossível a vacinação dos sem-abrigo

A Índia está a dificultar o processo de vacinação dos sem-abrigo, uma vez que o programa requer um número de telemóvel e uma morada residencial. Muitas pessoas não têm nem um, nem outro.  Na Índia, quase …

Violência contra as mulheres é "uma pandemia", alerta ONU

Uma década após a criação da Convenção de Istambul, o marco dos tratados de direitos humanos para acabar com a violência de género, as mulheres enfrentam um ataque global aos seus direitos e segurança, alertaram …

Já se sabe qual a ocasião mais perdida do ano devido à pandemia (e há uma campanha para compensar)

Tomar um café com um amigo ou um familiar é o momento mais perdido do último ano devido à pandemia de covid-19. Nos últimos 12 meses, e em todas as cidades europeias, estima-se ter havido …