Antiga estação da Boavista ardeu. El Cortes Inglés tinha intenções de construir no local

Jardim Ferroviário da Boavista / Facebook

Antiga estação ferroviária da Boavista.

Um incêndio deflagrou na madrugada de hoje no edifício devoluto da antiga estação ferroviária da Boavista, no Porto, onde o Corte Inglés tem intenção de construir e sobre o qual foi submetido um pedido de classificação municipal.

Em declarações à Lusa, o comandante dos Sapadores do Porto, Carlos Marques, indicou que o alerta foi dado às 03:30, tendo sido mobilizados para o local 12 homens e uma autoescada.

“O edifício já está devoluto, inclusivamente já tinha alguns vãos selados, o que ardeu foi no interior: alguns resíduos que lá tinha, nada de muito especial. Nós fizemos a extinção, não houve feridos a registar”, revelou, acrescentando que ardeu também um pouco da cobertura do edifício.

Apesar de o combate às chamas ter sido “relativamente fácil”, foi necessário o recurso a meios elevatórios, nomeadamente à autoescada, mas a integridade do edifício não foi, contudo, comprometida.

No local estiveram ainda presentes o piquete da Proteção Civil e a PSP, a quem cabe inicialmente investigar as causas do incêndio, tendo sido acionada Divisão Investigação Criminal (DIC) para recolher elementos. De acordo com a PSP, à partida, não há suspeitas de crime.

Na rede social Facebook, o Movimento por um jardim ferroviário na Boavista lamentou hoje o sucedido, considerando suspeito o incêndio.

“Hoje pelas 03:00, em pleno outono e numa madrugada chuvosa, deflagrou um incêndio na antiga estação. (…) Visto da rua, parece que só o telhado ardeu, bem como o relógio que ornava a fachada, mantendo-se a estrutura em pedra. É triste, lamentável e muito suspeito que isto tenha acontecido agora”, lê-se numa publicação.

Em junho, um grupo de cidadãos pediu à Câmara do Porto a classificação municipal da antiga estação ferroviária da Boavista, onde o Corte Inglés tem intenção de construir, depois de a Direção-Geral do Património Cultural ter arquivado o pedido nacional.

À data, em declarações à Lusa, Hugo Silveira Pereira, investigador do Centro Interuniversitário de História das Ciências e da Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, explicou que o grupo tomou esta decisão depois de analisar o despacho de arquivamento da Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) e que abre a porta à classificação daquele património como de interesse municipal.

Embora respeitando a decisão, o grupo, composto por 60 personalidades ligadas à academia e ao património, não pode concordar com ela, por esta se tratar “da primeira estação totalmente operacional da cidade do Porto”, “da primeira aplicação da tecnologia ferroviária de bitola estreita” e “da primeira iniciativa ferroviária privada que foi bem-sucedida, apesar de não contar com nenhum apoio do Estado português”.

Na quinta-feira, em comunicado, o Movimento por um jardim ferroviário na Boavista afirmou que, apesar do Pedido de Informação Prévia (PIP) para o projeto do Corte Inglês ter sido aprovado pela autarquia em outubro, continua a correr nos serviços municipais um pedido de classificação municipal da antiga estação ferroviária, não havendo resposta até à data.

O movimento considerou ainda “contraditória” a aprovação do PIP da cadeia espanhola sem que tenha havido uma resposta ao pedido de reversão do negócio que a própria autarquia enviou ao ministério responsável.

A autarquia aprovou, por unanimidade, em 25 de novembro de 2019, uma recomendação ao Governo para reverter o contrato promessa de compra e venda do terreno na Boavista, onde o El Corte Inglés tem intenção de construir.

Para os terrenos da antiga estação ferroviária da Boavista estão previstas, para além de um grande armazém comercial, a instalação de um hotel e de um edifício de habitação comércio e serviços.

Infraestruturas de Portugal quer causas investigadas

A Infraestruturas de Portugal, proprietária da antiga estação ferroviária da Boavista, no Porto, vai apresentar às autoridades uma denúncia contra desconhecidos, para apurar as causas do incêndio no edifício para o qual há um pedido de classificação.

À Lusa, o gabinete de comunicação da Infraestruturas de Portugal (IP) indicou que a empresa vai apresentar às autoridades de investigação competentes um auto de notícia, contra desconhecidos, para apurar as causas do incêndio que deflagrou esta madrugada por volta das 03:30 e que, segundo os Sapadores do Porto, consumiu parte do interior e da cobertura do edifício.

A mesma fonte referiu ainda que, neste momento, a IP está ainda a avaliar a extensão dos danos causados pelas chamas.

Na sequência do incêndio desta madrugada, o Movimento por um jardim na Boavista instou as autoridades a investigar as causas e os responsáveis pelo incêndio “criminoso”, estranhando a coincidência de o fogo ter acontecido “praticamente a seguir” à publicação de uma notícia que dava conta que estava ainda pendente o pedido de classificação da estação como imóvel de interesse municipal, “e num momento em que o edifício sofre uma enorme pressão para a sua demolição para dar lugar a um espaço comercial”.

“Tendo em conta as condições climáticas que afetam o Porto presentemente, o Movimento só pode suspeitar que o incêndio foi uma consequência de fogo posto”, assinala o grupo de cidadãos, em comunicado.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Já pode "adotar" um pedaço de Notre-Dame para ajudar na sua reconstrução

Uma organização está a dar a oportunidade de o público ajudar na reconstrução de artefactos específicos da catedral de Notre-Dame, em França, que foi parcialmente destruída por um incêndio em 2019. De acordo com a cadeia …

Proporção divina identificada na gerbera

Descobrir como se formam os padrões distintos e omnipresentes das cabeças das flores tem intrigado os cientistas há séculos. Quando se pede a alguém que desenhe um girassol, quase todas as pessoas desenham um grande círculo …

Audi apresenta o novo Q4 e-tron que traz uma autonomia até 520 km

Ainda antes do verão, a Audi vai colocar no mercado o seu primeiro SUV elétrico concebido de raiz e não adaptado a partir de uma plataforma concebida para motores a combustão. O Q4 e-tron destaca-se pela …

Vanuatu em alerta depois de um corpo com covid-19 ter dado à costa

Vanuatu proibiu viagens de e para a sua principal ilha três dias depois de ter dado à costa um corpo de um pescador filipino, que testou positivo à covid-19. De acordo com a Radio New Zealand, …

Cientistas russos querem criar a primeira vacina comestível contra a covid-19

O Instituto de Medicina Experimental de São Petersburgo, na Rússia, anunciou o seu plano de concluir dentro de um ano os testes pré-clínicos da primeira vacina comestível do mundo contra o novo coronavírus. Em entrevista à …

Em plena crise política, o país mais pobre das Américas ainda não recebeu nenhuma vacina

Numa altura em que a maior parte dos países já têm o processo de vacinação a decorrer, o governo do Haiti ainda não garantiu uma única dose da vacina contra o coronavírus. O país mais pobre …

Afinal, Leonardo da Vinci não esculpiu o busto de Flora

Está terminada a controvérsia que durou mais de cem anos após a aquisição do Busto de Flora em 1909, por Wilhelm von Bode. A datação por radiocarbono revelou, recentemente, que a obra não foi …

Crise climática "implacável" intensificou-se em 2020, diz relatório da ONU

Houve uma intensificação "implacável" da crise climática em 2020, com a queda temporária nas emissões de carbono devido ao confinamento a ter um impacto pouco significativo nas concentrações de gases de efeito de estufa, revelou …

Já se sabe o que causou a misteriosa "tempestade de asma", que vitimou dez pessoas em 2016

Em 2016, na cidade de Melbourne, aconteceu o evento de "tempestade de asma" mais grave do mundo. Os cientistas descobriram agora o culpado. No dia 21 de novembro de 2016, as urgências de um hospital em …

Carlos César reivindica papel do PS na construção da democracia e no combate à corrupção

O presidente do PS defendeu, esta segunda-feira, que se deveu ao seu partido o aprofundamento da democracia e os avanços no combate à corrupção, embora admitindo desvios", "erros" e "omissões num ou outro momento da …